2005-03-15

Deus Est Machina


A internet caiu. Dezenas de milhões de internautas ficaram desesperados: nada de sites, nada de e-mails, nada de chats.

E então foram para suas janelas e viram como o Sol estava bonito.
Posted by Hello


Li uma vez um conto de Arthur C. Clarke em que uma nave, ao tentar reentrar na atmosfera terrestre, corre o sério risco de se perder para todo o sempre nos confins do Universo porque todos os computadores haviam avariado. A solução da tripulação foi engenhosa e, ao mesmo tempo, recupera um dos instrumentos de cálculo mais arcaicos: utilizam um simples ábaco para estabelecer as trajectórias. Mesmo que houvesse uma margem de erro nas trajectórias assim calculadas, era suficientemente pequena para evitar a tragédia.

Gosto de pensar que o ser humano, em situações de aperto, é capaz de ir um pouco mais além do que uma máquina que, provavelmente, se limitaria a pedir um reboot. E não vejo necessidade em fazer das máquinas o lobo mau das criancinhas do futuro.

Eu acho que o Homem continuará a ser o lobo mau dele mesmo e as máquinas por lá andarão para o ajudar a entrar e a sair das enrascadas em que se mete. Como qualquer utensílio, desde que o Homem aprendeu a usar a sua inteligência para os inventar.


Só que, às vezes, de tão agarrado aos seus utensílios, o Homem esquece-se de olhar para a Natureza e ver que o Sol, por enquanto, ainda continua a brilhar...

3 comentários:

Vera Cymbron disse...

Fiquei muito sensibilizada com o teu texto...às vezes agarro-me tanto ao pc que esqueço do sol radioso lá fora. Estou a ultrapassar isso...estou a curar-me desta coisa de ser "dependente do trabalho".
Jinhos

Hipatia disse...

No Inverno ainda temos desculpas para o vício. Mas quando os dias se começam a pôr bonitos, é quase um crime não ir passear. Ontem esteve por cá um dia lindíssimo, com cheiro a Primavera. Vão-se me acabar as desculpas...

(bem, tenho sempre a alergia ao pólen...)

Beijinho, Blue :)

Hipatia disse...

On : 3/15/2005 1:24:12 PM sharkinho (www) said:

Nem um telemóvelzinho pra mandar uns sms's? Bom, lá voltamos à história do pombo...


On : 3/15/2005 1:32:54 PM Hipatia (www) said:



Mas treinavas o pombo para te entrar em casa ou preferias ir esperá-lo para o jardim?

(O livro está on-line, gratuito... nada contra este tipo de presente que a internet nos reserva )


On : 3/15/2005 2:51:31 PM vague (www) said:

Olha eu tenho dias em q me apetece mandar tudo à fava e ir junta com o embrulho


On : 3/15/2005 2:55:42 PM vague (www) said:

A sério agora,

Gostava de de 6 em 6 meses ir fazer um retiro no Tibete levando como guia espiritual o Brad Pitt. Qual telemóvel, qual internet? Passaria bem sem esses utensílios modernos e voltaria mais arejada à civilização.


On : 3/15/2005 3:00:05 PM Hipatia (www) said:

Então ias para o Tibete e só levavas um objecto?

E, agora a sério , eu não sei se passaria muito bem sem os utensílios modernos. A net, então, é tantas vezes a minha principal janela para o Mundo...

Mas gosto de ver o pôr do sol


On : 3/15/2005 3:11:36 PM Caliope (www) said:

Pá!!! Não seja por isso... Afinal, há tantas imagens do sol na Internet!
LOLOLOL


On : 3/15/2005 3:15:42 PM Hipatia (www) said:

eheheh

Pois há. Mas dão calor?


On : 3/15/2005 3:18:18 PM sharkinho (www) said:

Boa pergunta me colocaste, Hipatia. Por um lado, sou preguiçoso o bastante para amestrar o pombo como um comando à distância. Por outro, quando me apanho na rua nunca tenho a certeza de quando voltarei a entrar em casa pois sinto-me em casa na rua também.
Acho que o melhor é confiar no discernimento do pombo...


