2006-05-24

Uma questão de tempo verbal


aqui

Pois eles são contra o aborto, claro. Mas agora também são contra a inseminação. As desculpas dos embriões, no entanto, soam tão mal, mas tão mal, tão mal, que só não entendo porque é que estes beatos que não fodem nem saem de cima não ganham, finalmente, um par de colhões para dizerem o que realmente pensam: que filhos só no seio do casamento, absolutista e católico, com padreco a presidir e a cobrar serviços, pois está claro, mais os baptizados e as comunhões, os crismas e quejandos. Mães solteiras é coisa de fim do mundo; homossexuais são aberração da natureza, ou doença, ou outra treta do demo.

Agora, p’ró caralho com tanta beatice junta: o corpo é da mulher; a decisão é da mulher. Apenas ela é vida com consciência – e nunca o embrião que não é nada de nada, excepto a promessa do que pode vir a ser - e em consciência deve decidir se quer ou não ter filhos. Se pode abrir as pernas e fazer um, porque raios não há-de poder ir buscá-lo a um banco de esperma?

Eu do Bagão Felix até percebo: dificilmente alguém em juízo perfeito encomendaria um embrião ao homem. Mas e os outros? Raios se percebo o que os move! O fanatismo deveria ter limites e, se é para haver referendo, deixem-me é votar contra o absurdo dos referendos que os fanáticos deste país vão propondo.


(ok, a proposta é uma merda e precisa ser revista; mas mantém-se a questão de princípio)

...

(ok, ok, doem-me os dentes…)

17 comentários:

TheOldMan disse...

Trata-se apenas de domínio e não de religião ou espiritualidade, Hipatia.

Eles são contra tudo o que não puderem controlar. Embora a história nos ensine que apesar de todos os argumentos, acabam por pactuar com o "inevitável" quando não se conseguem impôr.

;-)

Hipatia disse...

Claro que não se trata de religião; muito menos de fé. O fanatismo nunca o é e a beatice sempre foi uma questão de espectáculo para o vizinho. Mas nunca hei-de perceber como conseguem tempo de antena :S

patologista disse...

Se há coisa que não suporto é a hipocrisia dessas tias que se dizem contra o aborto e depois vão a Espanha fazer um "tratamento".
Completamente de acordo com o facto de que as mulheres são donas do seu corpo e dos embriões que lá tenham.
Mas quando foi do referendo houve muitas que ficaram em casa em vez de ir votar, e isso eu não compreendo.

Parece que a dor de dentes te deu ganas para escrever.
Um abraço do vizinho (agora deixei de ser de Rio Tinto e passei para Baguim, será que ainda sou teu vizinho?)

adesenhar disse...

infelizmente os referendos estão sempre carregados de uma grande dose de hipocrisia...

:)

Hipatia disse...

Pior ainda, Patologista: foi a única vez que não votei. Mas também quem é que marca um referendo durante a Expo'98? Até hoje lamento não ter ficado no Porto. Não que ajudasse muito, mas... sempre era mais um voto no "sim".

No fundo, acho que esta gente que tanto diz defender a vida, não a defende realmente: não a vida da mulher que quer viver - e ter sexo - sem estar presa a um filho não planeado (e todos sabemos como quantos desses filhos não acabam apenas filhos da mãe, e sem culpa nenhuma, porque os pais "biológicos" cedo dão de frosques), ou a mulher que quer viver a maternidade, por escolha mais uma vez, mas só a pode conseguir com uma técnica que, por mero acaso, até pode gerar embriões excedentários. Embriões que a mulher até pode querer voltar a usar.

A minha irmã, há bem pouco tempo, foi para uma mesa de operações sem saber se precisava tirar um ou os dois ovários. Só precisou tirar um, felizmente. Mas, se tivesse tirado os dois, se ela quisesse, um dos meus óvulos - ou quantos fossem precisos - era dela. Tão simples como isto.

Eu moro na "cidade Jovem". Fica a meio caminho ;-)

Hipatia disse...

E de mentiras deslavadas, Adesenhar, o que ainda me irrita mais.

Bom ver-te de novo por aqui :)

Luna disse...

Ai, eu também me irrito tanto com estas coisas!!!

Lisa disse...

Assino por baixo. Estes bons pais de família mais os seus moralismos da treta bem podiam ir pregar para o deserto. Sem água.

Lata disse...

