2007-04-15

Cambada!


aqui

Talvez eu seja crente ou ignorante ou qualquer outra coisa. Mas memória é coisa que tenho. E talvez por isso não deixo de recordar um Cavaco a saltar fora e a atirar para cima das costas de Fernando Nogueira a responsabilidade pelas eleições que já não ganharia; ou a irresponsabilidade acéfala do final de Governo de Guterres, mais preocupado com o cargo internacional que iria arranjar; ou da fuga apressada de Durão para Bruxelas; ou a anedota que foi a sucessão a prazo de Santana Lopes e companhia. E por recordar tudo isto, já vomito caso Sócrates. Vomito mesmo! É que este quer governar. Pior ainda – e às vezes parece ser esse o grande crime – tem conseguido governar. Melhor ou pior, isso sim deveria ser debatido. Se nos doem as reformas, se nos custam os impostos, se estamos mal, se o País não sai da cepa torta, se a Ota é desperdício, se o centralismo aumenta, se os SAP e as urgências fazem falta, se o IVA nos amordaça, se os aumentos salariais só nos fazem ficar ainda mais pobres, se o desemprego nos acossa, se não crescemos, se nos mantemos endividados, se a educação é uma lástima e a política social é uma desgraça, se há alternativas. Tem governado Sócrates? Tem cumprido o que prometeu no programa que apresentou e que lhe deu uma maioria parlamentar? Não tem? Então vote-se. Se o tem sendo engenheiro ou licenciado ou apenas engenheiro técnico, quero lá saber. Se mentiu sobre habilitações não me importa. Importa-me se mentiu sobre o que disse que faria pelo País e os resultados das políticas que implementou. Talvez eu seja crente, ou ignorante. Talvez eu ache estranho que se tente derrubar um Primeiro-ministro pela secretaria, quando não se consegue pela crítica às políticas e seus resultados ou, simplesmente, apresentando uma alternativa credível. Que me oferecem em troca deste Sócrates mentiroso? Um outro embusteiro qualquer? Ou ainda alguém acredita que na política não resta hoje mais do que o refugo de todas as mentiras de uma geração pequenina, aldrabões a tempo inteiro da troca de favores desde o tempo dos cueiros? Alguém ainda acredita em políticos? Alguém? Alguém ainda duvida que a política em Portugal se faz por troca de favorzinhos e que são todos muito camaradas, muito truculentos, muito amiguinhos quando importa? Já vomito tanto Sócrates! E só sei que, na prática, a minha vida vai continuar fodida e nada tem a ver com o facto de haver ou não um favorzinho no diploma do PM. Está fodida porque os arranjinhos da classe política portuguesa e os seus apaniguados há muito a anda a foder. Este último caso só prova que, de vez em quando, eles também se fodem uns aos outros.

20 comentários:

vanus disse...

Fosgass, eu estou a ouvir o martelo e pelos deuses, esta merda só quem não fez a faculdade é que não sabe. que provem que houve favorecimento, que provem que os restantes alunos que passaram naquele ano à uni não tiveram as mesmas equivalências, que gentinha caramba.
um gajo como eu que andei 8 meses atrás de dois profs para me lançarem a nota de 5 cadeiras, porque me tinha inscrito na privada para o mestrado só com o canhoto do pedido do certificado de habilitações, e já estava a ver que fazia a parte curricular e não me davam o certificado de mestrado para a mesma, e só no verão do ano seguinte mo deram... um gajo consegue pensar nisto como um benefício ou como numa desagregação crónica dos serviços administrativos das universidades públicas?
caramba, ouvindo estas barbaridades até se chega a ter simpatia pelo animal

...entretanto a gasolina subiu como um cão e este mês deixei de ter dinheiro a dia 5, as cebolas estão a 1,50 euros e os tampões já passam os 4,00, já nem a porra do período se pode ter...

cambada de ausentes do que é o pais, é o que é; cada um é mais parvo do que o outro, só se interessam pela fotografia e por estar nas primeiras páginas dos jornais.
percebes porque é que não voto para as legislativas? é tudo a mesma merda, tudinho

maria_arvore disse...