On : 3/15/2005 3:19:06 PM Caliope (www) said:

OpÁ!!! Estava a tentar ser prática!
LOL
Calor é uma sensação. Será que no mundo de hoje há espaço para sensações? Esta sempre tudo entretido a tentar racionalizar... Vivemos num mundo de informatizados e sistematizados


On : 3/15/2005 3:30:59 PM Hipatia (www) said:

lol Sharkinho... eu tenho dias em que também só tratava de amestrar o pombo. Mas há outros, como hoje, em que nesta minha terra esteve um maravilhoso, radioso, solarengo dia de Primavera, que só me apeteceu ir para a rua. Vai dai, fui ver o rio...

(... agora já estou aqui no vício outra vez )




On : 3/15/2005 3:32:16 PM Hipatia (www) said:

Não concordo, Caliope. Acho que há muitos internautas que procuram neste meio asséptico as sensações que lhes fogem - ou de que fogem - na realidade.




On : 3/15/2005 3:38:56 PM Caliope (www) said:

Isso é treta!
Mas uma mentira tantas vezes repetida acaba por se tornar verdade...

Este meio asséptico é muito inócuo para se experienciar o que há-de real na realidade. É uma imitação tailandesa do que nos espera (bom e mau)


On : 3/15/2005 3:47:12 PM Hipatia (www) said:

Isso para ti, que ainda tens as tuas âncoras no real. E para mim também, que ainda gosto de ir ver o rio. Mas sabes bem que não é assim para muita gente. Há quem já não saiba sentir sem ser por aqui. Porque, por aqui, podem ser aquilo que sempre sonharam e nunca foram. Podem ser a mentira. Pode ser os melhores. Não são tretas. São os dogs da net. Há-os de vários feitios. Uma vez li qualquer coisa do tipo de o gajo que nunca conseguiu ter qualquer namorada, porque demasiado feio, demasiado nerd, demasiado pouco apelativo, teve sempre tempo para ver como se fazia na realidade sem nunca ter qualquer sorte. Mas, na net, ele tem a vantagem sobre os outros de teclar mais depressa e de saber usar essas mesmas frases sem que ninguém se assuste com a figura.

Há mesmo demasiada gente demasiado esquecida de como é ver o sol. E outros tantos que preferem nem correr o risco de sair à rua para o ir ver.


On : 3/15/2005 3:53:46 PM Caliope (www) said:

Concordo com as tuas palavras. Não lhes tiraria nada. Permite-me apenas acrescentar algo, porque hoje não estou cá. Porque hoje estou a teclar, quando me apetecia estar noutro lado. Mas está tão longe a lua e os meus pensamentos estão pesados e não flutuam

O que estou para aqui a pensar é que a net veio facilitar imenso essas ilusões que tão bem descreveste. Contudo, ainda antes da net se ter difundido, sempre existiram pessoas que s refugiam num mundo só delas (e estou a referir-me não ao país dos sonhos) , mas sim à terra da amargura e da mentira. Conheço alguns indivíduos que mentem tanto que nem sei se quando morrerem se vão aperceber que o corpo muou de dimensão...
Ei... isto de não ver o pôr-do-sol não é apenas porque nos enfiamos em casa a teclar. Se fechares os olhos também não o verás




On : 3/15/2005 3:58:54 PM Hipatia (www) said:

"isto de não ver o pôr-do-sol não é apenas porque nos enfiamos em casa a teclar. Se fechares os olhos também não o verás"

Isso mesmo!

E, sim, também conheço desses, infelizmente. O pior de tudo é que conseguem arrastar com eles para a terra da mentira demasiada gente...

(Que é essa treta dos teus pensamentos não flutuarem? Vai mas é já actualizar o blogue, que já estou farta de ver por lá o T1...)


On : 3/15/2005 4:49:33 PM vague (www) said:

Estás a chamar objecto ao Pittbulll? :D

Levava uma bússola, um canivete suíço, uma mochila. Ele ia à caça para nos alimentar a ambos, função ancestral do homem enquanto eu ia meditar em frente ao pôr do sol.

Consigo, sim, Hipatia. E aqui muito entre nós ;) cansa-me esta virtualidade sem rosto. Cansa-me o telemóvel. Cansa-me estar sempre contactável. Apetece-me voltar à minha infância, mexer na terra, correr pela vinha até ao rio, subir à
nespereira que acho q ainda existe.

