2007-12-21

Encruzilhada


Blue Ice


Hoje de manhã o frio mirrou-me toda. Ando mirrada, encolhida. Bato o dente, esfrego as mãos, atrevo-me até a um "Parabéns, Old Man" irónico ao fulano da bomba de gasolina, todo contentinho no seu fatinho de flanela vermelha e barbas postiças de qualquer coisa parecida com algodão branco sujo. Sorte a minha, que não preciso fazer tal figura e, no entanto, penso na figura que faço, toda encolhida, mirrada, a bater o dente. E a imagem do tipo da bomba de gasolina vestido do gajo da coca-cola, persegue-me como um balão de BD onde apenas cabem reticências. E juro que deve ser do frio e da falta de um café bem quente, que isto de ter um balão de BD a foder-nos o juízo logo pela manhã não ajuda nada a começar o dia. E também deve ser por isso que me atiro ao trânsito num trejeito gingado, como se fosse uma forma de kung-fu acabadinha de inventar pelo meu eu mais alucinado, aquele que acorda primeiro, especialmente se faz frio. É que está mesmo muito frio e eu estava muito bem na cama e estes tiques natalícios cheios de luzes e anjinhos e embrulhos e anjolas e mais não sei quanto que sai da carteira para comprar o presente que falta, deixam-me a suspirar pelo prémio que até sei que vou ganhar mas que, perante a filhadaputice do tempo e do Sócrates e de toda a corja que o acompanha, mais os Bancos Centrais e as centrais dos bancos e as taxas e o raio que os parta, vai desaparecer para cobrir o buraco na conta mirrada, encolhida, que é tudo o que ainda sobra do mês que começou a 25 e se vai finar amanhã, prometendo um Janeiro comprido, muito, muito comprido.

Só a mim! A quem mais para estas tretas atazanarem os miolos ainda antes do café ser engolido e fazer efeito? E puxo do cigarro, que o carro afinal não é espaço público e, mesmo a tentar deixar de fumar, vejo cada vez mais a cabrice da Tabaqueira e a chulice do Estado, arrebanhado aos impostos que me leva, que continuará a levar, pelo menos mais um ano até que o ano das eleições traga por fim algum alívio, como se voltasse a ser possível dizer "olá, segunda-feira" sem um ponto de interrogação e com um sorriso e sem estar sempre com esta corrente de ar em mim e nos bolsos e mirrada, muito mirrada, cada vez mais encolhida sob uma carga de trabalho, que é a única coisa que ainda me querem dar em excessos cumulativos e até com nova legislação para legitimar o chulanço nacional ao abrigo de uma tal de flexibilidade genuflexória onde ficamos todos com o cuzinho ainda mais a jeito e onde não se vê corno de segurança alguma. E acabo a acrescentar a imagem de um cacique ao pagode nacional que já vai fazendo companhia às reticências que me continuam a infernizar o juízo, enquanto continuo com frio e a precisar de um café com urgência e deito fora o cigarro, enojada com o gosto seco e acre. E olho pela janela e vejo as outras caras e toda a gente demasiado encolhida. E o trânsito complica-se e acabo e chamar palavrões a todos os cromos a quinze à hora a pararem em segundas-filas para se livrarem de criancinhas ranhosas e cheias de frio, prontas para irem treinar mais um bocadinho para nada saberem achando que sabem muito, tirando a parte em que aprendem a dar cabo dos cornos aos professores, mas isso nem o DIAP as convence a admitir que aprenderam.

E continuo com frio enquanto espreito os fedelhos ranhosos e, dentro da minha cabeça, já há um balão de BD tamanho XXL onde agora cabe de tudo, por entre o mau humor que se instala, enquanto desato a fazer filmes de um voyeurismo preocupante acerca da vida dos outros. É que assim talvez me esqueça da minha…



Era assim, Fábula?

(Fica o desafio em aberto para quem o quiser apanhar. Não me apetece encarreirar este post com tanto fel a ninguém, a não ser que me apresentem declaração expressa de imunidade à coisa.)

3 comentários:

rpl1 disse...

kum karalho!
que má disposição. comigo tem sido menos habitual nestes dias. sabes que acordar e ver logo o mar tem as suas vantagens na psique dum gajo... sorry mate!

Hipatia disse...

Acho que nem o mar, lol. Da maneira que ando, só ia saber reclamar da humidade :D

Anónimo disse...

Mais Vozes

era como tu quisesses que fosse
a resposta ao desafio foi excelente, parece-me é que o teu humor está frio, frio como o frio, e nem sei se isso cabe num imenso balão de BD...
fábula | | Email | Homepage | 12.23.07 - 12:56 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Anda mesmo muito frio, o meu humor. E nem se quer vestir de cores festivas. Talvez amanhã melhor: afinal, apesar de ser 2ª feira, não tenho de ir trabalhar
Hipatia | | Email | Homepage | 12.23.07 - 2:47 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

oh, eu tenho de trab e só vou terminar por volta das 21h...
fábula | | Email | Homepage | 12.23.07 - 3:39 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

mas como também não tenho um fabuloso espírito natalício... talvez não perca assim tanto!
fábula | | Email | Homepage | 12.23.07 - 3:40 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

E então? Custou muito?


Hipatia | | Email | Homepage | 12.27.07 - 2:06 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

um nadita, porque depois tive de fazer 100km p/o jantar de consoada com a família... mas até se fez bem!
fábula | | Email | Homepage | 12.28.07 - 11:33 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

Já estavam todos nos morfes quando te meteste à viagem, não é?
Hipatia | | Email | Homepage | 01.02.08 - 9:09 pm | #