Quero lá saber se o primeiro-ministro deste país é engenheiro ou torneiro mecânico.
Agora, irritam-me todas as pessoas que reverenciam doutores e engenheiros e mantém essa mentalidade pacóvia viva em Portugal, como o faz Sócrates. E na minha opinião, merece ser gozado por isso.
E pior do que isso é que o seu caso enquanto primeiro-ministro valida o chico-espertismo de passarmos por ser quem não somos, valida a predominância da imagem sobre o conteúdo, valida que quem tem poder como que adquire o direito de enganar os outros.
Neste Ano da Igualdade de Oportunidades, vem desculpar-se de enquanto deputado ter ludibriado quem lhe paga, provando que há uns mais iguais que outros e, pior, que isso é aceitável.
Como sobre o seu desempenho político na governação deste país só me recordam medidas que aumentaram as desigualdades sociais e favoreceram os grupos económicos como nunca sequer os governos do PSD-supostamente à sua direita - fizeram neste país, não chego ao ponto de à la General Sem Medo dizer "Obviamente, demito-o!" mas à la Almada, se o Sócrates é português, eu quero ser espanhola!

Hipatia disse...

Eu sei isso tudo; tu sabes isso tudo. E eu até lancei notas em Agosto, imagina só. Um crime, ter notas lançadas em Agosto... E às tantas também tenho um canudo assinado ao fim-de-semana: afinal, a festa da entrega foi a um fim-de-semana e pode ter acontecido. Mas nem sequer me dou ao trabalho de ir confirmar. Como nem me atrevo a pedir o meu processo na Universidade de Coimbra ou na Universidade do Minho. Já te tinha dito que entrei nas duas ao mesmo tempo, quando era suposto só se entrar num curso superior? Sempre achei que o meu nome estava lá a guardar vez para alguém... E viste só? Era na Pública. Apre! Esta mania de atirar pedras é nojenta. Quantos de nós, se se pusessem a pesquisar, não encontrariam demasiadas asneiras processuais? Mas falar e propor alguma coisa que nos resolva a vida? Nah! Dá demasiado trabalho e talvez vá contra quem se deve alguma coisinha. É que, naquele antro, todos devem, todos têm o cu à mostra, todos são muito amiguinhos de uns quantos jornalistas, todos lançam boatos, todos ganham por algum lado. Perde o povinho. Perde sempre o povinho. Pior, eu - que abomino este animal arrogante que temos por PM - começo a achar que ele calcou algum interesse que não devia. Não o Belmiro. Parece-me fácil demais e conveniente demais culpar o Belmiro. Mas deve ter posto o pé em algum vespeiro. Às tantas, um vespeiro cor-de-rosa. A quem mais interessaria? O taquinho Mendes e os seus tiros no pé não é alternativa, no CDS estão todos a comerem-se uns aos outros, à esquerda nem pensar... sobra o quê e quem? Bem, sobramos nós: cada vez mais fodidos e a ter de levar com a novela.

Hipatia disse...

