2011-04-25

O que faz falta

aqui
Hoje e como sempre, cravos pelo meu avô, pelo meu bisavô, pelos meus que foram à Guerra, pelos que por cá ficaram e resistiram e foram perseguidos e insultados e sobreviveram à pobreza e ao tal de deus pátria e família e que não se foram a salto, até ao dia em que o salto foi realmente dado, mas para a liberdade, consagrada nas ruas antes de haver tempo para ver o tempo andar para trás.

E mesmo que já tão pouco reste desse tempo, para além das homenagens, ou dos cravos que, por memória e respeito, deveriam sempre enfeitar este dia.

4 comentários:

mfc disse...

A memória obriga à reinvenção... urgentemente.

João Andrade disse...

Olá tudo bem ? Estou aqui visitando o seu blog e gostei muito do conteúdo. Procuro parcerias com outros blogs se interessar pra vc entra em contato comigo no blog ou no msn ok? CONTO TAMBÉM COM UM ESPAÇO PARA DIVULGAR OUTROS BLOGS PARA PARTICIPAR É FACIL BASTA VC ADICONAR ESSE ENDEREÇO NO SEUS CONTATOS DO MSN : group1382564@groupsim.com NESSE CHAT VARIOS BLOGUEIROS E AMIGOS DE BLOGUEIROS PARTICIPAM DIARIMENTE , PARTICIPE !!!!abraço.ACESSE: www.girodigitalnews.blogspot.com

Hipatia disse...

Cada vez mais urgente essa reinvenção, Manel. Mas, ao mesmo tempo, sem desbaratar a memória e os seus símbolos. Hoje, como nos últimos anos aliás, voltei a engolir um sapo por ver como o cravo não se crava nem por nada a certas lapelas.

Hipatia disse...

Olá, João. Obrigada pelo convite, que lamento declinar. Este espaço, para o qual tenho cada vez menos tempo, gosta de se manter longe de grandes confusões que a tal da falta de tempo não permite alimentar.