2009-12-25

Bowlling?

.

«Uma mulher conseguiu ontem saltar as barreiras de segurança colocadas na Basílica de São Pedro antes da Missa do Galo, tendo derrubado o Papa Bento XVI, que não ficou ferido no incidente. Menos sorte teve o cardeal francês Roger Etchegaray, de 87 anos, que estava junto ao Sumo Pontífice e que também caiu, tendo fracturado o osso do fémur.»

in O Público



A mulher foi internada, suspeitando-se de distúrbios mentais, que me parecem mais do que óbvios, já que tentou saltar ao pescoço de Bento XVI em lugar de um daqueles padres de calendário.

.

10 comentários:

Bartolomeu disse...

Bom...por cá têm acontecido "cenas" semelhantes com o Emanuel, o Toni Carreira, o filho, etc, etc... mas tem havido algum bom senso e no fim... não internam as gajas em clínicas psiquiátricas... se internassem... fodiam-se, estoiravam com o stock de malucas disponíveis para fazer o "carnaval" que confere notoriedade às personalidades... e tal e assim e coiso...
;))

Hipatia disse...

Mas tirando o Padre que fugiu com a garina (e fez ele muito bem, lol) não temos tido destes "carnavais". Será que ao perto, além do sapato vermelhinho, se viu mais alguma coisa? Afinal, a moça também ia de vermelho e, mesmo sendo um contraste muito lampião, até que não era assim tão fora da quadra festiva :D

Bartolomeu disse...

Hoje fui ver-te ao cinema, na época em que viveste em Alexandria.
Foste uma mulher excepcional.
Estranhei um aspecto da tua vida passada... o facto de teres sido amada, somente por dois homens, um que te condenou, o outro que te matou, para que não fosses morta.
Espero que na vida presente os homens... ou o homem que te matam, sejam mais cuidadosos e... te façam regressar à vida... de pois... a seguir... passados alguns instantes...
;))))

Anónimo disse...

真的是這樣嗎..................................................

Hipatia disse...

Mas a grande questão não será se foi ela capaz de amar qualquer deles para além do tanto amor que tinha à ciência? O amor não pode ser um caminho de sentido único, ou então anda demasiado perto da fé, ou do fanatismo, ou do masoquismo.

Eu hoje fui ver o Sherlock Holmes :D

Hipatia disse...

我々ポルトガル語を話すか?

É que assim não vale, anónimo.

Bartolomeu disse...

D'ont agree...!
(hmmm... escrever umas merdas em inguelêz dá um certo ar de intelectualidade)
Hipatia foi filósofa... amou o saber, pela ciência, ou pelo saber científico, acho que ela nutriu um sentimento diferente... curiosidade.
Às tantas, quando a moça andava às voltas com o entendimento do tamanho do sol, disse ao seu antigo aluno, que já era perfeito, deitada de papo para o ar, olhando o firmamento, que: já poderia morrer satisfeita se conseguisse ao menos entender um pocachito mais...
Yah minha, a tua antepassada, amou o saber e o que ele comporta, e o amor que ela dedicou aos seus quatro homens, aconteceu porque eles lhe veicularam o caminho que a conduziu à descoberta daquilo que ela já sabia, mas não conseguia encontrar forma de demonstrar.
«O amor não pode ser um caminho de sentido único, ou então anda demasiado perto da fé, ou do fanatismo, ou do masoquismo»
Já me fodeste... agora vou ter de partir a cachola a reflectir sobre isto...

Hipatia disse...

Qualquer tipo de amor que não seja partilhado resulta numa espécie de fanatismo. Até o de Hipatia pelo seu conhecimento. A partilha, com a sua dose de cedências, torna-nos tolerantes. Ou não achas?

Bartolomeu disse...

Sim... sim, minha amiga, entendo a que amor te referes, mas... no coração de Hipatia existiam sobretudo dois tipos de amor: o físico e o metafísico, só que ambos nunca se sublimaram no amor espiritual.

Hipatia disse...

A ciência e a busca do conhecimento eram obsessões. Quando assim acontece - e como com todas as obsessões - os pequenos mecanismos da convivência social que tomamos como certos ficam necessariamente limitados.