2012-10-11

Zombie


Nas últimas eleições para a Presidência da República tivemos a candidatura de uma convenção geriátrica, de corpo e mente e forma de fazer política, todos tomando a polis para seu interesse e nunca pelo interesse da polis. E ganhou a fava. Ou saiu-nos a fava: um Presidente abestido, de discurso azedo e ressabiado mesmo quando quer ser inócuo; um PR que foge do povo para o cu de Judas do 5 de Outubro para não enfrentar quem devia representar; um velhote que como político nunca valeu um vintém e fecha sempre a boca quando deve falar, só a abrindo para deixar cair migalhas de bolo-rei ou resíduos que fazem notícia nos jornais espanhóis. E o pior é que já sabíamos o que aí vinha, mas ainda demos a esta nódoa alojada em Belém segunda hipótese de (não) brilhar. Agora, com um governo de loucos incompetentes ao leme, estamos realmente órfãos e, por isso, talvez só nos sobre realmente a rua. Só falta saber por quanto tempo a rua continua pacífica.

2 comentários:

pé-de-cereja disse...

Eles tanto queriam «uma maioria, um governo, um presidente»
Cá a têm!

Hipatia disse...

Verdade! E que rica merda temos :(