2006-12-02

Um blog de gaja


aqui


Entro direitinho na categoria do blog de gaja (e esqueçam agora por momentos que a doçura do Gaivina também se espalha por aqui em textos), daqueles blogs que tresandam mesmo a gaja e dizem tesão e orgasmos e sexo e desejo e sei lá mais o quê. E ainda digo palavrões e escrevo os nomes do desejo em vernáculo, sem pudor em dizer caralho e admirá-lo assim, belo e erguido; ou dizer cona, sabendo e deixando saber que tenho uma; ou mamas, ou pele, ou pêlos, ou cheiros, ou vida.

E é que é isso mesmo: falo de vida sem pudor. Recuso-me ao estereótipo cansativo da menina sonsa e bem comportada que só no MSN liga a webcam ou então só fode mesmo em palavras, para que ninguém lhe veja as fuças. Ou os blogs de gajos estafados, já sem força para mais, refugiados na política e no futebol e atulhados do refugo da mentalidade que lhes ensinou que não se mostram os sentimentos, que parece mal, cai mal, e escrevem posts atrás de posts que se lêem em três minutos e a seguir viram para o lado e ressonam nos arquivos.

E com tanto texto que tantos depreciam como "de blogues de gaja", resta-me saber que os meus (alguns, alguns…) são lidos por homens e mulheres de mente arejada. De gente que não põe rótulos, tirando uns quantos carinhosos, que ainda estou a habituar-me ao Ludovina.

Mas até é mais do que isso. É que eu cá acho que esses críticos de pacotilha, mais sonsos e preconceituosos do que a maior da sonsas, mais encarquilhados em medos do que qualquer paciente de terapia, escrevem sempre mais do mesmo porque ainda ninguém lhes inventou um viagra para a imaginação. E, claro, tão doutas personagens nunca se atreveriam a contar que sim, que também tomam, que de vez em quando (pelo menos) é preciso dar mais do que duas de letra.

E este blog de gaja, perdido e sem papas nas teclas, com dois sistemas de comentários e mais o mail pespegado no topo, só teve que lidar, em mais de dois anos de existência, com um saltitãozeco à caça de qualquer coisa a que ele, coitado, às tantas chamava engate, mas a mim só fez gargalhar.

E nem gajos nem gajas, nem coisas disfarçadas, nem pinga-amores ou pobrezinhos à procura de colo. Nada. Nicles. Népia. O blogue de gaja que fala de sexo e tesão e caralhos e fodas e desejo, é um blogue sem ataques reptilianos, tirando uma serpente das do costume, facilmente reconhecível pela dor de corno e, ainda assim, sem presença suficiente para entrar para a estatística.

Ter um blog de gaja é bom! Tão bom!

Claro que, no entretanto, há sempre alguém que me diz que eu assusto e não tenho ar de aguentar com abelhudos minguados nem na minha vida, nem na minha caixa de comentários, muito menos no meu e-mail. Ah! O MSN só lá tem amigos e a webcam não funciona…

Às vezes até me sinto discriminada… é que gosto tanto de ser gaja e escrever coisas de gaja…

39 comentários:

Luna disse...

São textos como estes que me fazem voltar cá, desde que te "conheço"! Muito bom!!!

fábula disse...

tu és uma gaja, certo? então este é o teu blog, gaja! ;) jokes à parte, ñ sei se há uma tipologia pré-definida... ou gosto de um blog, ou ñ gosto. simples! =)

Gaivina disse...

Nem sempre é fácil conviver num "Blog de gaja". Às vezes não concordo com os pontos de vista, outras vezes maravilho-me com um universo tão desconhecido pela maioria dos homens. Talvez seja pelo facto de ter sido educado entre mulheres (de grande valor!) tendo perdido uma boa parte dos modelos machistas dentro da família.
De qualquer forma, é sempre muito gratificante participar nesta casa onde tudo se trata pelo verdadeiro nome: do Amor á tristeza, passando pela raiva e desembocando numa reflexão construtiva.
Muito haveria ainda para dizer....gosto de estar por aqui.
Um grande beijo para ti, Hip.

Hipatia disse...

Uma vez a Vanus disse-me que eu escrevia tanto melhor, quanto mais irritada estivesse. Às tantas a Vanus tem razão :)

Mas, sabes, há coisas que me tiram mesmo do sério e, volta e meia, encontro umas coisas que... ainda bem que só muito raramente me perco dos caminhos do costume nesta blogocoisa cheia de teias de aranha em alguns sítios.

E tu também não tens papas nas teclas, não é?

Obrigada, Luna :)

Hipatia disse...

