2011-04-01

Oh Caraças

. «A campanha eleitoral deve ser uma campanha de verdade e de rigor. Ninguém deve prometer aquilo que não poderá ser cumprido. Este não é o tempo de vender ilusões ou falsas utopias. Prometer o impossível – ou esconder o inadiável – seria tentar enganar os Portugueses e explorar o seu descontentamento. »

Discurso de PR, 31/03/2011

Mas isto quer dizer o quê? Que partidos tipo BE e PC, sem ambição de serem governo e por isso sempre tão lestos a prometerem mundos e fundos, ficam impedidos de ir a votos? E onde fica a demagogia dos outros, tipo o PP do PP e os beijos lambuzados nas velhinhas das feiras? E os pequeninos, aqueles com programas para os amigos? Só nos sobra a alternância do costume e, mesmo assim, desde que nenhum dos actuais dirigentes e militantes se possa apresentar a votos? Oh senhor Presidente, até parece que já não anda a chafurdar na pocilga da política portuguesa há muitos (demasiados!) anos e com as suas mentirinhas e explorações pelo meio!

6 comentários:

☆Anjo☆ disse...

Oi Hipatia! Falar de política é difícil pois dá raiva, né?!
Os povos têm direito a voto, mas a cada eleição é sempre a mesma história! Ótimo post!
Um ótimo início de fim de semana pra ti!!! Beijinhos, bye bye

Bartolomeu disse...

Depois do discurso do presidente, vai surgir em campanha, uma revoada de virgens! As mesmas que ontem, eram as mais reconhecidas prostitutas do reino.
Vaissaver... o pessoal até merece...

mfc disse...

Cadê os outros dois?! Os lindinhos do centrão?!

Hipatia disse...

Dá muita raiva mesmo, Anjo. Especialmente com a merda dos políticos que temos em Portugal :(

Hipatia disse...

Não concordo, Bartolomeu: é que não são as putas que vão a votos. Essas devem estar numa esquina qualquer a dar o corpinho ao manifesto. São os filhos delas e os chulos que por lá vão aparecer, como aparecem sempre, como lá andam inimputáveis há demasiados anos.

Hipatia disse...

Os outros dois são os da alternância do costume: os que, querendo sempre ser governo, há anos que se limitam a foder esta merda toda enquanto distribuem prebendas e enchem os bolsinhos.