2004-11-21

Been there; done that!

(...)
No I can’t watch the same mistake
Waiting for the boys to turn out straight
No I can’t run the same dog race
And get burnt like you
(...)


Skin - Burnt Like You


Quando pensamos que já temos alguns fantasmas bem arrumados nas prateleiras da memória, eis que um pequeno erro de cálculo, uma frase mais ao lado, e tudo volta em catadupas outra vez. Já não dói igual, óbvio, que uma década faz muito bem a todas as feridas. Mas sangra de novo. E como!

Não sei voltar a conviver com a morte em vida, com o sofrimento, a agonia. Não sei voltar a conviver com sentimentos ambivalentes despertados por desejos de morte ou de vida. Não sei voltar a prescindir da minha capacidade de auto-protecção, auto-preservação, contra o descontrolo dos egos, dos destinos, das vidas. Não sei voltar a lutar contra artifícios que dominam por completo os dias, sorvem dinheiros que não há, sorrisos que já não se tem, capacidade de sofrimento que se esgotou. Não sei voltar a ser a "única coisa saudável" de um Jonas há muito perdido nos fundos da barriga de uma baleia voraz, insaciável, dominadora. Não me sei capaz de perder a sanidade que tanto me custou recuperar, de encontrar a luz ao fundo de cada túnel de lutos, de ver vidas despedaçadas a escoarem-se lentamente, dolorosamente, da minha.

"Hoje não!" Nem hoje, nem nunca.

Been there; done that!


Sim. Já lá estive. Não foi bonito. Nunca é bonito.

Não volto. Não posso voltar. Já não sei ser muleta de ninguém, nem sequer de mim...

4 comentários:

Maria Branco disse...

Também já lá estive, num passado demasiado recente! Não posso voltar a permitir-me passar por isso de novo... Desejo que não voltes...
Beijos

Hipatia disse...

É das poucas certezas que tenho na vida, Maria: este caminho não volta a ser meu.

Beijinho e força ai também ;)

Anónimo disse...

Sabes, virei virei frequentadora assídua desta tua casa. Apparently, we’ve all been there. Thanks for reminding me that going back is not the way. Bjo. Nadine

Anónimo disse...

Sabes, virei virei frequentadora assídua desta tua casa. Apparently, we’ve all been there. Thanks for reminding me that going back is not the way. Bjo. Nadine