2010-01-18

Às vezes


Sometimes, Found at bee mp3 search engine

O Bartolomeu lembrou-me ali em baixo numa caixa de comentários este tema dos James e um concerto para onde fui quase arrastada e de que acabei a gostar muito. Por isso, vem para a primeira página.

9 comentários:

Se7e/5 disse...

Como bem se sabe, muito do que parece não é, não é verdade?

Pois é, por isso e seguindo os temas delicados que a situação exige, o se7e/5 pretende abordar o problema da maneira mais séria possível. Sei que não é fácil e, para dizer a verdade, reconheço que é uma tarefa fodida e até muito perigosa mas, como dizia o "outro", alguém tem de a fazer. Não pense caro/a amigo que aqui o se7e/5 não ponderou , apenas, num assomo de desejo, partiu para a conquista e só porque a menina blogosfera estava com as perninhas bem escancaradas resolveu F..-la. Não, apenas enfrentar a "coisa" de frente sem medo do bicho nem da bicha ou bichona. Os temas devem ser tratados de maneira séria e responsável e não podemos (conto com vocês) deixar que a loucura invada as mentes mais desprevenidas. Nossos amigos e, principalmente as amigas, essas boazonas,devem ser protegidas do bicho papão, esse cabeção que tenta por todos os meios enfiar-se em tudo que lhe cheira a buraquinho acidoso. Tal como o nosso querido amigo e muito estimado J.W.Bush muito bam disse, "quem não está por nós, está contra nós". Aqui o se7e/5 diz que a esse W só lhe faltava o C, e deviam era empacotá-lo por trás e a seco, mas como isso não vem a propósito, e para finalisar que se faz tarde, quero deixar bem claro que não estou com ninguém e eu próprio estou contra mim e só por isso concordo comigo e tudo farei para que vocês, meus prezados amigos leitores, assumam a mesma atitude e vice-versa.

Hipatia disse...

hemm????

Bartolomeu disse...

Em 15-03-2007, lá no blog dele, o Bart publicou um poema, inspirado nesta "song"... queres ler?

Por vezes, quando olho fundo nos teus olhos,
consigo ver a tua alma.
Por vezes, quando falas dos teus sonhos,
Consigo sentir tanta calma.

Nem sempre, quando me falas de amor,
consigo sentir a paixão.
Por vezes, quando toco no teu peito,
Posso sentir-te o coração.

Às vezes, quando o teu corpo é demência,
consigo sentir o calor.
Por vezes é tão grande a tua ausência,
que não se desvanece o pavor.

Há dias, em que não consigo encontrar o sentido.
Por vezes só a fuga é a solução.
Há dias em que olhando para o infinito,
Consigo vislumbrar a razão.


Quando acordo em sobressalto
e sinto na cama quente
neste lugar ao meu lado,
o frio do teu corpo ausente.

Paulo Abreu e Lima disse...

Não sei porquê, mas dou comigo a ler os poemas do Bartolomeu com uma vela na mão... :)))

Bartolomeu disse...

Meu amigo Paulo, desde que consigamos manter o caminho iluminado, por forma a não tropeçarmos em algo que não consigamos ver... tanto faz que seja uma vela, como uma
potentíssima lanterna…
;)))

deep disse...

Não os oiço muitas vezes, mas ontem, curiosamente, fizeram-me companhia, com os Pearl Jam, numa viagem que fiz de carro. Soube-me bem ouvi-los.

Boa semana. :)

Hipatia disse...

Tivesse eu mais tempo e ia assaltar-te os arquivos, Bartolomeu, que acho que em 2007 ainda não te lia e agora fiquei muito curiosa :)

Mas um dia destes vou lá!

Hipatia disse...

Paulinho, não sejas invejoso :P

Hipatia disse...

Já não ouvia há muitos anos. Aliás, acho que não tenho nada deles, nem me lembro de ter tido. Mas agora até me está a apetecer virar infractora... ;-)