2007-07-03

No 52...já ninguém mora!




E, sim, era como um suspiro esta coisa de lhe bordejar a porta pela noitinha e tentar ainda sentir o cheiro a leite-creme queimado com um velho ferro de passar a ferro. Como no tempo em que nos abria a porta de mansinho, puxando o nagalho ao cimo da escada que destrancava a velha fechadura enferrujada. Ou de quando lhe saltávamos ao quintal atrás dos magnórios e das peras e ela fazia de conta que não sabia que estávamos lá. Ou de quando nos contava histórias do fantasma que habitava a casa, morava lá no sótão e só descia pelas vésperas para ajudar a pôr a prece em dia. Ou então de como tinha sido o tempo em que ali havia uma família e gente que se beijava e abraçava pelo correr das horas, enquanto pelos velhos corredores ainda havia passos pequeninos a dizer que a vida havia de continuar para além das vidas que partiam. Ou de quando enfim deixou de poder estar sozinha e afinal parecia que já ninguém tinha espaço para ela e como foi mirrando ao cimo das escadas, à espera que pela noitinha alguém viesse espreitar-lhe as cores e o estado e as maleitas. E depois, quando partimos a estudar longe e já ninguém lhe bordejava a porta, deixou-se ficar cada vez mais sozinha e já nem o velho fantasma lhe fazia companhia nas ladainhas. Morreu sozinha ao cimo das escadas, amparando a solidão de tia velha. E foi quando ela nos faltou que a casa pareceu pesar-nos uma tonelada de mágoas e já pouco importa que seja nossa. Era nossa antes, quando ela lá estava, com os seus fantasmas e as suas histórias. Agora é uma casa que nos tem, mas onde não pertencemos. A casa que herdamos, mas não merecemos. E mesmo quando puxamos o nagalho ao cimo da velha escada rangente para deixar que a porta se abra, ainda assim a escada queixa-se como se nos dissesse que não somos de lá. E é por isso que voltamos a fazer leite-creme queimado – que nunca vai saber ao mesmo – e replantamos a nespereira e a pereira do jardim. Mas até os frutos sabem diferente. E não há vésperas, claro: nenhum de nós aprendeu a rezar de forma a que até os fantasmas nos seguissem as preces. E a tia-avó partiu e não deixou fantasma. E mesmo que haja gente pela casa, no 52 já ninguém mora.



(espero que gostes, Finúrias, desta minha resposta ao teu desafio)

12 comentários:

I. disse...

Duas palavras: U-au.
Belíssimo!
:)

Hipatia disse...

Obrigada :)

maria_arvore disse...

Essa imagem da escada que se queixa é de mestre! :) Bravo! :)

Hipatia disse...

Eu não consigo resistir a estes desafios do Tozé, lol. Desta vez, ele apanhou-me pelo e-mail :D

Obrigada :)

Toze disse...

Obrigado Hipatia por teres aceite, mais um desafio...por maile :))))

Belas memórias , afinal é do que somos feitos !

Um Beijo

vague disse...

Chez moi, um cadavre-exquis para a desaparecida visitar! :)

Hipatia disse...

De nada, Tozé :) Deu-me gozo escrever o texto ;-)

Hipatia disse...

Vague, tenho andado mesmo desaparecida. Mas preciso andar. Se há coisa que me dá uma vontade imensa de fumar é o computador. E já lá vai um mês que não toco em cigarros e, provavelmente, ainda preciso de pelo menos outro mês até me poder chegar à máquina sem grande perigo. A ver se dou um salto a participar no "teu" cadáver. Mas não garanto e tu vais ter de desculpar :D

vague disse...

Hipaty, se há uma coisa q eu gosto é das coisas feitas por vontade e não por se achar q se tem de.
Por isso, participas se te apetecer e qdo nos encontrarmos ao vivo logo vejo as retaliações :P

Hipatia disse...

Se for como da última vez que disseste que estavas cá e depois nicles batanetes...

:P

Anónimo disse...

Mais Vozes

Afinal, bonito bonito, não são apenas as musicas do Tózé Brito.
frogas | | 07.04.07 - 4:17 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

eu acho que o fantasma dela está na nespereira, é ela que se diverte a fazer os frutos saberem diferente para que se lembrem dela!
fábula | | Email | Homepage | 07.04.07 - 8:01 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

O Tó Zé Brito? Esse ainda não virou fantasma?
Hipatia | | Email | Homepage | 07.05.07 - 12:46 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

É uma ideia, Fábula E uma vingançazita bem conseguida

Mas não te parece que, com ou sem tia-avó, toda a fruta hoje em dia já não sabe ao mesmo?
Hipatia | | Email | Homepage | 07.05.07 - 12:48 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

ah, nisso concordo...
fábula | | Email | Homepage | 07.05.07 - 10:23 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Também achei que ias concordar
Hipatia | | Email | Homepage | 07.06.07 - 2:05 pm | #

Movimento Pela Net Mais Barata disse...

Muito bom!
Agora deixo outro desafio, de visitarem o meu blog e assinarem o manifesto para termos net mais barata!Todas as presenças ajudam a invertermos a situção.
thanks