2007-05-11

Ai a minha paciência!


Wendy Freebourne


Há dias em que acho que devo ter ar de padre confessor. Ou talvez uma pedra muda. Ou que sou apenas um ombro. Ou qualquer coisa que justifique porque me sobra esta ingrata tarefa de fazer de rede de ténis, vendo as bolas irem para um lado e para o outro e só muito raramente com direito a pará-las.

E eu, que não tenho sequer pachorra para mim, que chego à sexta nos fumos da paciência, ainda aparelho um sorriso amarelo e fico para ali a ouvir argumentos estapafúrdios atrás de argumentos imbecis, com a certeza de que umas palmadas em alguns adultos faziam milagres e sem poder dar açoites porque só me querem para ouvido.

No fim, parece-me tudo tão evidente e tão simples que nem sei bem porque me alugaram o tempo. É que no dia em que os homens perceberem que as mulheres conseguem ser muito felizes em atitudes próximas do masoquismo, chegarão a entender-nos. E nesse dia até compreenderão porque raios gostamos deles.



(Hoje aturei um casal desavindo)

7 comentários:

soslayo disse...

Hipatia:

Vá lá que o cenário não é de todo mau! eheheheheheheh. Um beijo.

maria_arvore disse...

Alegar dores de cabeça, sobretudo a uma 6ª feira que é o dia-do-já-não-posso-mais, costuma ser uma remédio santo para não nos fazerem peso no ombro que já está macerado. ;)

Mas pela positiva permitiu a brilhante tirada de que gostar de homens é próximo do masoquismo. :)))) Gostar de quem não nos entende e espera que os entendamos é mesmo sofrer com um sorriso nos olhos. ;)

claire disse...

Lá atrás do morro a um pé de bananeira, ela morreu a fome e ele de caganeira ....

claire disse...

Eu sabia que a treta do corretor me andava a enganar …. haver ou não a ,breee

Hipatia disse...

Bem, suponho que sempre serviu para escrever um post :D

Hipatia disse...

Eu disse que me doía a cabeça, Maria Árvore; até disse que tinha fome; até disse que talvez não fosse a melhor pessoa para os ouvir... não adiantou nadinha! Era como se eu só estivesse ali a fazer de cenário. E, bolas, não há cu para certas merdas, especialmente a uma 6ª feira.

E, sim, acho que há demasiados casais do quanto-mais-me-bates-mais-gosto-de-ti. Mas eu não preciso ter de gramar com as pancas alheias. Apre!

Hipatia disse...

Claire, tivesse eu a tua fluência de português em francês e ia ficar muito feliz. Com ou sem corrector. Estava para aqui a pensar se alguma vez soube dizer caganeira... eheheh