2010-05-01

Maias

© Rui Cardoso

Por sorte. Por fado. Por necessidade pagã de conforto. Ou por sentir o ar que vai aquecendo e o verde exuberante e os passeios possíveis à beira mar, pés descalços nas águas frias, enquanto a minha mão se aquece – e me leva junto – e se perde entre o morno dos teus dedos.

13 comentários:

Paulo Abreu e Lima disse...

Repara bem naquilo que te vou dizer...

(Não, é melhor não dizer nada: ainda levo com um tacho, o que é chato - pra mim)

Hipatia disse...

Se eu prometer não te atirar com nada, dizes?

(raios! eu sou curiosa!)

Paulo Abreu e Lima disse...

Tu...

Paulo Abreu e Lima disse...

... estás....

Paulo Abreu e Lima disse...

... bovinamente...

Paulo Abreu e Lima disse...

... in love!

Hipatia disse...

Nem imagino o que te faz pensar tal...

:D

(bovinamente?)

Paulo Abreu e Lima disse...

(claro, gostas mais de "contemplativa", é...?)

Eheheheh... :p

Hipatia disse...

Gosto sempre mais de qualquer coisa "activa", ora!

Paulo Abreu e Lima disse...

Então aproveita activamente essa "passividade encantada", ora, ora!

I. disse...

(só passei aqui para, no seguimento do que já foi dito supra, afirmar que há mais quem tenha reparado.aproveita, melher, aproveita o teu estado de graça. ele há lá cousa melhor? ;)))

Hipatia disse...

Ora ora, nada!

O computador esteve no hospital e agora está a ser reinstalado. Isso é só a tua imaginação :P

(pronto! e algum tempo livre do meu lado, que agora não interessa nada)

Hipatia disse...

(olha mais imaginação à solta :D)