Maria Árvore, o meu melhor amigo é licenciado na Universidade do Porto em Engenharia Electrotécnica. Como a UP tem acesso directo à Ordem, o meu amigo só não é Engenheiro porque não paga as quotas. E, no entanto, é tratado por Engenheiro onde quer que vá, por aquilo que o Sócrates chamou “uso social” e que agora todos dizem que não existe, quando todos sabemos que é o que mais há. O meu amigo é Professor Associado. Não precisa do Engenheiro para nada. Eliminou o título de todos os documentos oficiais onde tem voto na matéria (cartões, cheques, etc), mas não é isso que impede que – incluindo todos os lados onde passou como professor – não seja tratado por engenheiro. Se fosse a corrigir o instituído, não faria mais nada o dia inteiro. E depois há as provas… Ora eu já vi muita insinuação. Muitas mesmas. Mas estou à espera da prova. Já viste alguma? Ou este último boato dos números de telefone serve? É que, então, está tudo errado e ninguém pode pedir uma segunda via de nenhum documento com dez anos. Ainda o acusam de o ter forjado por, agora, o roda-pé está errado. Mas do que é realmente importante ninguém fala: da política. E o homem – num País que até já estava a habituar-se a fujões – parece que quer fazer alguma coisa. Só tem feito merda, é verdade. Mas muita dessa merda era precisa, para ver se o País sai da fossa. Está a doer? Claro que está a doer. Dói especialmente a quem não faz parte do gangue do compadrio. Mas também deve ter doido a mais alguém… só assim se percebe esta sanha. É mentiroso? Ah pois é! E qual é a novidade? Não presta como PM? Esperem pelas eleições e corram com ele. Já corremos com outros antes... Mas na secretaria e com esta campanha esquisita? Poupem-me, mas isto cada vez me cheira pior e não sei se é do lado para onde todos agora apontam o dedo.

I. disse...

Neste assunto discordo de ti, e tenho uma opinião mais próxima da Maria Árvore. Para mim tanto valia ser um diploma de licenciatura como um de quarta classe, o que importa é o chico-espertismo subjacente, de um totó que fez da política carreira e por portas e travessas decidiu acrescentar um prefixo ao nome para fins de credibilidade. Há lá coisa mais saloia? E desonesta? E isto que diz do carácter da pessoa em causa?
O tipo tem feito muita borrada no governo da nação, mas isto é apenas um reflexo de quem ele é na verdade. Uma fraude.
Olha que andei numa faculdade que não primava pela ordem administrativa (casa de ferreiro...), mas ainda me lembro dos meus profs, da data em que conclui o curso... Nisto tudo choca-me a forma como se branqueia a atitude do primeiro. Como se tirar um curso por favor fosse uma coisa aceitável ou normal. Caramba, estamos na Europa ou em África?

No meio desta treta toda, há uma coisa positiva: ninguém cala a comunicação social, e nisso vê-se que ainda somos uma nação livre. O programa de ontem dos Gatos, seria possível 20 anos atrás, no tempo do Cavaco? Fica esta réstea de esperança.

_ba_ disse...

Bolas, bolas, bolas ...
Vim eu aqui "espreitar" e deparo-me com esta "violência"?
Sinceramente para mim tanto me dá como deu que ele seja licenciado ou não desde que levasse o País a "bom porto" mas, da maneira que isto vai, acho que qualquer um que ascenda à "cadeira" se importa mesmo é com a própria pele!
Eu até nem me devia queixar pois nunca votei na vida e, tal como diz o meu Pai, tenho culpa pois assim em vez de contribuir (nem que votasse no BE) acabo por compactuar ...mas, ao longo destes meus (quase) 39 anos não consegui ver nenhum político que me inspirasse confiança suficiente para me dar vontade de ir às urnas!
Claro que isto está difícil mas enquanto vivermos numa sociedade de consumo em que o importante é ter o carro xpto, o telemóvel xpty, o portátil xpto também tudo nos vai passar ao lado por isso talvez os nossos filhos possam fazer alguma coisa por isto pois eu não tenho nem paciência nem vontade de me mexer por vezes :-(
É triste mas também eu só me preocupo com a minha família e em ter comidinha no frigorífico pois o resto, sinceramente, passa-me "completamente" ao lado ... embora seja uma "moura" e até viva na bela Linha de Cascais :-)

Filipa disse...

Por mim o senhor até podia ser sapateiro, que me era indiferente. Mas acho que até se fosse sapateiro era um mau sapateiro.

