2004-09-09

Tiny Tears

You've been lying in bed for a week now
Wondering how long it'll take
You haven't spoken or looked at her in all that time
It's the easiest line you could break

She's been going about her business as usual
Always with that melancholy smile
But you were too busy looking into your affairs
To see those tiny tears in her eyes

Tiny tears make up an ocean
Tiny tears make up a sea
Let them pour out, pour out all over
Don't let them pour all over me

How can you hurt someone so much your supposed to care for
Someone you said you'd always be there for
But when that water breaks you know you're gonna cry, cry
When those tears start rolling you'll be back

Tiny tears...

You've been thinking about the time, you've been dreading it
But now it seems that moment has arrived
She's at the edge of the bed, she gets in
But it's hard to turn the opposite way tonight

Tiny tears...


Tindersticks


Cá está ela... A música das músicas, a que foi a "minha música" tantos anos que lhes perdi a conta. E a voz do Stuart e a pose em cima do palco, por entre o fumo de cigarros sucessivos. E a companhia, as companhias... E as viagens, Vilar de Mouros, Coimbra, Lisboa, onde calhasse sabe-los. E saber ainda que era mais um concerto que não podia perder...

Mesmo lágrimas pequenas fazem um oceano, fazem um mar.

Mesmo quando se ama muito alguém, conseguimos magoar. E o tempo que já não há para o nosso bem-querer, tempo que se desperdiça em acasos e programas e ocupações e uma agenda sempre demasiado ocupada para aquilo que verdadeiramente importa.

Mesmo as lágrimas pequenas fazem um oceano, fazem um mar.

E é então, como que num lampejo, talvez por uma epifania, que
nos resolvemos a olhar, olhar mesmo, o que está ali debaixo do nosso nariz e há demasiado tempo não éramos capazes de ver. Porque há dias em que nos é impossível olhar para o outro lado, já que o risco de nos perdermos a nós mesmos é intolerável.

Até as lágrimas pequenas são salgadas. Até as lágrimas pequenas fazem um oceano, fazem um mar.

E, por sorte – uma sorte maravilhosa, a que nos esquecemos de dar valor – nem todas as lágrimas pequenas, as tais que fazem um oceano, que fazem um mar, são lágrimas de tristeza.

(Talvez tudo não passe de obra de um duende. Há um que é culpado, pela certa!)

5 comentários:

Mofo disse...

Se calhar cruzamo-nos no Coliseu de Lisboa neste último concerto, de 16 de Abril.
Se for ao histórico dos Enresinados está lá o meu comentário ao concerto com data de 19 de Abril.
Sem dúvida, Tiny Tears é linda.

Hipatia disse...

Fiquei-me pelo coliseu do Porto, também em Abril. E quase não arranjei bilhete e quase desesperei. "Eles" continuam a ser "a minha banda". Há outras, é claro. Mas "eles" têm mesmo um lugar cativo nos meus afectos. E vou espreitar mesmo o comentário.

Gostaste do último album? "Sometimes it hurts" é... bem!

Mofo disse...

Esse album não tenho. Ver se passo por uma Fnac para ouvir.
De resto tenho todos, acho eu pelo menos.

Só há um que quero ver ao vivo e ainda não tive a oportunidade, Tom Waits, de resto, já vi Beck, Tindersticks, Nick Cave, Doors (versão aldrabada, mas não deixou de ser fantástico).

Hipatia disse...

A haver Tom, estou lá :) Tenho umas "used songs" para pôr em dia. Adoro!

Gostei da selecção :)

Hipatia disse...

On : 9/9/2004 2:48:03 PM duende (www) said:


Não pensaste que me tinha esquecido. pois não?

--------------------------------------------------------------------------------


On : 9/9/2004 2:57:56 PM Hipatia (www) said:


Não, não pensei . Eu também não esqueci que a tua favorita é a primeira do "Curtains".

(desculpa as voltas que o texto já teve, mas, por qualquer motivo, não havia maneira de lincar um sítio que eu cá sei através da "epifania" )

beijo

--------------------------------------------------------------------------------


On : 9/9/2004 3:35:59 PM cachucho (www) said:


Tindersticks e Portishead preencheram muitas vezes as minhas noites.
Juntamente com a Tiny Tears, foram centenas as vezes que escutei "Roads" de Portishead.
Mesmo sem querer essas músicas fazem parte de mim e, irão sempre me trazer demasiadas memórias, em que talvez algumas delas, quisesse esquecer.

--------------------------------------------------------------------------------


On : 9/9/2004 3:36:39 PM duende (www) said:


Recordação errada. :) É a segunda. Rented Rooms, lembras?

--------------------------------------------------------------------------------


On : 9/9/2004 3:47:19 PM duende (www) said:


Ia eu a dizer antes de ter caído: mas isso foi antes de ter ouvido Tiny Tears.

--------------------------------------------------------------------------------


On : 9/9/2004 3:48:00 PM Hipatia (www) said:


Dos Portishead, a minha favorita será, sem dúvida, o Glory Box. E faz parte de mim, sim. Também a ouvi de forma repetida, quase como um mantra.

Só não sei se concordo com a parte do esquecer. Eu prefiro a opção "não lembrar". Assim sei que, algures na memória, está um pedaço de vida importante. Não me quero lembrar dele; mas prefiro saber que não o amputei da minha história.

E há sempre a parte boa: continuam a ser músicas maravilhosas :)*



--------------------------------------------------------------------------------


On : 9/9/2004 3:54:00 PM Hipatia (www) said:


lol, Duende. Esqueci-me que havia o "Another Night In". Já peguei no cd e tens toda a razão. Mas como sou teimosa como uma porta quase vim aqui responder-te "obelá, essa é a primeira!"

--------------------------------------------------------------------------------


On : 9/9/2004 11:42:29 PM Miguel (www) said:


....mas com ou sem «sotake» ???????

«- é mesmo fixolas esta catrefa de necos!!!!! ihihihihih......

--------------------------------------------------------------------------------


On : 9/10/2004 7:24:41 AM Hipatia (www) said:


Com "sotáke", claro. "Obelá" que é "obelá", é carregadinho de "sotáke".



beijo