2008-10-06

Coisas que não entendo


aqui


Em casa de uma amiga, o título de um livro chama-me a atenção: "mulher procura homem impotente para relacionamento sério". Como? Que andas tu a ler? Mas que raio de absurdo é este? Para que quer uma mulher um gajo que não funcione? E nem é o não funcionar a cabeça lá de baixo. É o tanto que não deve funcionar a cabeça de cima num gajo com o Zéquinha comatoso.

Digamos que nenhuma de nós gosta de ter um tipo completamente "caralhocêntrico". Mas queremos um gajo inteiro e sem traumas, certo? E se os gajos já são um ser complicado q.b., com umas debilidades egocêntricas que nem chegamos bem a entender, um gajo que não possa medir e exprimir o que vale também pela força que ainda tem, deve ser um espécime a evitar a todo o custo.

É que mesmo quando não queremos um gajo para ir para a cama com ele, se escolhemos a companhia de um gajo não é bem por ser eunuco.

Acabar a gostar de alguém e ter de lidar com doenças e/ou deficiências é algo a que nos sujeitamos. Não é – não pode ser – algo que se procura deliberadamente. É quase como comer chocolate dietético e fingir que sabe ao mesmo. Não fosse o fígado ou o peso, estaríamos era a empanturrar-nos do mais calórico possível.

Mas pior é uma
alminha ter pensado na hipótese e até ter escrito um livro. E ainda pior é eu ter trazido o livro para ver como é a história. Há coisas que não entendo…

15 comentários:

Emiele disse...

Hipatia, o romance já é bastante antigo (eu li-o há anos) e se já o leste ou estás a ler vais ver que afinal era uma graça. Ela queria uma pausazinha, que andava lixada com os últimos amores, mas depois quando encontrou um a seu gosto toda se esforçou por o pôr potente, afinal...
:D

Hipatia disse...

Trouxe emprestado para ler. Uma das coisas que não entendo é porque não resisti a trazer ;-)

Luis Duverge disse...

Dei umas gargalhadas valentes só de ler este post. Dou-te 200% de razão, isto fez-me lembrar uma "seita" ou coisa parecida duns casais que vivem em comunhão mas sexxo, nada(artigo da sábado). Bem o gajo ainda dá a cara, ela esconde-a no ombro dele. Eu a olhar para aquilo e a pensar: "tu queres bere a fominha que não está ali escondida". Acho que nem 9 semanas e 1/2 dava para tratar bem do assunto.
Por falar em tesão, desculpa lá mas se há mulher que respira tesão é a Sharon Stone. Sabes onde a fui encontrar ?
Aqui http://www.madeindeco.com/ceramics/the-new-image-of-saloni-2008/#more-11
Deve andar a precisar uma vitaminas ou será pedra a mais (dinheiro a menos) a crise também chegou até ela.
Bem já escrevi demais ...continua porque é sempre bom vir até aqui.
Beijo.

maria_arvore disse...

Hipatia,
foder sempre também cansa e às vezes sabe tão bem encontrar um gajo que pensa e sabe conversar. ;)) Não é que uma coisa exclua a outra mas são tão raras as vezes que estão juntas. ;))

E se te serve de consolo eu também não resisti ao título quando o encontrei. :)

Bartolomeu disse...

Interessante reflexão Hipatia.
Não fosse o comentário de emiele e arriscaria apontar um erro gramatical (a falta da virgula a antes de impotente) ao título do livro que o transformaria num paradoxo.
Uma vez que axplicação sumária foi dada no mesmo comentário, temos de concordar que afinal não ha nada de ininteligível na decisão do personagem.
Se a moça tinha tido más experiências com homens potentes, entende-se que tenha aceitado o desafio de potenciar um impotente.
Nada de inédito, aliás, notícias de ressuscitações, corrempor aí aos montes.
Quanto ao facto de levares o livro para ler... quem sabe o teu instinto não te está a tentar preparar para uma eventual situação futura?
Pelo sim pelo não bate 3 vezes com os nós dos dedos no pau... quer dizer... na madeira.
Então, o que não consegues entender?
;)

Hipatia disse...

Ah, Luís, mas há por ai tantos que acham que sem sexo é que é o caminho, apesar na fominha. Não viste a rata-zinga agora outra vez com a treta do preservativo?

E os outros lá vão fazendo pela vida, nem que seja a promover cerâmica, lol. Não há muitos filmes para actrizes entradotas que construíram a carreira sobre um belo par de mamas :D

Hipatia disse...

