2006-01-28

Quando a Voz...


aqui


A minha mãe fala. Tem uma voz de veludo, macia.
O meu pai, fala lá do fundo com o som das coisas sérias.
Quando a minha mãe ri, parece que no quintal esvoaçam mil pombas.
Quando o meu pai se ri, acorda o mais profundo, que está para acontecer..
Quando a minha mãe chora, fico com medo e agarro-me a ela com braços de vida.
Quando o meu pai chora, faço-lhe festas nos cabelos e vejo nele um homem único.
Quando a minha mãe conta histórias na noite, saem-lhe flores pela boca e durmo agarrada ao seu perfume.
Quando o meu pai me conta histórias, elas tornam-se reais e as suas invenções ficam a viver, para sempre, no meu quarto, ao lado dos brinquedos.
Quando me acorda, a voz dele é doce e sem tempo.
Quando ela me acorda, traz palavras apressadas anunciando o primeiro beijo do dia.
Mas as suas vozes pela manhã sabem sempre a café com leite.
Quando a minha mãe sussurra, os segredos ficam guardados para sempre.
Quando ele me diz alguma coisa ao ouvido, toda a gente de lá de casa fica a saber.
Quando a minha mãe espirra, parece um passarinho a piar.
Quando o meu pai espirra, acorda todos os pássaros lá do bairro.
Quando eles dizem que sou bonita, o som é igual mas com sabores diferentes.
Como gosto das diferenças.
E eu? Qual será a minha voz?


Apeteceu-me comemorar a minha entrada para o "Vozes", com este pequeno textos para crianças....

6 comentários:

jp disse...

A sua Gaivina, é uma mistura das duas. O tal café com leite pela manhã. A escrita é um reflexo da voz, e isso é muito bonito.

Bom fim de semana, ao donos do blogue.

Mocho Falante disse...

Olha e ficas a saber que é uma estreia com um texto hiper saboroso, eu adorei le-lo hoje a pequeno almoço

beijocas

gaivina disse...

Obrigado... Espero que a minha vinda para esta casa vos dê bons textos e boas reflexões...
Escrevo este comentário num dia em que neva na Charneca da Caparica!
Nunca tal se tinha visto. É o Norte que me vem visitar

Lyra disse...

um dia convidaste-me a vir até cá. demorei. mas estou. e acredita. de facto não sou deste mundo. (quando dizias que eu era no comentario que me deixaste). achei bonito o teu texto. Cheio de amor :) de afecto.

gaivina disse...

Volta sempre Lyra... Esta é uma casa de portas abertas e gente muito diferente mas com um grande coração.

Hipatia disse...

On : 1/28/2006 12:31:53 PM Hipatia (www) said:

Eta! Boa! Grande surpresa!

E a tua voz não será sempre o que quiseres fazer com ela?

(alinhei o texto e troquei o amarelinho; espero que não te importes )


On : 1/28/2006 4:47:52 PM Gaivina (www) said:

Obrigado, amiga. aquele amarelo era um pouco foleiro....
Gostaste do texto?....É uma coisa muito simples.
Outros se seguirão.
Esta responsabilidade de tomar conta, partilhada, da tua casa vai ser um incentivo para novas escritas.....sei que vou aprender algo mais sobre comunicação.
O divertido nisto, é saber que temos registos muito diferentes....


On : 1/28/2006 5:18:20 PM deep (www) said:

Uma óptima forma de comemorar: o teu texto é comovente.
Bom resto de fim-de-semana!


On : 1/28/2006 5:21:31 PM deep (www) said:

Ah! Só mais uma pequenita coisa: o texto só nos parece ser pra crianças, porque nós, adultos, não querendo parecer lamechas, esquivamo-nos das palavras e das lembranças que restituem brilho ao olhar e calor ao coração...


On : 1/28/2006 5:29:11 PM Gaivina (www) said:

Sabes, Deep, eu tenho esta marca de água de ser pai e criador para crianças.... Achei que esta outra dimensão poderia ser trazida às "Vozes".... Será que estou certo?


On : 1/28/2006 5:32:12 PM Gaivina (www) said:

Outra coisa....Eu sou profundamente lamechas.....não te direi do número de vezes que chorei no cinema nem como tive que fechar um livro para que as lágrimas não colassem as páginas... Penso que a primeira vez foi com as "Vinhas da Ira"


On : 1/28/2006 5:56:17 PM maria arvore (www) said:

Só pode ser uma voz doce, maravilhada com as cores, sons e aromas do dia a dia.

E ainda bem que já aqui tens o teu espaço, para nos adoçares os olhos.


On : 1/28/2006 6:56:49 PM Hipatia (www) said:

Não resisti a enfeitar-te o texto com as flores que acho certas para ele: amores-perfeitos


On : 1/29/2006 10:03:53 AM Gaivina (www) said:

Sabes que gosto de flores.....sobretudo as de Março: Os Narcisos.
A minha mãe gostava de flores e de arranjar as jarras com os seus dedos finos e leves...


On : 1/29/2006 1:47:51 PM Hipatia (www) said:

Já cá está um narciso


On : 1/29/2006 4:33:44 PM Gaivina (www) said:

Ès um Amor!!!! Obrigado pela minha flor....


On : 1/29/2006 5:09:44 PM Gaivina (www) said:

A expressão "Amores perfeitos" não é uma utupia.... Depende do adubo que dedicamos ao delicado vegetal......
Graçola aliterada!


On : 1/29/2006 6:22:00 PM frogas (www) said:

Não sabes a sorte que tens em não ter acabado o texto de outro modo. No dia em acabares um texto como este com uma frase do tipo: agora que já não (o a) posso ouvir, vais por certo encontrar milhões de outras coisas bonitas que irás querer escrevinhar .
( que esse dia venha daqui a muito muito tempo) gostei do teu texto


On : 1/30/2006 8:12:23 AM Hipatia (www) said:

Eu gosto de amores perfeitos. Sempre gostei de flores delicadas


On : 1/30/2006 9:44:16 AM Gaivina (www) said:

Vocês são uns inspirados!
Claro Frogas... A partir de uma certa altura começamos a escutar a voz interior que se vai expressando em escrevinhação!


On : 1/30/2006 4:00:07 PM cruzeiro do tejo (www) said:

Começaste muito bem!
Parabéns, o texto é lindo.


Mais Vozes

E parece-me que entraste muito bem! Sê bem-vindo(a) a um espaço que eu própria visito muitas vezes!
Wakewinha | Homepage | 01.29.06 - 1:00 pm | #


Continua a visitar este nosso espaço, que eu prometo escrever mais, sobre todas as coisas do mundo
Gaivina | 01.29.06 - 4:10 pm | #
______