Está a doer sair da fossa está! Acho que não estamos a sair.. estamos a chafurdar! Está a doer porque continuas a ver benefícios a quem não deve ter, frotas de carros renovadas constantemente, sorrisos cínicos como se estivessemos numa época das vacas gordas, ou como se o povo vivesse feliz e contentinho da vida... Mas concordo que isto não é de hoje ou de há 2 anos atrás. Mas tudo quanto é do PS (excepto o António Barrento) me enoja e repugna.

E irritam-me estas merdas de forjar e rasurar documentos, tenham pachorra!

Como diz a Maria Árvore:
"E pior do que isso é que o seu caso enquanto primeiro-ministro valida o chico-espertismo de passarmos por ser quem não somos, valida a predominância da imagem sobre o conteúdo, valida que quem tem poder como que adquire o direito de enganar os outros".

Enfim.. é tuga!

beijinhos

Filipa disse...

errata: É Barreto o nome! lolol

marta disse...

Já cheira mal Hipatia é verdade.

Quem as faz ao Belmiro paga-as, isso toda a gente sabe.

Ao PSD também faz jeito, vide a posição de Marques Mendes, mal acabou a transmissão da entrevista e se viu que o 1º se safou muito bem, para a maioria dos votantes.

Pode doer à direita e à esquerda, mas o que se estão a fazer, por muito que doa a todos nós, é como disseste, o que se tinha de fazer.

Não acredito que consigam dar cabo do Sócrates com isto; pode vir a ser um tiro no pé do Marques Mendes.
O Bloco de Esquerda e o PCP puzeram-se de lado e bem.

SilentFreak disse...

Isto é um rogo: digam-me o que é que o homem (homem ele é, ou acredito eu, espero que não embirrem por supor pelo menos isto) fez, ou disse, ou escreveu, que o favoreceu desonestamente nesta vida, nesta dita escalada ignóbil ao poder para nos passar a perna e deixar-nos na cauda da Europa. Mas digam-mo num estilo diverso do habitual, do que tem sido, o estilo de quem tem dito que Sócrates é desonesto porque arranjou um título que não mereceu, porque recebeu notas de um só professor num dia em que não era previsível acontecer, que isto ou que aquilo. Contem-me antes o que é que ele fez para infamemente ter esse título (não há mesmo, de certeza absoluta, mais "engenheiros" neste país nas mesmas circunstâncias? hum?), contem-me o que foi realmente ilegal no processo da sua educação. Normalmente quando suplico este tipo de explicação desatam dizendo que o PM era um mau estudante, foi um "desenrasca" toda a sua vida. . .bem, e os outros "desenrascas" que são quase todos, mesmo não sendo PM? E o que é isso do desenrasca que é tão ilegal ou desonesto? E ainda assim, em última instância, contribuiu isso para ele ser um mau líder, um mau gestor? Então se é esta a derradeira conclusão, não resta mesmo mais nada do que se dizer que não se gosta dele e votar noutra pessoa de que se não goste menos nas próximas eleições. Fora isso. . . só vejo que tudo isto tenha serivo para deprimir o país (pelo menos a minha parte dele, eu) com tanto barulho, tanta confusão...porquê afinal?

Hipatia, obrigado pelo post.

Hipatia disse...

