2010-02-08

Repost

.

Presto atenção ao silêncio e a tua voz diz-me que te falto. Galgo a distância. A tua voz leva-me. Não sei se é só saudade, se esta febre teimosa que não me deixa. Ouço-te. Como se estivesses bem ao meu lado. Quase sinto os teus dedos frios sobre a testa. Quase respiro o teu ar. Sôfrega de ti, como já não ficava há muito tempo. É da febre. É delírio. És tu. Ou apenas a tua voz a percorrer-me os sonhos. Que saudades tenho, às vezes! Assim, de mansinho, quando estou mais frágil e, dos confins da memória, chega-me a tua voz. Baixinho. Bem baixinho. Como se as saudades só se fizessem de sussurros. Como se hoje estivesses aqui de plantão, meu anjo. Como se não tivesses partido nunca. É delírio, por certo. E estas saudades de ouvir a tua voz a dizer-me como te falto... como me faltas.

Sussurros



(Este repost tem um destinatário. Talvez esse destinatário nem sequer se aperceba, mas não importa. Como tantos e tantos dos posts que escrevi aqui no Voz em Fuga, este teve o seu motivo e a sua razão e, agora, faz para mim sentido voltar à primeira página. Mesmo que eu hoje nem tenha febre e, às tantas, nem anjo de plantão)

11 comentários:

Anónimo disse...

Eu sei que não é para mim, mas gostava que uma mulher me dedicasse um texto destes :)

cachucho

Bartolomeu disse...

Bom... uma vez que ambos se faltam, é evidente que não se têm.
(Jacques de La Palice)
Quando se tiveram... usaram um do outro aquilo que sobrou de cada um.
(Alexandre Dumas)
Se o destino voltar a aproximá-los e a febre que te atormenta se transformar na chama que fará explodir toda a paixão em vós acumulada, então... explodireis numa apoteose incrível e luminosa.
(Albert Einstein)

Paulo Abreu e Lima disse...

Lá estais vós a dar um sentido libidinoso à coisa... Trata-se de um anjo, não de um arcanjo!

(Não é, Hipatia...?)

Hipatia disse...

Não não querias, meu amigo. Nem recebê-lo, nem escrevê-lo.

Hipatia disse...

Há coisas que vão para além da vontade, Bartolomeu. E que nem o Einstein resolveu.

Hipatia disse...

Um fantasma, Paulo.

Anónimo disse...

Porquê? Pelo sofrimento da distância?
Isso faz parte do Amor. Não importa que sejam 300kms ou 20 kms. Por vezes estão mais distantes os 20kms por mil e uma razão.

cachucho

Hipatia disse...

Porque o post foi escrito sobre alguém que já morreu, Cachucho.

Anónimo disse...

Lamento. Não lhe tinha dado esse significado....

Anónimo disse...

o Anónimo sou eu. Estes sistema de comentários deixa muito a desejar 8|

cachucho

Hipatia disse...

Como podias saber?

(eu avisei das caixinhas; mas agora só há destas)