2008-06-24

Striptease

Older chests reveal themselves
Like a crack in a wall
Starting small, and grow in time
And we always seem to need the help
Of someone else
To mend that shelf
Too many books
Read me your favourite line





A Maria Árvore desafia-me ao striptease fazendo a minha biografia em seis palavras. Não sei é se estou habilitada a fazer tal coisa. É assim como se tivesse que fazer o meu obituário: acho que me limitava ao "nascida a tantos de tal e morta a tantos de tal". De permeio, reticências e quem quisesse que as preenchesse. É que nós não somos só aquilo que achamos que somos; há também a forma como os outros nos vêem. E ai é que a porca torce o rabo: acho sempre que me vêem de uma forma bem diferente (quase sempre demasiado benevolente) daquilo que sou de facto. E os olhos dos amigos são sempre simpáticos, enquanto quem tem alguma coisa contra mim não poupa mimos dos outros. Mas eu sou muito complicadinha e há alturas melhores do que outras e as palavras de hoje não são necessariamente as palavras de amanhã e até para os mimos de todas as espécies depende sempre de que lado da cama acordei naquele dia.

De qualquer forma, não sou mulher para dizer mal de mim. Dai que tenha resolvido que, nisto como em tanta coisa, era possível desvirtuar ligeiramente o propósito da coisa. Lembrei-me então que, há uns tempos atrás, recebi um e-mail que era suposto fazer circular pelos amigos pedindo a cada um que me descrevesse numa palavra. Umbigo que sou, fi-lo imediatamente circular e recebi algumas respostas das quais agora escolho seis: irreverente; desassossegada, insatisfeita, viva, franca, desafiadora.

(Os mimos de outro tipo, deixo por agora de lado, já que sempre os achei demasiado enviesados por um qualquer fel com origem no cotovelo alheio.)

Note-se que estas não são, necessariamente, as palavras que escolhia hoje, mas hoje eu ando muito para o lado do copo vazio, cansada e sem paciência, farta e desinspirada, sem tempo e agrilhoada. Por isso, dou a volta à coisa escolhendo as palavras dos outros e fazendo-as minhas. Assim como assim, sabe sempre bem relembrar um elogio e, a ter que me desnudar na biografia, antes isso do que revelar publicamente as medidas, o cansaço e as olheiras que ultimamente o espelho me devolve.

E, como tenho de passar a corrente, segue a mesma para a Vanus – bem capaz de vir por cá dar-me alguns dos mimos dos outros só para me relembrar que não sou nenhum poço de virtudes –, à I, que deve estar descansadinha depois das férias nos States e a precisar de ser "melgada" um bocadinho e à Deep só porque sim.

8 comentários:

I. disse...

Por acaso acho que são palavras que te descrevem bem ;)

Vou pegar no desafio, que até sou gaja para dizer mal de mim. Ai, o super ego...

E as férinhas já lá vão. Chuif. Ainda não parei desde que cheguei, snif. (socorro, socorro, que esta gente quer-me matar)

maria_arvore disse...

Hipatia,
obrigadíssima por responderes. :)

E olha que este strip em que os outros te despem só te apimenta mais. E serve para devolveres palavrinha a palavrinha ao espelho que fica ali mudo sem reparar como a blusa nova te cai bem e que tens menos uma olheira do que ontem. ;)

vanus disse...

cobarde, bruta, lenta, antipática, chata, depressiva

e corta-correntes também :)

deep disse...

Com pouca inspiração, mas já tens no Letras a resposta!

Bom fim-de-semana. :)

Hipatia disse...

Já vi o capricho, as dúvidas e que deste corda aos sapatos. Agora vou ficar à espera dos palavrões ;-)

Hipatia disse...

Obrigada eu, Maria Árvore. Fez-me bem ter um mote e conseguiste dar-me vontade para escrever :)

Hipatia disse...

Essas são as tuas palavras ou os teus mimos para mim? eheheh

(se são as tuas, só concordo com o bruta e com o corta-correntes, lol)

Hipatia disse...

Já vi, Deep :) Só ainda não tive hipóteses para comentar.