Vamos cá ver uma coisa, I: qual chico-espertismo e quais vias travessas? É que eu ainda não vi provas. Vi muitas insinuações, é certo; vi também a entrevista do PM e, até porque sei como era o Ensino Superior há dez anos atrás, pelo que não me surpreendem sequer as incongruências. Mas é culpado um aluno pela má gestão da Universidade? Só porque este aluno chegou a PM? Ou agora vamos sondar todos os CV de todos os alunos de todos os cursos para ver qual deles não está correcto e depois assumir que não está correcto porque houve favorzinhos? Quanto a lembrares-te do nome dos Profs… Olha, ainda bem. Eu, que sou péssima para nomes, lembro o nome próprio da professora primária e vá lá… Mas ponham-me os tipos à frente e não há cara que me escape. O mesmo para as datas. Então a memória de cada um de nós é bitola para as dos outros? Nesse caso, acreditaria piamente no PM, já que também tenho má memória para nomes. Mas nem sequer é assim. Na verdade, até estaria aberta à possibilidade de o achar um perfeito mentiroso. Mas não com base em insinuações. Todos sabemos que o compadrio e o favorzinho são mote na política portuguesa. Mas este “todos sabemos” é porque nos interessa saber, não porque tenhamos provas. E eu ainda acho que falta provar muita coisa neste processo. Especialmente a grave acusação de fraude. Não pode ser feito com base no boato e no diz-que-disse. Afinal, estamos onde? Num qualquer país em que se é culpado até prova em contrário?

(juro que nunca pensei ver-me no papel de defensora do Sócrates, mas… porra! isto cheira-me demasiado mal)

Hipatia disse...

Claro que todos nós nos preocupamos com o nosso umbigo e pouco mais, Ba. E eu - que sempre votei - tentei fazê-lo em consciência, escolhendo aquela que, em dado momento, me pareceu a alternativa mais viável. Além disso, tento aceitar as regras da democracia: nem sempre esteve no poleiro a minha inclinação ideológica, mas sempre tentei descortinar o bom e o mau desempenho político e as suas consequências na minha vida. Neste momento, temos um meco que ganhou as eleições com uma maioria absoluta, apresentando um programa de governo. Está a pô-lo em prática? Está a reformar o País como é preciso? Está a mexer em lobbies importantes? Cada um que responda como acha melhor… Eu sei que estou pior hoje do que há 10 anos. Sei como me afecta no dia a dia o preço da gasolina e gostaria muito de ver o governo a descobrir porque não funciona o mercado e as gasolineiras continuam a apresentar preços tão iguais; gostaria de ver a justiça a funcionar, para além das notícias sensacionalistas e as indemnizações devidas a serem pagas; gostaria de ver o poder monopolista de meia dúzia de espertalhões a ser controlado; gostaria de saber que ninguém tem medo de trabalhar por objectivos e muito menos medo de ser avaliado por um palhaço qualquer de nomeação política; gostaria de ver que o País deixa de ser só a capital e que o centralismo galopante é controlado; gostaria de ver o poder de uns quantos caciques da política e do futebol a serem controlados; gostaria de acreditar que esta nova geração de políticos tecnocratas onde se insere o Sócrates e mais uns tantos de todos os espectros políticos fazem mais do que revezar-se no poleiro e viverem (bem) à nossa custa. E, ainda assim, acho esta campanha descabida, quase cortina de fumo para esconder muito mais. E não vou por ai: quanto mais falam, quanto mais escrevem, quanto mais dois jornais “de referência” se enfrentam com notícias que só aparentemente o são, mais estranho acho tudo. E, quando acho estranho, costumo pensar quem ganha e quem perde. Ora, tirando o povinho que está fodido à partida, a quem convém denegrir a imagem do PM?

Hipatia disse...

Misty eu não tenho as tuas certezas em relação às ditas provas. Não tenho mesmo. Era preciso não ter visto já demasiada coisa para resumir agora as coisas num preto e branco. E, neste processo, nada me parece ser a preto e branco.

Estamos na fossa hoje, é verdade. Mas estamos a cair na fossa há muito tempo. As frotas de carros topo de gama não são de hoje e não são sequer privilégio dos governantes: quantos empresários não desviaram os fundos comunitários para carrinhos espalhafatosos? E porque será que ninguém fala, por exemplo, que ao fim de muitos anos o Financial Times tem finalmente um artigo favorável a Portugal? É mais importante lavar a roupa suja do Sócrates do que saber que o País está a recuperar prestígio internacionalmente? Ou porque não se debatem a sério os impostos? Ou porque aparecem propostas para os baixar agora quando todos sabem que não é possível? Ou porque se discute a Ota como se fossemos todos autistas? Ou porque se esperou dez anos e dois anos de Governo para lançar agora este assunto, quando todos sabem que há muito tempo ele já era lançado para quem o quisesse apanhar?

