2021-09-23

Glossário

Acho mesmo que a grande maioria dos conceitos em que costumávamos assentar as nossas (re)construções do real está esgotada, vazia de sentido. Talvez por isso pareça ser, tanta vez, uma época de crise e caos: nem temos sequer as palavras certas para dizer o nosso mundo. Talvez seja necessário inventar um glossário novo até para a nossa rebeldia, ainda que mais por inépcia e comodismo do que propriamente por convicção.

2021-09-18

Brexit




Sempre me pareceu um bandalho com a mania, espécie cada vez mais popular na classe política de todos os países. E um dos principais motivos para as pessoas deixarem de ir votar ou votarem em alternativas alucinadas 😔 

Só ainda não consegui decidir se não passa de um perfeito idiota incompetente, um aprendiz de Maquiavel ou um mero rato a preparar-se para saltar borda fora de um barco condenado.🤨

2021-08-25

Esta voz

O meu blogue fez ontem  anos. Tem andado paradito e muito pouco palavroso ou original. E se é certo que contra a sem vontade já resisti várias vezes, agora enfrento a falta da urgência em escrever. Não será tanto ter esgotado o espaço e o nick que o mantém. Talvez tenha sido eu quem se esgotou. Sou um universo demasiado pequeno para tanta letra. Mas vamos  a ver o que acontece para a semana...

2021-08-24

Voz em Fuga

"A vida descostura, o homem passa a linha, a corrigir os panos do tempo."

- Mia Couto

Ainda não foi este ano que a minha Voz morreu...

2021-08-19

(des)humanizar

Cara a cara, as pessoas são boas ou más, gostas ou não delas, não importa nem cor nem religião nem ideologia. É a estranheza e a distância que trazem a desconfiança e o medo. Extremismos e fundamentalismos já nada têm a ver quer com credo, quer com cor, quer com política. Viraram cultos irracionais presos com cuspe às suas desculpas e argumentos fabricados. Só resultam pela desumanização do indivíduo, transformando o outro em arquétipo sem rosto, sem família, sem sangue.

Recuso-me a meter tudo no mesmo saco. Recuso-me à lavagem cerebral de qualquer culto. Recuso-me a não ver cada pessoa que se me apresenta como indivíduo. Porque há o cara a cara, porque se gosto de uma pessoa não importa cor ou religião ou ideologia; porque se ela gosta de mim, também não é pela minha cor ou a minha falta de religião ou ideologia.

2021-08-16

Os mortos anunciados

«(...)
How many children are we who are lost 
Whose are these daughters we see turn to ghost? 
What are our souls that we have lost care 
Ring out ye musics and weep if you dare-(...)»

"September on Jessore Road", Allen Ginsberg