2010-04-29

Dias barulhentos

«Talvez o mundo exterior tenha pressa demais.
Talvez a alma vulgar queira chegar mais cedo.»


Álvaro de Campos

Gosto de um certo tipo de silêncio que apenas advém da fartura. Vem depois de abraços, de saudades, de beijos e de partilhas. Vem e fica, por instantes. E é dele que vou alimentando os dias barulhentos em que quase me perco de mim e das coisas e das pessoas que me preenchem.

4 comentários:

Paulo Abreu e Lima disse...

Boa escolha!

PS1: texto caprichado

PS2: andas pouco esquisita, andas...

PS3: :PPP

Anónimo disse...

já não te estão a doer os pézinhos? é isso? :p

fixe o texto.


vanus

Hipatia disse...

Fã de Álvaro de Campos? E eu que ia sempre achar que eras mais Ricardo Reis :P

E não é esquisitice. É cansaço e sem vontade. Deve ser a tal da astenia, só que, no meu caso, veio um bocado antes da Primavera e talvez se arraste até depois do Verão.

Hipatia disse...

As pernas, miga. As pernas. Não sei como me convences a ir a estas coisas que me partem sempre toda. Mas, de qualquer forma, já alterei as férias para garantir o próximo ;-)