2006-11-27

Batimento cardíaco


aqui

Há muitos anos atrás, o meu coração partiu-se. Partiu-se de tal maneira e em tantos bocadinhos, que pensei que nunca mais teria um coração só meu, concertado e capaz. Mas o tempo - o tempo que foi preciso e pouco importa - foi juntando um a um cada caco amputado, soldando cada pedaço com memórias misturadas de esquecimentos, dores a servirem de fio onde a esperança era a agulha. E a vida costurou e descosturou, passajando o meu coração de boneca de trapos, resvalando pela ladeira dos dias, dos meses e dos anos. Hoje trago um coração partido soldado pelo tempo, mais forte, mais arejado. Desdobra-se em batidas surdas, galopando no meu peito e já só tem fome de futuro.

24 comentários:

Anónimo disse...

Assim mesmo é que é. Pensar e agir para o futuro.

Anónimo disse...

Normalmente, não partirá pela soldadura.

vague disse...

Lindo, lindo o escrever e ainda nais o sentir!
Abraço grande.

maria_arvore disse...

E fazes tu muito bem :) que é a esperança que nos remenda. :)

Sem ela, basta puxar um fio para fazer novelo.

Hipatia disse...

Uma das coisas que os anos nos ensinam é que não precisamos chegar sem remendo a qualquer lado. Basta, quase sempre, chegar :)

Hipatia disse...

Não, pela soldadura dificilmente partirá novamente. O que talvez queira dizer que um coração remendado é um coração mais forte :)

Hipatia disse...

Olha o exagero, Vague Maria :)))

Obrigada :*

Hipatia disse...

Ui! Sabes que nunca tive jeito nem paciência para novelos, Maria Árvore? Fui feita para poucas curvas e laçarotes ;-)

sofia. disse...

Isso é muito bom :)

Hipatia disse...

Obrigada, Sofia :)

ela anda a partir pedra e eu nas tintas disse...

Surpresas gostosas são muito boas para o coração ;O)

Elipse disse...

é tão real o que dizes sobre os remendos! Ninguém resiste inteiro; e se resiste éporque tem um coração de pedra!

Beijo.

Hipatia disse...

Oh se são, Claire :))))

Hipatia disse...

E um dia até chegamos a descobrir que nem é preciso chegar inteiro, não é?

:)

bagaco amarelo disse...

que bom texto, hipatia. ;)

Lisa disse...

:)
Bom encontrar em nós essa capacidade de remendar e soldar o que se julgava perdido. Já o fiz, sentada à máquina de costura do tempo, esse trabalho lento de paciência, esperança e tenacidade. E a fome do futuro, do que ele trará... uma longa e agradável viagem, decerto.
Abracinho!
:)

Hipatia disse...

que bom elogio :)

Hipatia disse...

Já o fizemos todos, não é? Talvez seja o que nos faz continuar por aqui, ainda a olhar para a tal viagem com destino ao futuro.

:*

gaivina disse...

Belo texto...muito igual a ti, mesma.
Fiquei a pensar nas fracturas do meu...Será que não volta a partir pela soldadura?

Hipatia disse...

Não me digas! É um texto ruivo?

:)))

(pela soldadura nunca mais parte; pode é partir ao lado)

francisco disse...

e tinhas só um coração? é que eu tb já deixei quebrar-se um, mas ainda tenho outros.


;)

Hipatia disse...

Está remendadito, mas ainda é o mesmo :)

Obrigada pela vista, Francisco

Alien disse...

Um texto que consegue ser ao mesmo tempo muito triste, muito positivo e muito bonito. Gostei muito :)
Fiquei a pensar se gostaria um dia de ser capaz de escrever um igual, ou não...
Bjs

Hipatia disse...

Não, lindo. Tu nunca escreverias um igual. Escrevias muito melhor :)))