2011-11-03

Zé Povinha



Tenho encargos e, à conta delas, acabo prostituída ao horário fixo e aos desmandos de uns quantos. Era fácil ter ideais antes de ter contas para pagar. Agora resigno-me, como todos, agrilhoada à necessidade de garantir o vil (e escasso) metal que me paga a casa, põe comida na mesa, luz, água, gás, televisão, internet, gasolina e todas as tretas onde, por mais que tente, parece sempre impossível poupar. Conformada? Nunca! Mas manietada sim. Porque há coisas que não me posso dar ao luxo, infelizmente, por mais que - tantas vezes, em tantos dias - me apeteça mandar tudo para trás das costas, mandar uns quantos para o caralho e fazer de conta que sou livre. E é por isso que ranjo os dentes, escrevo um post e, amanhã, bem cedo, estarei a bulir outra vez, à espera que a semana passe depressa e que, no fim do mês, continue a chegar algum. Sinto-me uma marioneta e há muito que já nem distingo os bonecreiros. São já quase uma entidade abstracta, que me levam cada vez mais e mais dinheiro e nem adianta culpar um apenas (o Estado, o Banco...) que aparece logo outro para me tentar enrabar mais um bocadinho.

10 comentários:

mfc disse...

Não me calarão!
Isso nunca... e sairei à rua, qual cão grego!

Hipatia disse...

Eu tenho medo. E tenho ainda mais medo por saber que me transformaram nesta coisa manietada :(

deep disse...

Como te compreendo. :(

Izzie disse...

Tão idem, eu...

pé-de-cereja disse...

Que post tão amargo.
E como me revejo nele... Não é a primeira vez que encontro aqui na Voz o eco do que ando a pensar. Ainda ontem pensei escrever uma coisa lá no meu estaminé mas ia sair algo como isto e pensei que quando comecei a andar na blogosfera (há 10 anos?...) toda eu era alegria e boa disposição. Fazia imensas criticas, é claro, era o tempo do Durão Barroso e Santana Lopes o que dava pano para mangas, mas...
Hoje em dia não é o estar mais velha (muito mais velha do que esses 10 anos cronológicos) é estar cansada e triste.
Percebo bem quando dizes que tens medo.
Há dias em que opto por não abrir a tv como se isso exorcizasse os demónios!

mfc disse...

Sinceramente não tenho medo!
Mas tenho uma raiva incontida!

Hipatia disse...

Está mauzeco, não está, Deep? :(

Hipatia disse...

E idem e idem e idem... somos todos mexilhão :((

Hipatia disse...

Cansada, triste, manietada, explorada, desencantada, espezinhada, desrespeitada e amarga. Além do medo, claro. E, sim, já nem ligo a televisão, que quando não é desgraça, é apenas fel. Além de bitolas várias a aplicar de forma diferenciada a amigos e aos nem por isso, mas isso já é o costume :(

Hipatia disse...

Eu tenho Manel. É só o meu que entra em casa para todas as despesas, com e sem IVA agravado, e isso torna o medo algo insidioso, que nos vai comendo um bocadinho da alma todos os dias.