2006-04-26

Letras

Adieu tristesse
Bonjour tristesse
Tu n’es pas tout à fait la misère
Car les lèvres les plus pauvres te dénoncent
Par un sourire (...)


Paul Eluard - À Peine Défigurée



Eu não sei desenhar. Se soubesse, desenharia desejo. E talvez ternura. E estrelas. E sorrisos. E gargalhadas.

Só não desenharia tristeza: fica melhor em palavras.

12 comentários:

deep disse...

Dizer e sentir são outras formas de "pintar".
Espero que a tristeza tenha sido hoje apenas uma palavra a que achaste graça pela força sonora que transporta...
Fica bem.

vanus disse...

Hum...não sei não, acho muito mais difícil desenhar felicidade que tristeza; já desejo, como muito dele é visual é o mais fácil em todos os campos ;)

TheOldMan disse...

A tristeza é uma pálida aguarela, pendurada ao fundo de um estreito e sombrio corredor...

;-)

maria_arvore disse...

Essa imagem está muito achada, Hipatia! :)

De facto, o desejo são pinceladas breves, esquiços que até se fazem num guardanapo de restaurante.
Já a tristeza desliza mais fácil na dureza das palavras, como uma lengalenga mágica que a fure.

Hipatia disse...

Há dias em que até à tristeza acho graça; há outros em que nem por isso...

:)

Hipatia disse...

Quanto ao desejo, completamente de acordo, Vanus. Em relação à tristeza, nem por isso. Talvez porque me pareça que pintamos sempra a tristeza dos mesmos tons, enquanto que a alegria é bem mais colorida.

Hipatia disse...

Óptimas palavras para a descrever. E a aguarela, Old Man? Serias capaz de a pintar?

Hipatia disse...

As palavras são menos brandas do que as tintas? Nas minhas paletas, não tenho quaisquer dúvidas que são :)

Fausta Paixão disse...

Ai querida, vire para lá essa boca!
Em caso extremo contrate um gajo para lhe fazer cócegas... ao menos isso... pode ser que o corpinho se envolva e a tristeza vá de retro!

Hipatia disse...

Não me dês ideias, Fausta :) É que umas massagens nos "pedantes" hoje iam mesmo a calhar ;)

TheOldMan disse...

Sei lá, Hipatia. Eu sou capaz de tanta coisa...

;-)

Hipatia disse...

eheheh

Somos sempre capazes de nos surpreendermos, lá isso é verdade :))