2010-03-14

Longe

aqui

Trinta anos depois, estando o homem há muito convertido em mito, não deixa ainda assim de ser evidente o longe que estamos dos tempos e dos valores fundadores. Ninguém sabe o que se teria passado se tivesse tido mais do que os magros 11 meses em que esteve à frente do Governo; ou sequer o que teria acontecido após a derrota do seu candidato à Presidência da República. Mas isso pouco importa quando se trata de mitos e pais fundadores. Só seria de esperar hoje que tantos que se reclamam seus herdeiros dignificassem a figura com atitudes menos patéticas e projectos menos vazios. Sá Carneiro terá sido muita coisa. Mas nunca foi pateta. Nem vazio.

4 comentários:

Paulo Abreu e Lima disse...

Nem mais!

(muitas vezes penso como seria se Sá Carneiro ainda estivesse vivo. Muito provavelmente já se teria retirado da política há muito tempo; muito provavelmente já nem seria deste PSD)

Hipatia disse...

E talvez há muito se tivesse provado um ídolo com pés de barro. Mas morreu demasiado cedo e nem os diferentes inquéritos parlamentares - os mesmos para que agora o seu PPD se amanceba com a extrema-esquerda - conseguiram descortinar motivos ou razões. Sobra ver a sua figura constantemente invocada por quem devia ter vergonha de usar assim a sua memória. E esta "lei da rolha" agora inventada é bem sinal dos tempos da "coligação negativa", com um PSD a mimar a extrema-esquerda, em lugar do sítio onde o seu velho líder o quis posicionar :(

Bartolomeu disse...

Amen!

Hipatia disse...

:)