2006-07-17

Beirute


Fonte: Sic Online


Lembro-me de, há muitos anos, os Trovante cantarem que "em Beirute, nem o sol nasce", numa letra que começava com "quem recordará como foi?"... e anda-me a música a bulir-me por dentro e não lembro sequer a letra, que não encontro também em qualquer pesquisa numa net atafulhada de letras em inglês e sem sentido. E baila-me cá dentro esta ideia de que nem o sol pode nascer em Beirute ou que, mal rompa a alvorada, já ninguém recorda como é e tudo volta a ser o que cedo foi esquecido pelos caminhos mal trilhados da história que só se ri para os vencedores. E nem eu lembro a letra; nem lembro sequer onde está o velhinho vinil onde estava a letra. Nem lembrava já Beirute, não fosse Beirute continuar, depois destes anos todos, a não ver nascer o sol. Quem recordará como é, já que tão depressa se esqueceu como foi?
___
Actualização:

Encontrei a letra do "Beirute" no Poesia Distribuida na Rua

Quem recordará como foi
Duvido que ainda haja alguém de pé
Que tenha dançado ao som das noites quentes
De Beirute

Será que alguém chora um ausente
Já não há ninguém para ausentar
Já não há ninguém para soluçar
Em Beirute

Em Beirute
Nem o sol nasce
Em Beirute
Como merece
É mais quente que o ar do deserto
É mais escuro que um buraco aberto
Na memória de uma terra ainda morna
Que já não torna
A ser Beirute

Em Beirute há bares fantasma
Onde outrora o amor se acoitou
E a alegria andava lado a lado
Com Beirute

Na terra onde o calor é quem manda
Havia uma cidade que era assim
Dizia nessa altura mais para mim
Do que Beirute

Quando enfim a história virar
Num tempo de arqueólogos errantes
Veremos corpos e ruínas militantes
Por Beirute

Encontraremos gente tão velha
Que nem parece ser da nossa era
Beijaremos os filhos da guerra
E choraremos
Por Beirute


Um destes dias
, 1990 - Letra de Luís Represas / Música de João Gil

14 comentários:

Cruzeiro disse...

Infelizmente os anos passam mas pelos vistos há coisas que nunca mudam...

Hipatia disse...

Lembras-te da letra da canção, Cruzeiro? Estou para aqui a atrofiar por não me lembrar da letra! E acordei a cantarolá-la, ainda por cima, o que nunca é bom sinal :S E há mesmo coisas que nunca mudam :(

TheOldMan disse...

Talvez seja apenas um Verão demasiado quente, Hipatia.

;-)

deep disse...

Não estarão as Nações Unidas um pouco baralhadas? A função delas é deitar água na fervura ou achas na fogueira?

Boa semana.

Lisa disse...

Estou um bocadinho mal informada sobre este assunto, mas a verdade é que já me dá tristeza e um enorme desencanto ver o que se passa. Mais uma guerra, e sempre no mesmo sítio :(

Spray disse...

Olaré! :P A canção Chama-se precisamente "Beirute", do Albúm "Um dia destes" (1990) dos Trovante :) (é a faixa 3)

Fica bem :P
Bj.
Spray

Cruzeiro disse...

Não me lembro miuda. :(
Fui ver se encontrava a letra em algum lado mas não consegui!
Há outras letras dos trovante mas esta não.

Luis Duverge disse...

Viva Hipatia

Não me lembro da letra mas vou indagar. Queria apenas chamar atemção para a gafe do representante da ONU que começou o discurso enganando-se e dizendo que em nome dos EUA E DEPOIS CORRIGIU vísivel mente atrapalhado. Este pormenor vem apenas chamar atenção para o financiamento de um orgão cuja independência é nenhuma. Por outro lado aquilo que está a acontecer em Gaza é um holocausto. Sempre admirei e admiro o valor do cidadão israelita, mas o valor da vida humana para mim é inalienável.
Beijo.

Hipatia disse...

Demasiado, Old Man. Especialmente para todos os inocentes que estão a apanhar com bombas na cabeça e nem água têm para beber :((

Hipatia disse...

É que Israel está a atacar um País mas diz que está em guerra "só" com um grupo de terroristas. Estão todos muito baralhados e parece que já ninguém sabe as reais definições de guerra, terrorismo, terrorismo de estado ou agressão pura...

Hipatia disse...

Acho que a "outra guerra" deixou de dar e já estão a inventar a próxima, Lisa.

Hipatia disse...

Ora obrigadinha, Lata. Isso sei eu, lol. Não lembro é a letra. Tens-la tu, oh sabichona?

:P

Hipatia disse...

Parece que esta letra, tal como a própria Beirute, ficou para sempre (mal) perdida apenas em algumas memórias, Cruzeiro.

Hipatia disse...

Luís! Bem voltado à Voz, que nem apareceste para "levantar" a prenda de anos que te deixei :))

E, sim, foi uma gaffe sintomática. Tão sintomática que me deste mote para o post de hoje ;-)