2009-10-30

Diários


aqui

Sempre mantive diários. Sempre tive o hábito de escrever, mesmo que agora quase não use papel e esferográfica. Mas guardo em casa dos meus pais, ainda fechados com umas chaves que nunca guardaram realmente segredo algum, uma série de pequenos livros pintalgados com o que já fui. Hoje desfolhei um com saudade e quase vergonha, como se estivesse a violar realmente o segredo de alguém tão diferente do que sou agora. Mas foi giro pegar no diário, ler o que escrevia então, surpreender-me com o que escrevia então e, até, estranhar a minha letra. Há muito tempo que tenho uma caligrafia bem diferente, não necessariamente mais bonita, mas mais firme. Na realidade, acho que até a minha caligrafia perdeu candura.

8 comentários:

continuando assim... disse...

também eu estive a ler coisas tão antigas que guardo há anos e anos ... :)

bj
teresa

deep disse...

Pois é, menina, com as devidas diferenças de estilo, este texto poderia ter sido escrito por mim. Também eu, desde pelo menos a adolescência, escrevo diários - mas sem chave; nunca consegui escrever no único que tinha chave). Também, de vez em quando, os folheio e me surpreendo com o que escrevi e com o que há de mim (e que já esquecera) nessas palavras. Como a minha caligrafia mudou... a de hoje é uma vergonha! :)

Tem um óptimo fim-de-semana. :)

Paulo Abreu e Lima disse...

Eu já não sei o que é caligrafar :(

Hipatia disse...

E que tal, Teresa?

:***

Hipatia disse...

Menina, vim agora do teu. Não sobrou nem um bocadinho de roco aqui para mim? Nem uma migalhinha? Snif!

Hipatia disse...

Paulo, uma frase dessas e só me apetece ser má, perguntando (enquanto bato a pestana, obviamente) se alguma vez soubeste :D

mfc disse...

É bem verdade que, por vezes, olhamos como estranhos para aquilo que um dia escrevemos!

Hipatia disse...

Verdade :)

E olha que, mais de cinco anos depois de começar, até tremo se preciso ir aos arquivos aqui da tasca :D