2004-09-17

Choques e Pára-Choques

50-60-70-80-90-À HORA
90 à década vamos embora vamos embora!

Rui Reininho – Choque Frontal


Bati uma vez de carro. Bem, não é bem isso. Mas bater a sério, daquelas que temos de declarar culpa e participar ao seguro, foi mesmo só uma. Não conto no rol, portanto, todas as vezes em que encostei o pára-choques ao pára-choques do tipo que me apertou. Essas, confesso, fi-las até com um certo gosto, especialmente se o alvo do encosto tinha pinta de ser carro novo, caro e bem lustroso.

Confesso, também, que a única vez que bati o fiz em grande estilo, tendo danificado irreparavelmente - com direito a substituição integral, como até hoje me recorda o meu seguro automóvel - o pára-choques do corsa da brigada anti-crime. Carro à paisana, portanto, que resolveu travar em cima do cruzamento, imediatamente à minha frente, para deixar um velhinho atravessar a rua. E eu a ver se vinha algum da direita e... pimba! Sem desculpas.

Mas já me senti várias vezes alvo da falta de travões, atenção ou qualquer outra treta de vários outros automobilistas. Desde o ceguinho do condutor de um autocarro que, por mais que eu lhe apitasse e berrasse que não tinha espaço para a manobra, resolveu teimar e levantou-me a traseira do carro meio metro no ar, até a uma senhora (muito) distraída que resolveu meter marcha atrás e recuar sem se dar ao trabalho de ver se havia alguém atrás. Havia. Azar. Eu e o meu bólide, que ficou com as trombas em frangalhos.

Isto tudo a propósito da minha irmã, que se viu hoje envolvida num acidente múltiplo na A1. Se todos os carros tratam de abrandar, se todos os carros ligam os quatro piscas, se todos os carros param à nossa frente, que fazemos? Abrandamos, ligamos os quatro piscas e paramos. Assim fizeram os carros que estavam à frente da minha irmã. Assim fez a minha irmã. Assim fez o carro que estava imediatamente atrás da minha irmã. E que fez o senhor do volvo? Esteve-se a marimbar para isso tudo e levou todos os outros à frente. Marimbou-se para toda a gente. Destruiu 3 carros e o volvo. Os reboques ainda hão de estar em serviço...

Parece que há sempre um imbecil dentro de um carro de grande cilindrada nas estradas portuguesas...


Ah! O autocarro era volvo. E o carrinho da senhora também.

Odeio volvos!

6 comentários:

Mofo disse...

Eu a conduzir nunca bati. Sentado ao lado, já tive direito a despistes e batidas. Nada grave felizmente.
A tua irmã tem direito a um carro novo? Sem consequencias espero...

Hipatia disse...

Sem consequências, felizmente, Mofo. Só um pescoço dorido. Mas foi um susto. E já está com um carro de susbtituição, bem giro. Não é volvo :)

Mofo disse...

Tens um trauma com os Volvos... :)

Hipatia disse...

É que nem dado :) Pelo mesmo preço, ia buscar uma coisinha com menos ar de carro de dona de casa, doméstica, a viver nos subúrbios de uma qualquer cidade grande nos EUA ;)

Mofo disse...

"Nem mesmo dado"
Calma! Grátis até injecções na testa!

Hipatia disse...

Se fosse dado, tinha imediatamente um letreiro na janela a dizer "vendo", ou dava à troca, ou algo assim. Depois ia buscar um que gosto :) Mas não sou maluquinha por máquinas. O PC é o meu único excesso ;)

Injecções de graça? Mas andam a oferecer cada coisa, lol...