2009-05-27

Até que enfim!

.

«Dias Loureiro terá já pedido a renúncia do cargo de conselheiro de Estado. De acordo com a SIC Notícias, o antigo dirigente do PSD já terá também solicitado uma audiência ao procurador-geral da República.»

in, Público



A confirmar-se, já não era sem tempo. Não porque acho que Dias Loureiro mereça ser queimado em praça pública até se dar como provada qualquer acusação que caia sobre si; antes porque a Presidência da República não merecia ser arrastada para a escandaleira e os aproveitamentos políticos subsequentes, especialmente da forma como, nos últimos tempos, essas coisas se vão fazendo no Portugalinho.

9 comentários:

Bartolomeu disse...

O engraçado desta "novela" ao belo estilo Italiano, é o facto de todos aqueles que tiveram cargos de administração no BPN, não conhecerem ninguem, nem as operações de que resultaram os brutais prejuízos que resultaram na falência do banco. Tão pouco quem foi que as autorizou.
Começo a perceber que uma de duas situações irá em breve ser provada.
Ou as operações se auto-sucederam, ou foi um contínuo espertalhão que depois do maralhar bazar pa casa, ía ao computador central do banco, introduzia as pass e... tungas, já la moras... o guito todo pró off shoriii...

Hipatia disse...

Há demasiado cheiro a esturro, isso não nego. E até suspeito do silêncio do PS, que aqui poderia ter uma bela arma de arremesso para apaziguar a sangria de Freeports e quejandos, não tivesse provavelmente também o rabo preso. Mas, mais do que isso, há para mim uma questão que me bole com a consciência: não confio nem gosto de julgamentos sumários, feitos em jornais e por jornalistas comprometidos e também eles prostituídos e por interesses vários e escondidos que é o que move realmente o paizinho. No fim, há o respeito pelas Instituições de Estado, mais do que por qualquer pessoa que as ocupe. E a necessidade de querer ainda confiar na Justiça, na sua existência, no seu fito para além de quaisquer demoras e empecilhos e até os asnos cheios de privilégios e regalias que a querem malbaratar. E sem condenação não há culpados, por mais vontade que nos dê apedrejá-los a todos e lapidar de imediato alguns.

Anónimo indiferenciado disse...

Dias Loureiro está atulhado de falcatruas e trafulhices e -- sobretudo -- dinheiro até aos óculos. A afirmação é de alguém que sabe -- mesmo --, mas não tem queda para justiceiro, nem provas suficientes factuais.

Hipatia disse...

Indiferenciado, às vezes temo que esteja pura e simplesmente farta de políticos, todos demasiado parecidos, todos demasiado falsos, todos demasiado impelidos pelo próprio ganho enquanto debitam palavras vazias como anzóis à espera de um voto-peixe. Sentem-se uma classe à parte e agem enquanto tal, usando a polis como palco das suas negociatas e trocas de favores. Depois vão baixando as calcinhas para o poder do dinheiro, claro, prometendo e devendo em igual medida e protegendo-se sem importar a cor política enquanto não há flashes nem câmaras pela frente. Sim, todos demasiado parecidos até quando se arranjam para garantir que vai entrar muito dinheiro fresco para as campanhas à conta de mais uns favorzinhos. Já nem isso é surpresa.

Quanto a Dias Loureiro, parece apenas mais um exemplo de alguém que chegou à política com uma mão à frente e outra atrás e, se tudo tivesse corrido bem, continuaria hoje descansado enquanto nadava nos seus milhões e na sua teia de influências. Mas é o único? E os tantos de caciques que por ai continuam, ano após ano? E a prova que nunca ninguém fez ou, quando a fizeram, teve valor nulo em termos de consequências, pessoais e políticos? Felgueiras, Isaltino, o gajo do Marco, o Valentim, a protecção que estar no Conselho de Estado garante a AJ Jardim? E porque estão tão calados no PS? Terão medo que se descubra alguma coisa além dos contentores do Coelhone?

Mas tudo isto são boatos e suspeitas sem as tais das provas factuais suficientes e, mais ainda, sem a condenação evidente e definitiva pela Justiça. E, enquanto assim for, todos – até os aparentemente mais comprometidos e corruptos – merecem a presunção da inocência e que a prova se faça realmente e não que se transforme o boato em certeza. É que se nem nisso podermos confiar, então "quando eles vieram por mim já não havia ninguém para falar". Se não posso confiar nas Instituições – apesar do tanto e tanto de lodo com que, ultimamente, algumas delas se cobrem e outras tantas ameaçam ser cobertas, quem falará por mim, ou outro qualquer como eu, culpado sem prova, sem julgamento, sem defesa, apenas com base na denúncia, no boato, nas evidências nunca transformadas em provas?

Emiele disse...

Olha Hipatia, dois pontos com que estou plenamente de acordo:
O Bom Senso tinha mandado que enquanto houvesse a sombra de suspeita, o homem se tivesse suspendido de cargos públicos sobretudo esse do Conselho de Estado. Ainda por cima porque ficaria sempre bem: provava-se que as acusações eram falsas, e ele voltava, triunfante, aos ombros dos que o apoiavam; havia fogo atrás do fumo, ele dizia que tinha sido o primeiro a assumir responsabilidades mais nada.
(Lembro-me de há muitos anos (15 talvez?) um ministro, creio que o Murteira Nabo, mal tinha tomado posse do cargo foi acusado de não ter pago a Sisa de uma casa que tinha comprado, ou coisa assim; no dia imediato apresentou a demissão! nem mais um dia)
O segundo ponto em que estou de acordo, é que me dá volta ao estômago o julgamento permanente que a Comunicação Social faz de tudo e todos. Uma pessoa é julgada na Praça Pública, perdão nas Primeiras Páginas, antes quase de ter percebido do que se trata. Não direi que é este o caso, acho que não é, mas acontece demasiadas vezes.
Não gosto.

