2004-09-13

Relógios

El Tiempo
tiene color de noche.
De una noche quieta.

Sobre lunas enormes,
la Eternidad
está fija en las doce.
Y el Tiempo se ha dormido
para siempre en su torre.
Nos engañan
todos los relojes.

El Tiempo tiene ya
horizontes.


Frederico Garcia Lorca - Meditación primera y última


Há dias em que os minutos são horas e sinto a alma parada no tempo à espera não sei de que milagre para pedir licença para voltar a nascer.

Há dias em que queria ser caracol, tartaruga, búzio, levar a casa às costas e poder fugir para um qualquer ventre e deixar o tempo passar.

Há dias em que o relógio se arrasta numa sucessão de punhaladas cronometradas e o ponteiro parece um louco que baila numa contradança de dois para cá dois para lá, sem se mover.

Há dias em que sou enganada por todos os relógios e só me resta dormir e sonhar com cucos silenciosos e pêndulos amordaçados.

Há dias em que o Tempo tem horizontes, mas não os partilha comigo.

2 comentários:

Telma Fernandes disse...

Pois é os dia parecem lentos, os segundos parecem minutos, os minutos duram horas e as horas são uma eternidade....mas quando olhamos para trás as semanas pareceram dias e os anos passam a fugir

Hipatia disse...

Olá Telma :)

Concordo com o que dizes, sim. Óbvio. Mas hoje o meu dia não foi particularmente brilhante e andei sempre em luta contra o tempo e a sentir que o tempo se estava a rir de mim. Nada de muito grave. Às tantas, uma segunda-feira típica, que começou mal, continuou mal e quase acabava pior.

Obrigada pela visita :*