2006-11-30

Por causas

Não, eu não creio na inocência imaculada

António Ramos Rosa


Penso que todos precisamos defender aquilo em que acreditamos. É um direito e um dever, uma forma de estar, a única que nos permite continuar a manter a cabeça erguida e andar em frente com a certeza de que o mundo, melhor ou pior, se faz de convicções e da forma como estas se desenrolam sobre o pano social.

Todos os que me lêem sabem bem que este é um blog marginal, que sempre quis ser um blog marginal. Também por isso é onde deixo livremente a minha voz e, por conseguinte, será sempre um espelho daquilo em que acredito, aquilo que defendo, os meus julgamentos pessoais sobre o certo e o errado e até a forma como, no fim, tenho de conviver com as consequências das minhas convicções.

E é à conta disso que passou a estar ali ao lado aquele quadradinho amarelo, que encontrei no
Arrastão. É um convite aos bloggers e eu aceitei, mesmo que evite tanta vez colar-me a iniciativas que possam trazer até este URL perdido uma visibilidade com que não quero lidar.

Mas é que, por mais perdida e escondida que ande esta Voz, ela é também senhora de um voto. Talvez seja até capaz de –
ao escrever sobre aquilo em que acredita – levar alguém a perceber que a IVG, não mais crime, poderia ser finalmente compreendida, talvez evitada, já que ninguém se atreve a questionar que existe e vai continuar a existir, como existe sempre tudo o que mexe com noções intimas de liberdade.

Pela despenalização, este blog usa desde hoje um logo. Vai continuar a usá-lo até ao Referendo.

14 comentários:

maria_arvore disse...

E fazes tu muito bem em expressar a tua opinião. :)

Já que a blogoesfera ainda é um espaço de liberdade - pelo menos enquanto aqueles que só sabem estar onde quer que seja dominando os outros aqui não colocarem censura -, sejamos marginais ou não continuamos a ter direito de manifestar a nossa opinião que para todos que aqui estamos deve ter sido fundamental para cá estar: ter algo para dizer.

Também hoje vi os logos no Arrastão e vou de seguida "plagiar-te". ;)))

Hipatia disse...

Não sei se toda a blogocoisa é um espaço de liberdade. Passo a vida a ver gente em pontinhas dos pés, ou outros a tentarem o olhar altaneiro e muita, demasiada gente, comprometida com um qualquer interesse. Talvez seja que o nosso interesse passe apenas pelo nosso direito à liberdade sem censura nem censores. Vai-nos bem :) Como nos vai bem a vontade de continuar a dizer apenas o que nos apetece ;-)

fábula disse...

todos temos uma opinião. formulemo-la então! q diabo, toda a gente pode dizer o q pensa. claro q ao fazê-lo sujeitamo-nos à discordância, à crítica, afinal os outros tb podem dizer o q pensam sobre o q nós pensamos, certo? ;)
(tb vou votar SIM no referendo)

TheOldMan disse...

A blogosfera é como o mundo exterior, Hipatia. Especialmente porque é composto pelas pessoas que também estão lá fora.

É por isso que vês por cá tanta indefinição, e imensa gente que continua a tentar agradar a gregos e troianos.

;-)

Gaivina disse...

Se este Blog não fosse marginal, eu nunca teria encontrado abrigo aqui...

Gaivina disse...

Como devem calcular, concordo inteiramente com a Hip!

claire disse...

Hip ando de bigo a mostra que foi onde o coloquei.

Hipatia disse...

Não sei se todos temos já uma opinião, Fábula. Haverá por certo demasiada gente sem ter quaisquer certezas sobre um tema como este. E teria sido tão mais fácil se se tivessem limitado a legislar... De qualquer forma, acho mesmo que prefiro assim: ter de levantar o rabo do sofá e ir votar, vendo por lá muita gente, muito mais do que o número atrofiado e não vinculativo do referendo anterior.

Bem vinda aos comentários da Voz.

Hipatia disse...

Concordo em larga medida com o que dizes, Old Man. Mas acho que é mais um bocadinho do que isso, não é? Exemplo: para determindado blogger "f" era um ser anónimo que não custou tratar com paternalismo; depois, alguém explicou a esse blogger que "f" era o nick com que assina uma jornalista bastante conhecida da praça. As mesuras vieram de seguida...

Eu gosto de não ter de dar a cara nem o nome. Preferia valer apenas pelo que digo. Tenho a sorte de ver pela Voz tanta gente que aceita isso, que o resto pouco importa. Na verdade, só o tanto que me divirto em alguns dias me continua a manter por cá :)

Hipatia disse...

Encontravas noutro qualquer parecido. Há mesmo muita gente que cultiva uma certa marginalidade e onde valem as palavras, bem mais do que os nomes. Aliás, não tenho dúvidas que os saltos registados ultimamente pelo site meter se devem em grande medida a teres passado a assinar com o teu nome ;)

Hipatia disse...

Claire, não percebi!

:S

claire disse...

era alegórico :
colei o carimbo no umbigo, não na testa .

Gaivina disse...

Hip...ão entendes os artistas... :o)

Hipatia disse...

Raios! Afinal era fácil :) Não tinha percebido o bigo

:))))