Se eu quiser um gajo que sabe conversar sem me tentar saltar à cueca, vou sair com um gay. Não me custa admitir que, mesmo que eu não queira saltar à cueca de um gajo, gosto da ideia de poder brincar com a possibilidade de o fazer querer saltar à minha. Meter a impotência aqui no meio é retirar-nos poder, ora. Além do mais, querias mesmo aturar um gajo abalado pelo não funcionamento da maquinaria? Deve ser um espectáculo triste.

(ainda não comecei a ler o livro, mas até suponho como acaba: potência!)

Hipatia disse...

Não acho que os gajos sejam impotentes para relacionamentos sérios. Aliás, acho-os cada vez mais vocacionados para isso. Ou não acabariam todos casados tão rapidamente, mesmo depois de uniões fracassadas. A verdade é que o chamado sexo forte não sabe viver sozinho. Aguenta uns tempinhos, mas não muitos. Depois arranja companhia. Podem até ser monogamias sucessivas com ocasionais mijar fora do penico, mas sem elas estão completamente perdidos.

Agora, no que toca à questão de uma mulher se envolver propositadamente com um homem impotente, continuo a achar um absurdo: a cabecinha do meco por essa altura tem de estar uma desgraça. Ou não concordas comigo que se a maquinaria não funcionar os homens se passam completamente? E que mulher de juízo procura essa lenha, quando já há tanta mais com que se queimar?

Bater no pau? LOL! Numa situação destas? Bem, se a meiguice não funcionasse, acho que batia antes com a porta :D

_ba_ disse...

Esse livro já tem alguns anos e depois desse (que li calmamente e até me ri) acabei por comprar outros dela como "Mentiras na Cama", "Matilha de Herdeiros", "Mulher procura hotel de cinco estrelas com homem incluído" e outros: pode não ser uma grande escritora mas também é bom ler por ler, ler para nos divertirmos não é menina?
Mas como ultimamente não tenho tido muito tempo para ler (o teu sobrinho Tomás cada vez dá mais trabalho) por isso até da Margarida Rebelo Pinto tenho saudades :-)))

PreDatado disse...

Já li esse livro há uma data de anos. É bem interessante. Mas como o vais ler não vou dar nenhuma dica.

Hipatia disse...

C'um caraças! Isso são mais títulos da mesma autora? Confesso que não a conhecia, mas é cada um pior do que o outro, lol. Acho que todos me davam para post :D

Da MRP não tenho saudades, que nunca me passou pela cabeça ler um livro que seja da senhora. Meia dúzia de palavras apanhadas em entrevistas e algumas coisas escritas em revistas fizeram-me por de lado a ideia. Por isso, por que quisesse, não posso dizer mal. Dos livros, pelo menos, que já aqui postei sobre o gosto em roupinhas e penteados ;-)

Beijo para os três, com um bem repenicado no Tomás :)

Hipatia disse...

Já vou a meio, lol. Não é coisa para ler devagar. E suspeito como acaba: pelo tom, só pode mesmo acabar de uma maneira :)

claire disse...

A cabeça não manda tudo e as hormonas é que escolhem

Hipatia disse...

Também é verdade! Há dias muito irracionais ;-)

Anónimo disse...

Mais Vozes

Não fosse o comprimido azul e já estava a ver as paginas dos jornais : Leitores de uma certa voz entopem serviços de psiquiatria.

E já agora, isso de gajos que não sejam completamente caralhocentricos é coisa que não existe O que existe é muito gajo que passa a vida a olhar para os pés . Basta teres atenção à postura naquelas longas conversas sobre temas interessantes e vais reparar que os gajos que ficam mais tempo cruzam a perna de modo a nunca perder de vista a sola do sapato.
frogas | 10.06.08 - 9:21 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

LOLOLOLOL

O que já me ri com essa treta do gajo a olhar para a sola! É, acho que tens razão!
Hipatia | Homepage | 10.06.08 - 10:30 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Na treta tenho sempre razão.


A sério teria de te encher a caixa de comentários

fica no entanto a questão : qual o perfil psicológico de uma gaja amputada dos seios ? será este assim tão diferente daquele de que falas para os homens ?

È ou não possível q um gajo se sinta atraído por alguém nestas condições .

deve ou não a gaja procurar um paraíso diferente do da madre Teresa de Calcutá .

e o gajo como a deve encarar?