Claro q ao fim de algum tempo quereria voltar a ter esta ponte com o 'mundo'. Para mim tb, Hipatia, para mim esta tb é uma das pontes com esse mundo real :)***



On : 3/15/2005 5:03:01 PM João da Cal (www) said:

É bem verdade! Nós demos "vida" às máquinas, e aos poucos elas vão-nos distraíndo... Nós vamo-nos esquecendo que o nao há sorriso mais bonito do que o das pessoas que nos estão mais próximas fisicamente e que não há sol mais belo que o daqui da nossa rua...
um abraço.


On : 3/15/2005 5:25:45 PM ocidental-acidental (www) said:

A Natureza ainda existe? Ainda está "lá"?...tenho de ir à janela...chatice, tenho de me levantar...e o sol lá fora é muito forte, encegueira! , voou pôr uns óculitos


On : 3/15/2005 5:55:49 PM mysticat (www) said:

É verdade. há coisas que nunca nenhuma máquina poderá substituir.

E por falar em por do sol. que dia magnífico o de hoje! Completamente primaveril! Só não pude ser o por do sol... desta vez nem foram as máquinas, foram os prédios.

bjs*


On : 3/16/2005 5:32:15 AM Ricardo Garcia (www) said:

Vamos à praia?


On : 3/16/2005 8:43:35 AM Diálogos Interactivos (www) said:

Nestes ultimos dias não tenho colocado nenhum post no meu cantinho por problemas de rede, mas também precisamente por isso, porque no pouco tempo que me sobra tenho ido contemplar o Sol, o Mar, as Estrêlas, andar de bicicleta, ir à pesca , de dia e de noite, em locais lindos como por exemplo: do Portinho da Arrábida até à Aldeia do Meco, andar a pé , muito ! Tipo caminhadas e escaladas e, observar, observar , observar e, também agir e... tento complementar desta maneira a actividade Administrativa e tecnológica com esta outra vertente, ludica e viva da Natureza. É nesta outra busca ao encontro de mim que retempero as forças e aproveito, aproveito, enquanto não destruimos o nosso Habitat Natural por completo.
beijinhos


On : 3/16/2005 11:01:53 AM Hipatia (www) said:

Como te entendo, Vague...

A mim também me cansa por vezes a virtualidade, o estar contactável, o não ter liberdade para meter meia dúzia de coisas numa mochila e partir para Goa, por exemplo (com o Johnny Depp).

E, no entanto, no dia a dia, cansa-me ter rosto, ter voz, ter corpo, presença física. Tenho necessidades brutais de estar em silêncio, virada para mim. Uma parte dessas necessidades resolvo "escondendo-me" na net; a outra, resolvo numa esplanada à beira rio ou à beira mar, sozinha com o Sol, um livro, um café...


On : 3/16/2005 11:07:56 AM Hipatia (www) said:

Bem vindo, João. Espero que te sintas bem neste meu cantinho.

Quanto ao que dizes, concordo, como é óbvio. Mas não consigo culpar as máquinas de nada. Elas ainda são, tão só, aquilo que fazemos delas. Abrem-nos janelas tanta vez, que até parece mal reclamar. Mas, para alguns, fecham outro tipo de janelas. Haverá uma necessidade de dosear, moderar, a exposição a elas, compensar o tempo que nos poupam encontrando um rumo sem ligação à corrente eléctrica.

E, agora que os dias não param de crescer, abrir uma janela como quem começa as limpezas da Primavera.




On : 3/16/2005 11:11:19 AM Hipatia (www) said:

Os prédios são tão irritantes, não é? Têm esse hábito estúpido de se meterem entre nós e o horizonte...

Acho que ando a precisar fugir para longe da cidade. Tu não? Especialmente se os dias se mantiverem bonitos... Mas hoje, aqui, o tempo já começou a ficar cinzento



On : 3/16/2005 11:12:40 AM Hipatia (www) said:

Oh Ocidental... levanta lá o traseiro do sofá e espreita à janela. Só vês prédios, é? Experimenta ir à horta


On : 3/16/2005 11:14:01 AM Hipatia (www) said:

Vamos, Ricardo? Será que me esqueci de algum compromisso?




