2006-11-19

Como é que é?


aqui

Mas esta gente não se cansa de dizer disparates? Então agora recorrer à procriação medicamente assistida entra na categoria de "infidelidade consentida"? Eu juro que só paro de rir destes absurdos quando estas alminhas atávicas me conseguirem dar relato pormenorizado do que aconteceu a cada ejaculação que tiveram na vida. E não me venham com tretas, que os Bispos, lá porque são bispos e depois foram pedir penitência, também devem ter desperdiçado muito espermatozóide em muita punheta. E esses – às tantas felizmente – são espermatozóides realmente desperdiçados. Doar um óvulo ou esperma viável e ajudar um casal infértil a conceber, deveria ser visto como um milagre. Nunca um pecado, porra!

Alguém precisa de um óvulo? Está a apetecer-me ser infiel. Consentidamente e sem baixar a cueca, claro.

12 comentários:

vanus disse...

Hipatia, o que lhes interessa é não ficarem calados para fingirem que têm sempre algo a dizer. Assim, como assim, quem os ouve também finge que ouve...

Dá-me ideia que os únicos que lhes ligam são os não católicos, que os católicos, dizem sim e fazem não.

deep disse...

Há, nesses senhores, sobretudo, muita frustração que tem que arranjar buraco para se escapulir!


Boa semana!

Hipatia disse...

Mas, sabes, assusta-me que tanto católico que diz sim e faz não depois vá dizer não quando era importante dizer sim. E não vejo - por mais ridículos que fossem nas suas opiniões - outros grupos a mexerem-se tanto.

Hipatia disse...

O pior é que têm sempre tempo de antena :(

Boa semana, Deep

Anónimo disse...

Não tenhas dúvidas que são uns grandes frustados.
É infedelidade a procriação medicamente assistida,mas quando são eles a fazer o que é que lhe chamam? Afilados.

Hipatia disse...

Outro dia ouvi na televisão - a propósito da proibição do matrimónio aos padres - um padre dispensado a dizer que a Igreja só vai abrir os olhos quando for demasiado tarde. E eu acredito. O pior é que esta Igreja, depois de séculos de dislates, já parecia querer abrir os olhos. Agora, quase pressinto um retrocesso, como se quisesse acompanhar estes tempos que nos levam de volta ao fundamentalismo dogmático :(

Anónimo disse...

Quer queiras, quer não, terás sempre que baixar as cuecas.
É que ninguém te vai tirar óvulos com as cuecas vestidas...
Bora lá as duas doar?

maria_arvore disse...

Para esses bispos julgo que a frase adequada é «Perdoai-lhes que não sabem o que fazem!»

Embora tenha o lado positivo de reconhecerem que por decisão do casal, a infidelidade pode ser consentida,logo é um princípio optativo. ;)))

Será que os óvulos não fecundados expulsos em cada mês são uns pecadores?;))

Hipatia disse...

Lá nisso tens razão: dificilmente daria o óvulo sem baixar a cueca :) Mas gosto é mesmo da ideia de infidelidade sem consciência. Parece-me a desculpa ideial. Ou será que agora os óvulos e o esperma também têm consciência?

'bora lá!

;-)

Hipatia disse...

Xiii! Será? Tu já viste como pecamos todos os meses sem sequer pecar? Para a próxima, basta dizer: "não fomos nós, foram os óvulos" ;-)

Noite disse...

Também li, que tristeza, continuam a viver num mundo ao lado do real e dos problemas reais, como se adiantasse fingir que os problemas sérios não existem...

Hipatia disse...

Mas a verdade é que a maioria dos problemas reais não existem de facto para essa gente: no meio dos seus privilégios, dentro de um casulo de dogmas e doutrinas, sem experimentarem a maioria dos problemas que o comum dos mortais que quer ter uma vida "normal" (casamento, filhos, não ter filhos...) precisa de enfrentar, debitam absurdos :S É triste, sim :(