Também eu, Fábula: pouco me importa o sexo de quem escreve; basta que escreva coisas de que gosto. E confesso que me farto facilmente de ver declinações sucessivas de temas e pessoas que querem sempre enfiar tudo e todos em fatos por medida. Este não é o tão apregoado espaço de liberdade? Então porque tem tanta gente medo de ser livre?

Hipatia disse...

Temos backgrounds tão diferentes que o estranho seria que, por vezes, não tivesses de discordar com o que escrevo. E, no entanto, nunca esqueço que me fizeste o melhor dos elogios: com tanto blogue por onde escolher, escolheste este para deixar as tuas coisas. Mesmo que eu (e a Maria Árvore, eheh) te assustemos de vez em quando (lembras-te disso?)

E eu gosto de te ter por aqui :)

gaivina disse...

Bem...Quando a Maria está naqueles dias...Os homens que saiam da frente! EH!EH!EH!

Hipatia disse...

(LOL! Acho melhor deixar que seja ela a responder-te a esta...)

maria_arvore disse...

Hipatia,
há por aí uns gajos que como não têm imaginação para escrever mais nada que cópias dos jornais e também não têm tomates para terem opiniões, classificam os "blogues de gaja" em termos depreciativos, como que a quererem colarem-nos a pornografia à pele como sinal de mau porte e a exposição das emoções como fragilidade feminina.
O teu post responde-lhes à letra: o teu é um blog de alguém que gosta de ser quem é. :))


Gaivina,
não sou mulher de me deixar ficar e quando acredito em algo, levo mesmo tudo à frente. É que apesar de até usar saltos, um perfume da Kenzo, lingerie acetinada e string, também sou capaz de fazer o jogo do braço, pegar num gajo ao colo ou pregar-lhe uma valente joelhada.;))
Em suma, acredito que as diferenças entre homens e mulheres estão na sua opção sexual. ;))

velvetsatine disse...

CLAP CLAP CLAP :)))

gaivina disse...

Maria,
Quanto ao bom gosto da lingerie não farei muitos mais comentários: inscrevem-se, claramente, no meu conceito estético.
Quanto á linguagem belicista da "joelhada" (etc) para definir a relação entre homens e mulheres, talvez o teu discurso se baseie no teu percurso de vida; existindo outros de expressão bem diversa e final feliz.

gaivina disse...

Agora vou escutar assobios da Velvet....

gaivina disse...

É pá...querem ver que ando traumatizado?... :)

Hipatia disse...

Será que andaste a ler as mesmas coisas que eu, Maria Árvore? E sabes, quase sinto pena de alguns: dos óbvios que andam à caça, das sonsas que querem ser caçadas, dos frígidos (que os há, chamem-se a eles mesmos o que quiserem)...

Não sei se gosto sempre de ser quem sou; há muitos dias em que enjoo de mim. Mas já estou demasiado crescidinha para querer parecer o que não sou. E demasiado empurrada pela vida para cá e para lá para reconhecer na misoginia o medo. Fede a medo. E é um medo bafiento e antigo de quem não sabe ser mais do que um amputado emocional, chamando despudor à vida e às emoções e vestindo um fato preto salazarento cada vez que vê "palavras feias". Então se forem ditas por uma mulher...

Hipatia disse...

Ui! Também já o sentiste, Velvet?

Hipatia disse...

Gaivina, desculpa, mas eu cá estou com a Maria Árvore. Não é uma questão belicista. É saber que nos valemos por nós mesmas, que temos a emoção à flor da pele e o direito de usar a feminilidade como nos apetecer. Mas também a força, feita de anos e anos a lutar contra o preconceito machista, para também dar colo e pegar ao colo e, se for preciso, até espetar com uma joelhada onde mais dói.

As relações entre homens e mulheres não precisam ser feitas de conflito. Mas são muitas vezes. E, se queres saber, porque não temos nem pudor, nem medo, das nossas emoções, talvez seja uma guerra que no fim vencemos bem melhor.

gaivina disse...

de facto sou um inadaptado, devo ser de outro planeta: não me revejo nos gestos mais gerais dos homens contemporâneos nem vos entendo a vocês...(por vezes.... :o))

gaivina disse...

Talvez este meu "desentendimento" seja a minha maior riqueza...

ela anda a partir pedra e eu nas tintas disse...

Ops ,li e reli este post mas acho que estou como o gaivina ou ainda mais a leste de outro planeta .
Pessoalmente sou receptiva as tuas palavras , choro/rio no teu feminino /masculino vestida /despida etc e nem me apercebi que isso não seria geral ....
Mas a bem ou a mal o facto de haver expressão parece-me importante e que cada qual o faça com o melhor que sabe ....
Escrever é muito difícil, brincar com as palavras para que tenham o seu verdadeiro sentido ainda mais e nisso es campeã .