I. disse...

(sou só eu ou o Oliveira e Costa é a cara chapada do Tano Caridi? La Piovra, anyone?)

Hipatia disse...

Olha, Emiele, para além de tudo isso, há ainda as virgens ofendidas que aparecem sempre nestas alturas, os tantos que se agarram a cargos, regalias e, podendo, imunidades, para não assumirem nunca nada e que, no entretanto, vão passando por entre os pingos da indignação colectiva fomentada com base no boato e na bufaria. Mas o espectáculo do silêncio não rende e a ética há muito que bateu em retirada. Eu não gosto de Dias Loureiro; nunca gostei de Dias Loureiro. Também não gosto de Cavaco Silva nem nunca gostei. E nunca votei nem votaria em qualquer um dos dois. Mas também não quero espectáculos grotescos como esta ida de Oliveira e Costa à AR, a ver quantos mais nomes citava e ar de agarrarem-me senão eu dou cabo desta merda toda que sei demasiados segredos. Mas no fim, espremendo bem, temos (para já) apenas as palavras de uns contra os outros e um enorme, colossal rombo deixado por um negócio que, a todos os níveis, se travestiu de respeitabilidade enquanto aparentemente burlava tudo e todos. Não há como acreditar que fosse responsabilidade de apenas Oliveira e Costa e/ou Dias Loureiro. Como não dá para acreditar que ainda não tenham aparecido provas que demonstrem e desmontem a real magnitude deste caso, apurando responsabilidades, para lá das teias de influência que, melhor ou pior, parecem continuar a proteger demasiada gente enquanto apenas dois se preparam para cordeiro sacrificial, estando a faca já a jeito. Como se o espectáculo de dois imolados, culpados à partida, bastasse para explicar tudo, aproveitando para decretar e oficiar a "morte do cavaquismo" o que, só por si, ao ser utilizada aqui como argumento e a propósito de apenas dois homens, já devia ser suficiente para nos deixar prevenidos contra prováveis intenções. E apesar de tudo o que pensemos e mesmo que assumíssemos que todos são uns crápulas do pior, ainda assim era preciso prová-lo.

Hipatia disse...

LOL! Sem tirar nem pôr! Onde andará o Cattani?

Anónimo disse...

Mais Vozes

A mim parece-me que só o facto de ele ter mentido na assembleia da republica e de se ter dado ao luxo de ter gozado com todo um país seria motivo mais do que suficiente para ele ser demitido da portaria de qualquer casa de banho publica .

Dizes que a presidência da republica não merecia ser arrastada para não sei o q …

Penso que nada obriga a que num triangulo amoroso tenha de existir um corno falta dizer que nunca acreditei naquele saber popular que nos diz que o corno é sempre o ultimo a saber
frogas | 05.28.09 - 1:29 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

Eu falei em Presidência da República e não em Presidente, Frogas
Hipatia | Homepage | 05.28.09 - 8:13 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Não foste tu que me acusaste de ser distraído? Ai tens mais uma prova

Já agora o que achaste das declarações de uma antiga ministra da saúde do PS a respeito das declarações do candidato rosa para a Europa . indignadíssima estava a senhora indignadíssima pelo candidato do seu partido ter tido a ousadia de dizer apenas a verdade sem os Habituais salamaleques e paninhos quentes que a situação pelos vistos requer
frogas | 05.29.09 - 2:34 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Pior ainda esteve o Dr. Lello que nunca sabendo estar calado e nunca sabendo dizer melhor, se chegou logo à frente para criticar Maria de Belém. Ouvi na rádio que a senhora disse que, na comissão parlamentar, o PSD tem sido activo e que a forma dela de fazer política nunca passou pela utilização de termos tipo "roubalheira". Está no direito dela. Quando a ouvi não a senti, no entanto, "indignadíssima". Parecia-me muito calma a expor uma opinião, transparecendo antes que há qualificativos que não devem ser usados só porque se tem um micro à frente e se está em campanha eleitoral. Já foi provado algum furto ou ainda andamos na bandalheira do diz que disse? O Dr., Vital Moreira está a precisar controlar um bocadinho as palavras e o Dr. Lello tem muito pouco jeito para bombeiro. Maria de Belém é e sempre foi uma mulher educadíssima.
Hipatia | Homepage | 05.29.09 - 6:41 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Eu gosto do lelo pena que nunca traga o burrito

E qual seria o modo educadíssimo de definir aquela situação ? a mim o que me pareceu foi que a senhora ficou mais indignado com o termo utilizada pelo candidato do seu partido do que com a enormidade do desfalque .

É claro que apenas estamos a falar em milhões e milhões de euros nada que mereça que uma senhora se despenteie perante tão insignificante acontecimento
frogas | 06.02.09 - 11:28 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Desculpa lá hipatia mas não te fica bem esse papel de advogada do diabo .

Perguntar nesta altura do campeonato se foi provado que existiu furto só pode ser brincadeira da tua parte

Já agora deixa-me colocar-te mais uma perguntinha . Caso os tribunais não consigam provar que existiu furto o gestão danosa qual a tua opinião a respeito do ocorrido .

Sabes o que o povo diz : não é necessário ser galinha para saber quando os ovos estão estragados. Eu diria mais, diria que quando nos queremos meter no papel de galinha acabamos por nos cagar todos
frogas | 06.02.09 - 11:47 pm | #