ó Favolas... (lol) :p

Pois eu espero o novo referendo, já que não têm tomates para decidir na Assembleia, fazer uso dos tomates, sem ser para estarem sentados lá nas cadeiras...legislarem sobre o assunto sem o "mamã dá licença da igreja...
Vou votar NOVAMENTE no Sim a favor, da despenalização, da liberdade,da vida que existe ou seja da mulher e da inteligência de...se quiserem ter um filho, ser legitimo de quando, e poder dar o melhor... Ainda não perceberam que ninguém recorre à interrupção voluntária da gravidez por gosto, ou com um encolher de ombros...
Quando falam em subsidios para miúdas e mulheres para não abortarem, abano a cabeça, pois abano e penso, será que lhe pagam a universidade ou as taxas de saúde ou o que a criança precisar de futuro?
É ridículo...esperar o "timing" de uma igreja que tem pretenções de ditar...e apontar o dedo....além do mais, há beatas que vivem para isso mesmo, apontar dedos, pena que não lhe dêm melhor serventia (aos dedos) e os metam no próprio cú. Assim fechavam a boca e poupavam a tanta barbaridade...
Enfim...

Beijos, ó dentuças.... lol (o clonix ajuda? :p)

sofia. disse...

Concordo contigo Hipatia.
Vai sempre haver quem opte pelo aborto - eu sou a favor de que lhes sejam dadas condições para o fazerem.
E não me venham com a conversa de que depois de nascerem que se pode dar a criança para a adopção - as instituições estão cheias de crianças que esperam anos consecutivos por uns pais que o sistema demora a atribuir...
Para além da hipocrisia, é uma vergonha
(e ultrapassa as opções pessoais de cada um - tem a ver com os outros)

deep disse...

Estás mesmo zangada! A verdade é que não têm faltado neste país motivos para tal. No que concerne ao aborto, a decisão deve resultar da consciência e da vontade das mulheres implicadas. Nunca me vi em situação de ter que decidir, mas, possivelmente, optaria por fazê-lo se a minha saúde ou a da criança corresse risco ou se a gravidez fosse fruto de uma violação.

Hipatia disse...

Passo-me completamente, Luna. E a ideia desta gente a recolher assinaturas em Fátima até me deixa engasgada!

Hipatia disse...

LOL

Eu oferecia-lhes meio litro de água, Lisa. Mas só se eles prometessem que não voltavam a pôr os cotos cá na Terra. E, como são muito católicos, ia obrigá-los a cumprir a promessa, claro ;-)

Hipatia disse...

O pior é que me parece que isto funciona por modas, Lata, e este assunto há-de voltar a ser esquecido, para daqui a uns tempos, quando interessar a alguém, voltar a fazer notícia. As coisas realmente importantes não são faladas, nem decididas. Na Assembleia já nem admira: se os oficiais não têm tomates, achas mesmo que os substitutos, ou os substitutos dos substitutos, vão de repente arranjar um par dos ditos? Que nada!

Hipatia disse...

No caso da inseminação, Sofia, bateu demasiado perto de casa, por aquilo que conto acima na resposta ao Patologista: podia ter sido a minha irmã a precisar e não são estes beatos papa hóstia, misturada a fanatismo e obtusidade, que hão de decidir seja por quem for. É que se não for aqui, continua-se a ir ali ao lado a Espanha. Mas ai a desigualdade entre quem tem e não tem dinheiro é que fará toda a diferença. Como de costume, aliás :S

Hipatia disse...

E à inseminação artificial terias problemas em recorrer, Deep, mesmo sabendo que poderiam sobrar embriões? E não preferias que sobrassem, ganhando tu o filho que tanto querias? E não seria bom se todas nós tivéssemos dinheiro para mandar guardar embriões ou mesmo o cordão umbilical, sabendo que, de futuro, isso poderia salvar a vida do nosso filho? Eu não tenho quaisquer dúvidas. Por uma questão de tempo verbal mesmo: antes a vida que já é.

Anónimo disse...

Mais Vozes

mas a menina tem de reconhecer que certas coisas estão a andar para a frente . actualmente e perante a vergonhosa realidade que é a sida no mundo, a religião católica através do seu actual patrão já permite que em certos casos se possa dar uso ao látex .
É claro que enquanto o pau foi e veio alguns milhares de patos cagaram a ova é claro que muitos desses patinhos cagões eram contribuintes para a tão nobre causa do senhor , pode vir a acontecer que a diminuição do aparecimento de novos biatinhos empurre os donos das moralidades a reconsiderar as suas nobres e justas opiniões
frogas | 05.25.06 - 3:30 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

Concordo plenamente. Admiro-te a coragem de falar Português.
As melhoras para os dentes.
Ricardo Garcia | Homepage | 05.25.06 - 10:17 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

O que me irrita é mesmo o que digo no post, Frogas: se são assim tão "pro-vida", então porquê estar contra quem quer "fabricar" muitas vidinhas novas?
Hipatia | 05.25.06 - 6:29 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Todas as palavras cabem no meu dicionário, Ricardo. Até o vernáculo. Pobres de nós se nos impuséssemos apenas palavras politicamente correctas. Já farta de hipocrisia nos temas, que se evite na forma

Obrigada
Hipatia | 05.25.06 - 6:31 pm | #