2007-04-27

Hoje matar-te-ei




Mato-te! (Pois se mato em cada dia uma espera.)

Mato-me! (Faço-o em cada espera que adio.)

Mato-nos! (Se não somos corpos geminados, nem raiz à flor da pele, só me resta expungir isto que somos e não somos.)

Mato isto que nos tem. Mato também o que não temos. Mato tudo, gulosa de coisa nenhuma. Mato o desejo. Mato o tempo. Mato o fado. Mato-te matando-me. Mato-nos. Mato a memória. Mato o fim. Mato o início. Mato o meio. Mato tudo de permeio. Mato esta espera desesperada. Mato o não. Mato o sim. Mato o medo. Mato a coragem. Mato tudo. Tudo!

Que adiantava estar aqui, livre, a dar-me por inteiro, se não terraplenasse toda a história? Que adiantava querer renascer se não enterrasse o que foi? Que adiantava querer-te sem ser esta folha rasa de coisa nenhuma, pronta a ser manuscrita de números mínimos e máximos em cada linha, como que tabelada num qualquer auto-de-fé? Que adiantava querer-me sem ser folha em branco? Que adiantava querer-te morto de desencontros, preenchido de intermitências?

Não consigo? Pois já sei… Mas ainda assim mato-me. Mato-te. Mato-nos. E nos teus braços sou criança ainda, no teu corpo sou gestação.

Matei-nos? Não! Renasci-nos...



(não sei fazer contos; não tenho tempo para contar… serve assim, Finúrias?)

5 comentários:

maria disse...

Olá Hipatia,

Cheguei aqui através da Viajante, do Espelhos e Labirintos e gostei.
Gosto da tua forma desabrida de escrever. A tua escrita é simples, directa, irreverente e despretensiosa. Já ganhei o dia ao descobrir-te!

Um beijo.

Hipatia disse...

Bem-vinda, Maria. E obrigada por esses elogios todos :) Confesso que gostava de ter um estilo menos enfeitado, mas vou soterrando as ideias em adjectivos. E também podia ser menos preguiçosa, escrevendo com calma os posts, em lugar de acumular letras, publicar e, depois, andar a corrigir os erros. Mas é que não tenho tempo nem quero permitir que a Voz me roube demasiado tempo. Mas o prazer de escrever é um vício que cultivo. Se alguém gosta, então quem ganha o dia sou eu :)

Fábula disse...

para quem diz que não tem jeito... contaste muito bem! ;)

Hipatia disse...

Obrigada, Fábula :)*

Anónimo disse...

Mais Vozes

Pois para alguém que não sabe fazer contos, Hipatia, esse feito é um bom conto; e, se me permite dizer, bastante interessante. Botou-me à pensar.
Lagartixa | | 04.27.07 - 12:35 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

Matava-te se hoje não me contasses um conto!

Serve serve

Beijao
Finurias | | Homepage | 04.27.07 - 10:51 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

Muito bonito.....

Gosteii muito .... Escreve mais contos mesmo sem saberes contar... LOL Nós damos um (diz)conto LOL

Beijinho
Queen of Hearts | | 04.27.07 - 7:46 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Obrigada, Lagartixa

Mas de facto ando demasiado cansada para fazer qualquer coisa com mais ar de história para contar
Hipatia | | Email | Homepage | 04.27.07 - 10:16 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Olha, também se não servisse, não havia mai'nada :P


Hipatia | | Email | Homepage | 04.27.07 - 10:17 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

lol, Queen of Hearts!

Está mesmo a precisar de um desconto para (diz)contar
Hipatia | | Email | Homepage | 04.27.07 - 10:18 pm | #