2008-04-03

Ah! As pontes...



E há mais três!

15 comentários:

espumante disse...

Sá a Vasco da Gama comportaria o comprimento de + ou - 24 destas que mostras...
:))))
Prontes! E agora? Quem ganha?

I. disse...

Bocês, pá, num podem ter nada, carago! Atão as nuossas num saum muito máiores e mais bunitas? Hein? E o nuosso riue num é cumésse fiozinhue d'água, é um riue a sério. Cambada de inbejuosos...

;P

Hipatia disse...

Pontes revolucionárias:

D. Maria Pia: Tendo em consideração a largura do rio e as escarpas envolventes, foi o maior vão construído até à data, tendo-se aplicado métodos revolucionários na sua concepção.

Ponte da Arrábida: No tempo da sua construção em 1963, a ponte tinha o maior arco em betão armado de qualquer ponte no mundo.

Ponte S. João: Tal como a Ponte da Arrábida, à data da sua inauguração, também a Ponte de São João com o seu vão central constituiu um recorde mundial neste tipo de pontes, neste caso, para caminho-de-ferro.

Ponte do Infante: com uma flecha de 11,2 m para um vão de arco com 280 m, o que, como já vem sendo tradição nas pontes entre o Porto e Gaia, constituiu um recorde mundial nesta tipologia de pontes e serviu de referência a inúmeras pontes posteriormente construídas.

Comprimento? Pftt!

Hipatia disse...

Porque é que só se arma um circo para as coisas feitas na mourolândia?

maria_arvore disse...

Infelizmente não aceitaram o projecto do Edgar Cardoso para a 1ª ponte sobre o Tejo e lá puseram aquela cópia americana e agora que ele está morto e enterrado não vai fazer uma ponte na mourolândia enquanto os tripeiros têm duas dele, chuif, chuif.

E mais a mais, a Invicta carago, continuará a ter mais uma ponte que a capital. Deve ser a vingança por tantos anos os mouros perguntarem aos tripeiros onde ficava o metro. ;)

Marte disse...

Olha que na Mourolândia ainda temos espaço para construir mais umas 10 pontes... e ainda sobra espaço...
E não se esqueçam onde é que se serviu a maior feijoada de sempre...

_ba_ disse...

Mas afinal para que raio querem os trengos tantas pontes?
Ainda por cima parecem mini-pontes ao pé das nossas :p

_ba_ disse...

E esqueci-me doutra coisa: vejam lá se vocês fazem travessias como nós fazemos (a pé, a correr, de bicicleta, etc) como nós cá todos os anos quer seja na 25 de Abril ou na Vasco da Gama?
Mas também com o tamanho delas nem sequer dava para "aquecer" :P

espumante disse...

"Porque é que só se arma um circo para as coisas feitas na mourolândia?"

Como disse Dona Hipatia? Um circo na Mourolância? Não me ocorre alguma vez em Lisboa ter havido o circo da Casa da Música, ou do Metro do Porto ou das obras da capital da cultura (2001, não era??) que ainda não acabaram, de uma árvore de natal que tinha te ter mais num sei quantos metros que a de Lisboa ou...ou...ou..
a menina não me faça falar senão a jurisdição da beleza dos seus olhos passa do Vouga para o Cávado
:))
Beijinhos mouros

Hipatia disse...

Sabes, Maria Árvore, até construírem a Ponte do Infante, pensei que ninguém seria capaz de fazer pontes mais bonitas do que as do Edgar Cardoso. Mas a Ponte do Infante é, de facto, belíssima e muito elegante. De qualquer forma, nunca ninguém pensou que pudesse cair, ao contrário da S. João e da Arrábida, que eram tão arrojadas como projecto que ninguém pensou que seria possível serem construídas. Talvez nisso o Porto ganhe verdadeiramente a Lisboa e outros locais: não teve receio em dar o projecto a Edgar Cardoso e, das duas vezes, fazer história. Lisboa preferiu a cópia. Não digo que a Ponte 25 de Abril seja feia, mas não me parece que tenha arrojo. Da mesma forma, a ponte do Porto que menos gosto é a Ponte do Freixo (na verdade, duas pontes lado a lado): tem em comprimento o que lhe falta de vertigem, vai sobre a água, comprida e medrosa da altura, com demasiados pilares a fender o rio. Nisso, é do tipo da vossa Vasco da Gama, que acho muito bonita, mas com pregos a mais espetados no Tejo. Mas talvez seja por eu preferir os vãos :)

Hipatia disse...