E em que é que o alegado chico-espertismo do PM faria de nós, neste momento, um País mais capaz?

I. disse...

Quanto á questão do ónus da prova, eu divido-a em duas partes:
1) uma pessoa que se diz licenciada tem que provar que o é;
2) quem acusa alguém de ter uma licenciatura falsa ou obtida com falsos pressupostos tem que provar a fraude.

Ora até agora o primeiro ainda não conseguiu provar que é licenciado. Aliás, o seu curriculum até foi alterado em diversos sítios, incluindo boletim da assembleia. O que é isto senão um grande esturrico? E que dizer de certificados de habilitações com datas e notas díspares? E falta de explicações para coincidências de professores regentes em 4 cadeiras?

Pelos vistos o tipo assume que não é licenciado, se agora se subscreve como engenheiro técnico. Ora então, e apesar de a fraude não estar provada, pelo menos está provada a mentira. Ele apresentou-se, conscientemente, como algo que não era. E isso não será crime (até ver...), mas é uma fraude quanto ao carácter da pessoa em causa. É a essa fraude que acuso.

Já agora: votei Sócrates. Arrependi-me logo no primeiro ano subsequente. Fui enganada, e não levei muito tempo a percebê-lo. Isto é só a cereja no topo do bolo.

Já agora (nº2, lol) que estou numa de contrição, também votei Guterres. Peço perdão. Publicamente. O vosso castigo nunca será tão mau como o meu arrependimento.

Hipatia disse...

Sabes, Marta, eu até acho que o Belmiro é bem capaz de ter mais o que fazer. Mas que há por aqui interesses, há. Às tantas, até há interesse do Sócrates. Nem sequer me espantaria se ele fizesse um número à Alberto João: afinal, perante o actual cenário político, quem achas que ganharia as eleições? O que sei é que estes tecnicozinhos que fazem hoje a política em Portugal são todos demasiado parecidos: são os boys do PSD e os boys do PS, prontos a alternarem conforme lhes der jeito, com lugares garantidos em qualquer lado caso a maré vire para um lado ou para o outro. E há sempre um tacho à espera de todos. Isso parece-me evidente. Como me parece evidente que este assunto foi empolado artificialmente e continua a sê-lo. E que todos gostaríamos de ver ali a culpa e um culpado e, por uma vez, ver um castigo. Mas não me parece que seja caso para tanto: com sempre, a culpa morrerá solteira e talvez leve a tiracolo o boato que a matou. Talvez… Agora, por mais que me pareça isto tudo, não posso provar nada, não é? E afinal não são precisas provas? Eu pensei que seriam…

Hipatia disse...

Não me parece que o Sócrates tenha sido alguma vez um mau estudante, SilentFreak. Aliás, perante todos os documentos até agora apresentados e fazendo de conta que não existem os da UnI, diria que foi um estudante razoável. Provavelmente não foi um Marcelo Rebelo de Sousa, mas também não era aluno de 10 valores. Ora, essa parte parece que não interessar. Como poderia interessar se o objectivo é insinuar que ele “comprou” com favores a licenciatura?

Mas sabes, num País que não lê jornais mas vê televisão e pouco se importa com a opinião dos “fabricadores de opinião” oficiais, não sei até que ponto o povinho ficou mais deprimido com esta história. Acho que o povinho a segue tipo novela e está-se bem a marimbar. O povinho, afinal, já vai estando habituado e afinal era pior para o povinho se as insinuações de Santana Lopes durante a campanha eleitoral fossem verdadeiras: o povinho aceita sempre um PM mentiroso, agora um PM paneleiro é que não :)))

Hipatia disse...

