2007-03-29

La Alegria


Yasmin Levi

Gostamos de algumas coisas por motivos evidentes e de outras por motivos menos claros. Talvez neste caso nem seja bem a música e, no entanto, não faria sentido sem a música ou sequer sem a voz. Mas gosto da combinação dos dois nomes da cantora a dizer-nos que os opostos afinal são irmãos e das evidentes influências ciganas a dizer que, às tantas, são trigémios. E como tudo se pode condensar em harmonia, resumindo-se num ai comum. E gosto do bailado intenso e dos corpos luminosos entrelaçados e até do corpo encolhido e só. E da guitarra afoguentada. E dos tantos ais de uma alegria quase penada. Como reconhecer a felicidade quem nunca conheceu o desespero?

(Amanhã vou de férias!)

11 comentários:

maria_arvore disse...

Como os ais são comuns a todas as pessoas, digo que nos sentimos tocados num tema assim puxado do fundo do ser humano.

E assim pressuponho que todos conhecemos a dor. E a felicidade não será a ausência dela?...

(E boas férias!:)) Vai lá arejar a joaninha que bem o mereces por criar uma expressão tão deliciosa :))

vague disse...

Ora bem, a tua frase final.

Outra vez de férias?? acho q vou candidatar-me à tua empresa :)

LP disse...

Boas férias e já agora uma sugestão músical na sequência da Yasmin: Lhasa the sela

_ba_ disse...

Vais de férias? Rica vida :p
Eu ainda esperei que me pagasses um café este fim-de-semana pois constou-me que ias "descer" mas, para variar, lá fiquei a "ver navios".
Espero que estejas a ter umas boas férias e, para a próxima, arranja um tempinho que é para se beber o tal café.

Fausta Paixão disse...

aproveita, querida... e vê se tens cuidado com os pecados da carne que a semana da Paixão está à porta!

Hipatia disse...

A felicidade talvez nos faça pura e simplesmente descartar a dor. Mesmo sabendo que ela existe. Mesmo que esteja ao virar da esquina do futuro ou no cruzamento do passado. Só não importa. Nada importa excepto o feliz que nos sentimos :)

Venho de joaninha arejada. Ainda que não o quisesse, a ventania que fez toda a semana teria arejado qualquer coisa ;-)

Hipatia disse...

Se te disser que são férias por gozar do ano passado ainda queres o meu emprego, Vague Maria? :))

Hipatia disse...

Conheço Lhasa, LP :) Aliás, anda por ai perdida algures pelo blogue o "la marée haute". Dediquei-a então à Vague e à sua Maré Cheia :)

Obrigada!

Hipatia disse...

É verdade, Ba :) Estive ai ao lado e havia quem o soubesse... fiquei à espera de um telefonema, que não queria interferir com a vida social "globenta" do fim-de-semana :P

Hipatia disse...

Tive todo o cuidado em não perder pitada, Fausta :D Pecado era desperdiçar ;-)

Anónimo disse...

Mais Vozes

férias no Allgarve?! ou vens para o Al Gharb?
seja como for, boas férias e... bom regresso!
fábula | Homepage | 03.30.07 - 10:11 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

em relação à pergunta que colocas no final... pois, talvez ñ seja de todo possível isso acontecer. mas, por outro lado, quem já conheceu o desespero, será que alguma vez vai conseguir entregar-se completamente à felicidade? sem aquela dúvida permanente de que poderá acabar, a qualquer momento?

outra coisa:

acho que só agora reparei na frase de apresentação do teu blog "A vida descostura, o homem passa a linha, a corrigir os panos do tempo. Mia Couto"

adoro-o!
embora ainda ñ conheça muitos trabalhos dele, adoro a forma como brinca com as palavras!
SoNosCredita | Homepage | 04.03.07 - 8:34 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Fui ver se o Algarve ainda estava no sítio após as últimas tormentas, Fábula. E, sabes, as placas do caminho ainda não perderam o tino como certos ministros
Hipatia | Homepage | 04.08.07 - 11:32 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Só quem já conheceu o desespero sabe reconhecer a felicidade, menina Se assim não fosse, não saberia verdadeiramente apreciá-la, até por a saber breve e, por isso mesmo, necessariamente aproveitada ao máximo

Quanto à frase do Mia Couto, adoro-a! A vida é mesmo assim: descosturada e costurada vezes sem conta enquanto não se desiste de viver
Hipatia | Homepage | 04.08.07 - 11:35 pm | #