Hipatia disse...

Antes de mais: Gaivina, não ser misógino não faz de ti um inadaptado. É ao contrário, amigo, apesar das fachadas.

___________

Claire, suponho que tens sorte por ainda não te teres deparado com algumas atitudes. Que eu tenha dado conta, só houve aquele espertinho no Quanticª a tentar irritar-te. Mas o mais certo é encontrares outras coisas, mais cedo ou mais tarde. Até porque nesta blogocoisa tudo é cíclico: há as cliques, os ódios, os interesses, as modas, as votações em qualquer coisa, as micro e macro causas e muita, demasiada gente, que encontrou aqui um púlpito onde esperam conseguir parecer maiores ou melhores do que os outros. No fundo, é o reflexo perfeito do que se passa lá fora. E olha que até a Ségolène anda mais depressa a ser "galada" pelas pernas e pelos olhos, do que pelo real programa político...

Obrigada por gostares das voltas e revoltas que vou dando às palavras.

gaivina disse...

Uma evidência: encontramos mais arte e literatura em Blogs femininos.

ela anda a partir pedra e eu nas tintas disse...

Agora foi uma risada que se me vejo numa desta só com um balde de tinta ....
E descobri que o zésinho chico esperto e um personagem do quântica desde o principio (um traquina)

Anónimo disse...

O que eu adorei o "viagra para a imaginação".´`As vezes também é da idade.
Beijinhos.

Hipatia disse...

Há bons blogues masculinos com arte e literatura, Gaivina. O que encontras em poucos é uma análise profunda ou à arte ou à literatura, no sentido do que elas provocam emocionalmente no destinatario. Estou para aqui a pensar em um, particularmente, que posta seguidos poemas e imagens como se fossem cuecas no estendal. Parece que dizem que é dos mais lidos...

;-)

Hipatia disse...

Antes um traquina que um doido, Claire :) Rir é sempre bom.

Hipatia disse...

Será que é mesmo da idade? Temo antes que tenha havido ali falha no fabrico ;-)

Anónimo disse...

Ludovina...toma lá beijo nas ventas, que hoje apeteceu-me.
;-)

ela anda a partir pedra e eu nas tintas disse...

Hip não sei a que blog te referes se me proporcionares a morada vou lá .....
as imagens falam por si só não precisão de palavras nem de tradução,a palha enjoa - me ...

Hipatia disse...

Jaquelina Pandemónio, se te apetece mandar beijos, mais vale ir já tirar a panela que está ao lume, ou o Pai Natal ainda queima o cu :)))

Hipatia disse...

Claire, não foi apenas num blogue e, mesmo que tivesse sido, não iria pôr o link. A maioria dos egos blogosféricos que me causam desconforto pertence a gente que nunca seria capaz de aceitar uma crítica: nenhum balão cheio de apenas ar gosta de ver por perto um alfinete ;-)

Anónimo disse...

olha que porra!!!
até parece que só te mando beijos no natal
c'um caralho pá!!
:DD

ela anda a partir pedra e eu nas tintas disse...

Ai que a jaquelina me tira do sério e vou tirar os macacos do nariz ...
bah podias mandar o ou os link(s) por outro lado kalker lol ... mas ta .
já disse 1 grande barbaridade porque pus como que 1 regra e não a sua excepção .

Hipatia disse...

Bem, Jaquelina Pandemónio, às vezes também te dá umas coisas destas com as limpezas da Primavera :)))

:P

Hipatia disse...

Não disseste barbaridade nenhuma, Claire, ora essa! Mas eu ando mesmo com maus fígados e não quero contaminar ninguém ;-)

Anónimo disse...

ahahahahah!
a gente dá cabo da Claire!
oh Claire tu não me coles os macacos no volante pá!!
...e é verdade essa das limpezas...mmm...olha que gaita... a ver se não me esqueço
;-)

Hipatia disse...

A ver se não me esqueço eu primeiro ;-)

Anónimo disse...

Mais Vozes

Como editorial, está nos antípodas, digamos, de um do Saraiva. :-p
Jorge | Homepage | 12.02.06 - 8:27 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

Pois, acontece esta variedade na Blogosfera...
Um abraço jorge. Volta mais vezes.
gaivina | Homepage | 12.02.06 - 5:31 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

É por um esforço construtivo, ora


Hipatia | Homepage | 12.02.06 - 5:43 pm | #

António J.S. Cordeiro disse...

Continua a esdrever assim, gostei

Hipatia disse...

O problema é que já não ando a escrever assim em 2011, que uma pessoa cansa-se de tudo e este post é de 2006, quando ainda estava muito pouco cansada do blogue. Mas obrigada pelo elogio :)))