2009-02-25

Outras vozes.
Em fuga, ou não...


Partindo das suas reflexões solitárias, os filósofos recomendavam que seguíssemos as nossas consciências íntimas e não os sinais de aprovação ou condenação do exterior. O que interessa não é aquilo que aparentamos ser aos olhos de um qualquer grupo, mas sim aquilo que sabemos que somos. Nas palavras de Schopenhauer: «Uma reprovação só poderá magoar-nos na medida em que atingir o alvo. Quem souber que não merece uma reprovação pode e deve encará-la com desprezo.»
in Status Ansiedade de Alain de Botton

5 comentários:

maria_arvore disse...

Olha que boa filosofia de vida. :)

É que quando falta a filosofia ficamos mais na carneirada. :)

I. disse...

A-do-rei.

(devia escrever isto em letras bem gordas, afixar na parede, e ler todos os dias)

Fabulosa disse...

Marie, eu de vez em quando preciso de reler coisas como esta para me lembrar disso mesmo... que não quero ficar na carneirada! ;)

I., então devias ler o livro do Botton. O livro é fantástico, li-o há uns tempos e de vez em quando vou lá reler alguns sublinhados! =)

Alien David Sousa disse...

Não podia de estar mais de acordo. E só aqueles que amamos nos conseguem atingir realmente.

"Once you put your hand in the flame
You can never be the same
There's a certain satisfaction
In a little bit of pain
I can see you understand
I can tell that you're the same
If you're afraid, well rise above
I only hurt the ones I love"



"Only the one that hurts you can
make you feel better
Only the one that inflicts
pain can take it away"

Beijinhos

Fabulosa disse...

Alien, de facto, não vale a pena importarmo-nos com opinões de quem não nos diz muito. Já as pessoas de quem gostamos... bem, aí já pensamos duas vezes.
Obrigada pela madonna! ;)

Beijinhos fabulosamente alienados**