On : 3/16/2005 11:16:46 AM Luis_Duverge (www) said:

Sempre houve e continuará a haver ferramentas para atingir um fim. um exemplo simples quando a imprensa foi inventada por Gutenberg, foi possível a partir daí guardar ao longo do tempo o bem mais importante que temos a informação.
Inadaptados, gajo(a)s esquisitos sempre existiram, aquilo que nos estamos a habituar sem darmos conta disso é a interactividade e proximidade que a net permite. Nesse filme que tu viste, adaptação do livro de Arthur C. Clarke, em que a alma de uma das personagens viajava sobre os fios electricos à velocidade da luz.
bem aqui já estamos no teletransporte e por aí fora. Mas como digo no meu canto, é no equlíbrio que está a solução. Cada vez mais vivemos numa aldeia global onde as assimetrias crescem e tanto podes cair num lugar onde tens míudos de 12 anos a assaltar-te, como ruas cheias de cãmaras de vigilância olhando e observando-te.
Quanto ao Tibete e à Angeline Jolie, sinceramente tem dias em que um beijo em forma de abraço envolvido com um brilho nos olhos vale todas as viagens. Como dizia uma amiga minha que eu muito estimo, "nem é a falta de sexo, é a falta de carinho, ..." bem já estou a falar demais. Acho que as ideologias escasseiam e andamos muito individualistas, em poucas palavras muitas rapidinhas e poucas bem saboreadas .

Vês agora que queria dar-te um beijo ao vivo, tem de ser virtual.
Deus Est Machina


On : 3/16/2005 11:27:01 AM Hipatia (www) said:

Lembraste-me agora "A Era do Vazio", do Gilles Lipovetsky. A forma como, numa sociedade com (quase) tudo, existe um enorme nada a polvilhar-nos os dias. Matamos as ideologias e já nem as sabemos ressuscitar, descrentes nas formas e nos conteúdos; matamos Deus e tentamos criar deuses por medida; habituamo-nos à rotina do comprar e materializamos até os sentimentos. No fim, talvez estejamos condenados a algo semelhante à frase da tua amiga, a todos os níveis. Quantas vezes não nos bastaria que quem nos serve o primeiro café da manhã o fizesse com um sorriso radioso de quem está de bem com a vida?

Mas não são as máquinas, não é? Somos nós. E, nós, ainda podemos escolher ir ver o pôr do sol.

Beijo virtual, mas com carinho

PS - Não foi um filme. Foi um conto. E não metia teletransporte... De que filme estás a falar?


On : 3/16/2005 1:23:59 PM Luis_Duverge (www) said:

2001 - Odisseia no Espaço - Stanley Kubrick baseado no livro do Arthur C. Clarke.

Um beijo em forma de abraço .


On : 3/16/2005 1:29:34 PM mysticat (www) said:

Eu gosto da cidade... mas há dias que sufoco. Cada vez mais.

Sair da cidade?
Diz quando que a mochila já está feita!


bjs*


On : 3/16/2005 1:30:27 PM Hipatia (www) said:

lol

E eu a dar voltas à carola a pensar em algo mais tipo "beam me up, Johnny"

Mais um :)*


On : 3/16/2005 1:31:22 PM Hipatia (www) said:

Eu vou já este fim de semana, Misty

Está quase.....


On : 3/17/2005 7:45:51 AM Cromo (www) said:

...Podes sempre acompanhar com uma banda sonora do tipo...

«Songs of Distant Heart», do Mike Oldfield, com prefácio interior (CD) do mestre A.C.Clarke, ao tempo feito a partir do Ceilão....

P.S-» Qaunto mais não seja arrisca a ir a uma «FNAC» e experimenta, experimenta só ouvir.....faixas como o «In The Begining», «Oceania», «The Sunken Forest»....é com musicas como essas que simplesmente um gajo se transmuta e deixa o corpo, liberta a Alma...

;)

Tá quase!!! «Velha»!!!! rsrsrsrsrsrsrs........


Beijo.


On : 3/17/2005 2:17:01 PM Hipatia (www) said:

Ora bem! Genial sugestão, Crominho... Não tinha ainda pensado na banda sonora

(quase... mas, para já, olhe lá o respeitinho que ainda temos a mesma )