Pessoalmente já passei pela experiência de ficar a olhar para os sapatos e podes acreditar que é demasiado dolorosa para que com o assunto consiga brincar .
frogas | 10.07.08 - 2:08 am | #

--------------------------------------------------------------------------------

Uma das coisas que tentei dizer no post é que podemos ter de conviver com problemas físicos dos nossos parceiros, seja a impotência, seja uma amputação, seja o que for. Vem com a relação. Outra coisa diferente é procurarmos isso deliberadamente. Isso acho que ninguém faz e, por isso também, achei o título do livro estapafúrdio.
Hipatia | 10.07.08 - 2:16 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

E o q eu tento dizer é que normalmente não procuramos nenhum modelo predefinido o q normalmente acontece é encontrar-mos ou ser-mos encontrados por alguém que nos desperta a atenção .
Pessoalmente não me estou a ver a perguntar a alguém se esta tem ou não mamócas de plástico, até acredito q tal facto me possa fazer esquecer o fascínio que me levou a constatar o facto, mas não deixo de admitir como possível q a coisa possa ser ultrapassada por factores mais importantes
frogas | 10.07.08 - 8:35 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Eu penso ter entendido o teu post e os teus comentários . não deixa de ser verdade q lido por quem eventualmente tenha problemas este possa ser causador de mal estar .

Pessoalmente não sou apologista da mentira mas não seria eu a dizer a uma criança que o pai natal não existe
frogas | 10.07.08 - 8:43 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Penso já ter por aqui escrito q tenho uma doença de pele complicada o q talvez não tenha escrito é tal me fodeu os cornos e a vida de uma maneira q dificilmente poderás entender.

Mas muito mais do q a puta da doença eram os comentários e as palmadinhas nas costas q mais me aleijavam. No meu caso, penso ter sempre sabido o q ia dentro da mona de muito boa gente que olhava para mim . o chato, o chato era quando me confrontavam com aquilo com q eu não queria ser confrontado o chato é que eu queria acreditar q tinha o direito de não ser confrontado.

Talvez possas pensar q isto vem contradizer a minha conversa dos armários nm dos teus post anteriores . puro engano o q eu não suporto mesmo é q as pessoas tenham de se esconder e se acobardem perante palermices impensadas como aquela q aqui escreveste.

Não leves muito a peito a minha sinceridade mas não podia deixar de te dizer q aquilo q por vezes se escreve a brincar aleija pessoas a sério
frogas | 10.07.08 - 9:12 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

E para acabar sempre te vou dizendo q o teu post diz muito mais do q aquilo q escreveste no comentário.

a este respeito não digo mais nada
frogas | 10.07.08 - 9:19 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Frogas, sabes que efeitos têm as drogas duras? Pois eu conheço-os a todos. Não escolhi conhecê-los, como é óbvio. Lidei com as cartas que a vida me deu. Se pudesse ter escolhido? Obviamente que não escolhia isso. Mas relações sérias são mais do que caralhos funcionais. Sobrevivem quando é preciso ao mais disfuncional que existe. As relações sérias são aquelas em que nada importa perante a seriedade dessa mesma relação. Não se medem fisicamente nem pela aparência nem pelo desempenho nem pela ausência de funções. Medem-se emocionalmente. E se brinco, é também de mim que me rio.
Hipatia | Homepage | 10.08.08 - 6:12 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Era suposto isso ser novidade?
frogas | 10.08.08 - 8:23 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Sabes qual o problema a meu ver . É que quem ler este blog fica na duvida a respeito de quem é a personagem que está por detrás do nome. Fica sem saber se é a pessoa sensível aos problema dos outros ou se é apenas a pessoa que escreveu este Post .

Desculpa lá se tinha de te tirar os nabos da púcara mas irritou-me demasiado ter ficado com duvidas

Quanto ao post continuo a pensar que é infeliz e perigoso para quem te leve a sério
frogas | 10.08.08 - 8:40 pm | #

--------------------------------------------------------------------------------

Não têm de ficar na dúvida. É um post, Frogas. E em tom jocoso, como o que está mais abaixo sobre as quarentonas. Só isso. E ninguém me leva a sério quando escrevo posts destes. Aliás, até tenho sérias dúvidas sobre se me levam a sério alguma vez quando escrevo seja o que for neste espaço. Os meus textos para serem levados a sério - e tenho alguns publicados - estão todos noutro formato. Sabes bem que não mantenho a Voz para mais do que recreio.
Hipatia | 10.09.08 - 2:14 pm | #