Credo! E para que haveríamos nós de querer uma feijoada feita à pressão e servida fria? Toda a gente sabe que as boas tripas se servem nos recantos mais pacatos e, quase sempre, com espaço reduzido que é para ficar tudo bem acondicionadinho :))

Hipatia disse...

Ouvi outro dia que a vossa mais velhinha está a abrir umas rachas, Ba :P

Já agora, podes ficar a saber que a Ponte D. Maria vai ser convertida em percurso pedonal, ie, só para gente, sem ter que se levar com os escapes e os carros em cima. Mas isso é porque até já temos pontes para dispensar :D

Hipatia disse...

Que tem a Casa da Música? Está lá. É estranha, mas está lá. Sem circo, vai funcionando e funcionaria bem melhor se não viessem uns gajos ai de baixo mandar bitaites. Como o Metro está e melhor estaria se o investimento longe da Capital não se fizesse a conta gotas. E a Capital da Cultura foi e até foi melhorzinha do que a que me lembro de ter sido ai em baixo em 1994 e que deu muito circo, mas agora já ninguém se lembra dela. Como o Património existe e está tombado pela Unesco. Como as pontes se fazem, mesmo que seja preciso arrancar fundos a ferro, porque saem da esfera de influência das manigâncias do costume e afinal se fosse para fazer o circo de uma Expo já não parecia tão estranho. E agora até parece que há quem queira o Presidente da Câmara que aqui já ninguém quer para fazer um brilharete noutros sítios. Levem-no rápido! O Porto agradece.

Se me tivesses falado do Coliseu e do Abrunhosa amarrado à porta, ainda concordava que aqui fazemos circos. Ou com o Rivoli. Ou agora com o Bulhão. Mas esses são circos de onde surgem consequências e, quase sempre, é um circo que visa defender o interesse da Cidade em lugar de sorver fundos ao País inteiro. Desses circos eu gosto. A cidade também.

Mas vós tendes o Estado centralizado e só isso basta para haver circo todos os dias, nem que seja na AR; e a Ota e afins, mais o raio do aeroporto que ninguém sabe ainda onde vai ser; e túneis e estações a meter água e mancha verde que não há porque puseram uns barracos a meio e CCB e...

Agora, o que gostei mesmo foi de só teres lido o que te interessa, sem nem ligares à defesa da altura contra o comprimento das coisas, lol.

(e um aparte: há quanto tempo não vais ao Leituras de Hipátia? É que se atenderes à data do último post que lá está, talvez já te andasses a rir há mais tempo :P)

Hipatia disse...

Oh Ba, sabes mais uma coisinha? Nenhuma ponte tem portagem :D

ihihih

Anónimo disse...

Mais Vozes

sabes o que te digo a respeito da nova ponte? let the show begin!
já tinha sido assim com a Vasco da Gama e vai ser assim agora também. a única coisa que nunca percebi e com a qual não concordo é que se façam Estudos de Impacte Ambiental (EIA) depois da decisão tomada. então os EIA não são também uma ferramenta de decisão? é que se a resposta é sim, de que serve um Estudo destes depois de se saber que sim, senhor!, vai ter um impacte ambiental muito grande? enfim... o mais curioso é que ninguém fala nisso, estão todos preocupados com outras questões...
portanto eu volto a dizer let the show begin!, que o concurso abre em Novembro e até lá muita água há-de correr... debaixo das pontes já existentes, entenda-se!
fábula | | Email | Homepage | 04.04.08 - 10:51 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

Ah! Os belos dos EIA! Então não viste como está a ser com o aeroporto? Ainda vai haver muito circo para fazer as delícias da comunicação social
Hipatia | | Email | Homepage | 04.04.08 - 6:37 pm | #