Desculpa, I., mas ele provou que é licenciado: apresentou um certificado passado por uma Instituição que, por mais dúvidas que te levante, à data tinha licença (do Estado) para passar esse certificado. Fê-lo apresentando ainda todo o restante percurso académico em Instituições que ninguém questiona. E, no entanto, porque não vão também saber dessas? Ao fim deste tempo todo, às tantas ainda têm ali muito mais pó para levantar. Agora, se tu não acreditas na licenciatura que foi dada a Sócrates pela UnI, já é outro assunto, mas em que provas te baseias para o questionar? E em 95 ele era mesmo engenheiro técnico. Ou será que o curso de 4 anos de Coimbra também não vale? Quanto à licenciatura, o ISCTE pelos vistos acreditou que era verdadeira… Será que não viram bem no ISCTE os certificados apresentados quando o deixaram inscrever-se no MBA?

Eu votei contra o Santana e o Paulo Portas. Vi-me na necessidade de votar Sócrates mas, desde o início, fi-lo sabendo que estava a votar no mal menor. Deve ser por isso que, até à data - e perante as alternativas - continuo a achar que votei como deveria ter votado. É que eu assumo-os a todos como mentirosos e interesseiros e não é por esta treta que vou passar a achar que este é mais.

Filipa disse...

Sim, tens razão. Claro que um aluno não deve ser penalizado por o mau funcionamento da faculdade. Para mim é de facto irrelevante se há diploma ou favorecimento (este último complicadíssimo de provar).
Não interessa. Who cares? E se existir, faz-se o quê com isso? hã?

O que me incomoda é a naturalidade com que se omite ou altera tudo. O encolher os ombros quando sobe os impostos, a gasolina o gás, luz, etc, etc. A naturalidade de se saber que outro politico qualquer faria o mesmo, a naturalidade de se encarar que enfim, estamos na cauda da europa a receber subsídos que não se sabem ao certo para onde vão, a naturalidade do desemprego porque 'estamos a atravessar uma fase complicada' e o zé povo que se aguente, a naturalidade dos subornos, dos apitos dourados, dos sacos azuis, dos tachos, das panelas e das paneleiradas todas que não nos fazem sair da cepa torta. É o filho da mãe do fado e uma resignação perturbadora. E isto no fundo não tem nada a ver com universidades ou engenheiros.

beijinho grande!

Hipatia disse...

A política há muito que deixou de ser praticada (não digo feita, apesar de tudo...) por um punhado de gentalha cheia de técnica e manhas. Já não é vocação; é um trabalho bem pago, com muitos trabalhinhos por fora. Talvez devido à alternância, isso é especialmente evidente entre os actuais tecnocratas prontos para o poleiro dos dois maiores partidos. Mas depois parece-me haver sempre mais. No caso, um excesso de zelo dos fabricadores de notícia. Não lhes chamo jornalistas, claro, porque duvido que a maioria tenha a carteira profissional em ordem. Mas nem viria dai mal algum, se houvesse também ali vocação. E muitas vezes não há sequer competência. E também me irrita profundamente o cheiro a putas velhas que tudo isto lança. E não acredito que seja assim que se livra o País dos chulos, até porque chulos há muitos e, como sempre, há os que se ficam pelas ruas bem visíveis e os que se escondem nos gabinetes. Tresanda! Tudo tresanda. E não é fado nem resignação. É poeira, cortina de fumo. O que importa jamais será revelado: queimaria como incêndio de verão, sem poupar nada que lhe aparecesse pela frente.

Anónimo disse...

Mais Vozes

é a primeira vez que leio uma coisa razoável sobre todo este caso do nosso PM.
fábula | | Email | Homepage | 04.16.07 - 9:19 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

Olha, eu hoje descobri uma pérola aqui: http://www.correiomanha.pt/notic...al=93& id=238674


Hipatia | | Email | Homepage | 04.16.07 - 6:28 pm | #