2004-12-21

Plágio

Como se pode citar vários posts de um blog, apropriar-se das estórias de um blog, dos textos de um blog, dirigir um mail ao autor do blog para perguntar pormenores porque se quer escrever um artigo de jornal sobre isso, o blogger responder de bom grado... e depois a estória ser publicada e não referir o blog em causa?

in Substrato

_________


Até quando vamos continuar a ser os parentes pobres da publicação de textos em Portugal. Se fosse o blog de uma personalidade prestigiada, ninguém se atrevia e até considerava elogiosa a referência blogográfica. Como é um desconhecido, não faz mal: «Ele nem vai reparar!»

in Arqueoblogo



Indignei-me com o que aconteceu à Marta, do Minha Alma, que viu os seus textos serem descaradamente roubados e publicados numa comunidade por um qualquer "dog" imbecil que anda pela Net a achar que o plágio pode ser tolerado, não é crime, fica sem castigo. Vi a Marta a deixar de escrever e a perceber como era perceptível que isso acontecesse. E, infelizmente, já não é a primeira vez que vejo alguém desistir por causa de ataques infames que lhes infligem. Felizmente – para todos aqueles que gostam de ver textos bem escritos, sentimentos à flor da pele, almas em tons translúcidos – a Marta está de volta.

Que isto acontece na Net já não é novidade. Que isto acontece, já não é novidade! Mas que um jornal de grande tiragem pactue com infâmias destas deixa-me doente. E foi o que "
O Público" fez. Ou melhor, é o que "O Público" não pára de fazer. Parece que um certo tipo de "jornalistas" (até me dói chamar-lhes tal, perante a total falta de ética e das mínimas noções de deontologia que esta gentinha reflecte) anda à caça das notícias nos blogues. Mas, depois, só se lembra da citação quando o autor é um figurão. Nos outros casos, trata de esquecer as aspas e fazer da roubalheira um ganha pão.

É uma vergonha, uma indecência. Nem tenho palavras. E a minha indignação cresce cada vez que me lembro que, mais uma vez, a impunidade será total e o crime voltará a ficar sem castigo. Que adianta legislação anti-plágio neste país se nem os casos mais flagrantes acabam devidamente castigados?

É grave, muito grave, o que aconteceu quer ao
Substrato quer ao Arqueoblogo!



(obrigada aos
Enresinados, onde descobri esta meada putrefacta)

3 comentários:

Mofo disse...

Ia já dizer que estavas a fazer plágio ;)

Hipatia disse...

Troquei-te as voltas :p

:*

Hipatia disse...

On : 12/22/2004 7:26:33 AM Caliope (www) said:

Bem... Vivemos num mundo com muita falta de originalidade e muito desprendimento... Se não se consegue ter criatividade ou competências, não faz grande diferença para determinadas pessoas.. Talvez possam pedir ao Pai Natal "uma consciência"


On : 12/22/2004 9:02:56 AM Sandra-Becksfan (www) said:



Subscrevo, Caliope (sera subscrever plagio...?)

bjcs


On : 12/22/2004 1:36:43 PM Hipatia (www) said:

Às duas: estou de acordo E não, não é plágio . Só a certeza de que temos uma consciência e é preciso saber viver com ela.

Na verdade, já fui plagiada. De forma grave, demasiado grave até, porque envolveu inclusive a violação daquele que era suposto ser o meu PC pessoal. E aqueles a quem apresentei a reclamação "sugeriram-me" que seria melhor não levantar "demasiadas" ondas. E nem estou a falar dos textos que publico no blogue (que este, felizmente, ainda é um cantinho perdido), ou de outros textos que fui espalhando pela net. Estou a falar de trabalho, de ganha pão, de esforço suado. E é de uma violência atroz sentir a impunidade. E o pior é que parece ser a impunidade a característica dominante desta pouca vergonha, desta falta de princípios, desta falta de ética, da falta de consciência que vai grassando.

Beijinhos


On : 12/23/2004 5:40:08 AM Caliope (www) said:

Ainda sentes a injustiça. Eu já pouco sinto.
Apenas o conforto da resignação que a vida nos devolve o que damos aos outros