2009-01-14

Desabafos


aqui

Todos temos problemas "no mundo real", todos acabamos, numa altura ou outra, aos berros com aqueles com quem convivemos "no mundo real". E todos nós, de uma qualquer maneira, já desabafamos nos blogues disso mesmo. Não especificamos situações, nem usamos os nomes das pessoas, que basta o grito e assim deve ficar. Eu, tripeira sem tento nas letras nem açaimo nos dedos, vou-me pelos palavrões e qualifico o que me irrita, o que me tira do sério: cabrão (uso bastante), filho da puta (uso ainda mais), sacana (aqui e acolá, não devia ser grave), totó (este é mais para os taxistas), gajos e gajas (leva tudo pela mesma medida). E exclamo sem dó, com um enfático ponto respectivo: foda-se! Ridículo é quase não usar palavrões fora daqui. Talvez, aliás, seja isso que tanta vez me falta: há gritos que engulo e, na garganta, ganham um granulado de fel que me enoja. Se não tivesse um blogue, talvez desse por mim a berrar à janela para o campo vazio e gelado lá ao fundo. Ou continuasse engasgada. Sei que abuso, que há por vezes um descer à chinela e um descuido que não engrandece a palavra escrita, que a avilta em muitos casos. Mas o fastio com que enfrento o palavrão é terapêutico. Assim, melhor ou pior, fica o desabafo feito e siga, que o mundo também segue, para além do meu umbigo.

11 comentários:

deep disse...

Antes de tudo a saúde! Se o meio jutifica o fim, por que não escrevê-las ou dizê-las?

Eu não as escrevo, mas digo-as ou penso-as mais vezes do que gostaria, a conduzir ou no local de trabalho (neste, na verdade, só as digo entre dentes!).

Fica bem. :)

Bartolomeu disse...

Quécedezere... se estás ornamentada com um umbiguinho tipo odaliska de harem persa... pk karalho é ku mundo num ha-d'ir prálém dele?
Mas pronto, tu é ke sabes... ká pra mim o palabrõe num éi a palabra própramente dita, mas sine a fuorma cumo é imprégue.
Eu até nem soue dos que utilize o palabrõe de fuorma abulsa, aláis, que me leimbre é mais no bainho e quando me masturbo, isto ibideintemeinte se na altura estiber a biber uma fántasia cuma garina dum prostíbulo.
Ena! Que gránde palabrõe e lindo cumá pouta cu ha-de parir.
(pronto Bartolomeu, chega, agora fecha a matraca e vai lá brincar com os outros meninos)

Adoa disse...

Por acaso tenho embarcado nessa terapia!

Dantes nunca dizia uma palavra e agora, às vezes lá sai, mas geralmente em inglês! lololol

Näo me parece täo negativo! E como comunico geralmente com a girl em inglês... Nos meus últimos blogs atrevi-me a quase escrever alguns. Foi a primeira e a segunda...

O desafio está em http://damiel-an-angels-diary.blogspot.com/

lolol

Kisses!

Hipatia disse...

É verdade, lol. Eu atrás do volante abro realmente o livro :D

Hipatia disse...

Pois, isso de dizer palavrões enquanto penso numa garina de prostíbulo nunca me aconteceu. Vou ter de acreditar na tua palavra em como funciona :D Mas suponho que também alivie, lol

Hipatia disse...

O que é "quase escrever alguns", Adoa?

:D

(mandei-te um mail)

maria_arvore disse...

Ó mulher,
tu poupa-te! :) Ou seja, despeja antes de encher a panela que o stress faz muito mal. :)

Já bem basta no local de trabalho não podermos dizer com todas as letrinhas para o blogue ser factor de equilíbrio. :) E lembra-te que o Fernando Pessoa também escreveu caralho num dos seus poemas. ;)

Hipatia disse...

Admito que há dias em que, no trabalho, a sanita acaba também por ser uma boa confidente, lol.

E olha que, ultimamente, são cada vez mais esses dias :(

Adoa disse...

Grandes filhos da P.! - isto na realidade näo é escrever um palavräo, mas o suficiente para estar sub-entendido...

Certo?
lolololol

Hipatia disse...

LOL

Se se percebe, então porque não se escreve?

Anónimo disse...

Mais Vozes

És do norte e basta caralho !

Força melher, o que é preciso é desopilar

Aproveitando uma frase tua "há gritos que engulo e, na garganta, ganham um granulado de fel que me enoja"

Cá entre nós que ninguém nos ouve; Conseguisse eu gritar e estaria bem melhor, mas não sai este granulado de anos que quase sufoca!
Finurias | 01.14.09 - 12:21 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

Queres a minha janela?

Temos mesmo de arranjar um escape, ou damos em doidos, tantos são os condicionalismos que nos oprimem.
Hipatia | Homepage | 01.14.09 - 12:28 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

desabafos são bons e fazem bem!
eu digo e escrevo, caneco!
é é importante que o mundo siga, também, com o nosso umbigo, ora!
aNa | Homepage | 01.14.09 - 2:16 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

ele há terapias e terapias. toda a gente tem os seus pequenos truques que lhe servem de alívio. se essa é a tua terapia, então foda-se, porque não?
fabulosa | Homepage | 01.14.09 - 7:14 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Sim, mas o nosso umbigo nunca é tão importante como o achamos, Ana
Hipatia | Homepage | 01.14.09 - 8:03 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Tu estás desacreditada por brindar com sumos, lol, mas como meteste ai esse foda-se as coisas começam a compor-se

(a Adoa deixou o link ali ao lado)
Hipatia | Homepage | 01.14.09 - 8:05 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Da ultima vez q me aliviei não disse um único palavrão .limitei-me a percorrer o centro de saúde cá do sitio a perguntar em voz bem alta a médicos enfermeiras empregadas administrativas e de limpeza quem é q era o responsável por num local onde são assistidas centenas de pessoas com todo o tipo de patologia não existir papel higiénico nem nenhum tipo de detergente para as pessoas se lavarem. bati a portas interrompi senhores doutores e no fim do meu desabafo continuado acabava sempre com a mesma pergunta . perguntei a todos os senhores e senhoras se aquilo onde eu estava se era ou se pretendia ser a mercearia do Zé da esquina .

Nesse dia penso q todos aqueles senhores e senhoras compreenderam que havia um gajo que estava zangado e que o gajo estava disposto a partir o focinho ao primeiro filho da puta que tivesse a ousadia de o interromper.

Hoje se forem cagar ou se se sujarem no centro de saúde cá da terra podem estar certos que pelo menos papel e sabonete existem nas casas de banho .
frogas | 01.14.09 - 11:41 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Ah grande Frogas!


Hipatia | Homepage | 01.15.09 - 11:42 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Estás enganada grande é a merda de situação em que nos encontramos, grande merda de país este em que se chega ao cumulo de se poupar em papel para o cu e sabonetes
frogas | 01.16.09 - 12:23 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

Como estranhas? De certeza que o que pouparam ali serviu para pagar mais um carrinho topo de gama a um caramelo qualquer dos que estão lá bem em cima.
Hipatia | Homepage | 01.17.09 - 1:42 am | #