2008-09-26

(Des)encanto



É certo que as ambições que qualquer português possa eventualmente ter sobre este pobre cantinho nunca o remetem para uma desilusão tão grande quando se enfrenta com a realidade que o rodeia. Questões de hábitos e de feitios. Mas lá que mói… E há dias em que podia dizer exactamente isto sobre Portugal. Só que nunca seria capaz de o dizer tão bem. Ou pelo menos sem demonstrar um qualquer enfado de quem já estava à espera, carcomendo a fado a desilusão.



Por vários motivos, hoje apeteceu-me repostar isto. O estado do Mundo e o tratar os cerca de 10% de homossexuais (*) da população portuguesa como cidadãos de segunda das prioridades eleitorais não serão os menores de entre esses tais motivos, obviamente.
____
(*)não sei se esta percentagem confere, já que a ouvi na TV e na TV há muito que não se pode confiar

2 comentários:

maria_arvore disse...

Nesta altura do campeonato eleitoral tem de se atender à elevada faixa etária da maioria dos eleitores e seduzi-los.;)
Após as eleições, se ganharem a maioria, podem logo fazer um divórcio rápido. ;)
Para em seguida voltar aos casamentos entre homossexuais.

Como diria o Orwell «Todos os eleitores são iguais mas há uns mais iguais que outros».

Há que deixar funcionar o mercado para se vender o produto. ;)

Hipatia disse...

É imperdoável que não tenham coragem política para mais, Maria Árvore. Só perpetuam a discriminação.