2008-10-16

Erva ruim



O que me irrita em Sarah Palin é o tom de anedota: é vista em tom jocoso, analisada com piada, desbaratada com um sorriso. E, no entanto, Palin é uma figura feminina daninha. E é daninha porque é medíocre. Para além da política de um País que não é nosso, do voto que não faremos numa democracia onde uns votos são sempre mais votos do que outros, para além do velhadas a tiracolo e da filha que devia ter tido educação sexual em lugar de ir passear para a carreira do tiro. E para além do caranguejo e do urso no escritório. A participação feminina nos destinos políticos do Mundo continua a não ser semelhante à posição das mulheres no resto da vida pública desse mesmo Mundo. Pelo menos do Mundo Ocidental, que é o que eu conheço. E a anedota Palin é um retrocesso, um anátema com demasiada exposição mediática e dois neurónios que debitam banalidades e generalidades. E, para além de qualquer gargalhada descrente e esgar enojado que me provoque, Palin é profundamente perigosa. Só o facto de existir e ter sido colocada como bandeira política dos conservadores a torna perigosa. Só o facto de representar esse mesmo conservadorismo de raiz evangélica, fundamentalista e ignorante, deveria ser o suficiente para todas nós, mulheres, o lamentarmos. É que de todas as vezes que os desmandos dos gajos que fazem política há décadas nos afundam num qualquer esterqueiro, penso que está na hora de pôr uma mulher a meter ordem na casa. Mas depois há as mulheres e há as Palin. E as Palin são daninhas.

10 comentários:

I. disse...

Esta ouvi no Daily Show, e o Jon Stewart assegurou que não era piada mas a pura verdade: parece que no alasca, na cidadezinha que ela governava, as vítimas de violação tinham que pagar o rape kit (conjunto de instrumentos com que se faz a recolha de indícios seminais). Fiquei tão chocada que nem tive coragem de ir averiguar se é verdade. Prefiro ainda acreditar que poderá ser piada.

Dito isto, essa senhora mete-me medo, muito medo. E é tudo o que tenho para dizer, para além de que concordo com o que dizes e subscrevo-o.

vidinha disse...

São as Palin que deveriam ficar em casa, a fazer tricot e a ver a novela. Mas quem disse ao raio da mulher que podia sair da cidadezinha?!
Ah! Já me esquecia, deve ter sido um homem (inteligente).

maria_arvore disse...

Quando as mulheres entram na política porque os homens decidiram por elas que assim fosse aumentam muito as hipóteses de eles escolherem bonecas decorativas.

Curiosamente, em Israel, nado e crescido em clima de guerra contínuo, em que ambos os sexos vão à tropa, as mulheres costumam dar melhores prestações na política.

Carlos Gil disse...

Imagine-se só meia tragédia, que era o McCain ganhar as eleições. depois vamos ser um pouco pessimistas e atendendo à idade do man e (mau) historial clínico dava-lhe uma coisa ruim e "ia-se" (truz, truz, sete ves: não estou a desejar a morte de ninguém).
A Palin tornava-se Presidente dos USA por direito inatacável (o Ford foi-o tal e qual quando o Nixon deu de frõxes). Era pior que a tragédia completa: soa a Catástrofe Global :(

Eu não acredito que os eleitores americanos - mesmo os republicanos - não pensem nisto. A escolha da Palin para 'sub-chefe de turma' garantiu a vitória do Obama.
Só os "ferrenhos" que votam pela cor do partido mesmo que sejam o Bafo-de-Onça e a Maga Patalógica os candidatos porão a cruz numa dupla daquelas.

TheOldMan disse...

A avaliar pelas opiniões que (noutros blogues) tenho visto expressas sobre os homens, sou obrigado a chegar à conclusão que Sara Palin é na verdade um gajo; e sem dúvida que deve usar a lima das unhas para tirar a cera dos abanos.

;-)

Hipatia disse...

Também vi e nem sequer estranhei :(

Que esperar de uma gaja que usa o seu cargo e o seu poder para se meter nos assuntos de família da irmã? Ressabiada por proximidade? E quando abre a boca e debita sempre a mesma coisa mal amanhada? Idiota? E que melhor exemplo temos das tais das públicas virtudes? O sexo é pecado, mas o sexo que a minha filha adolescente faz não é notícia? E os sapatos, pá? Vamos matar mais um crocodilo?

(Eu até com os sapatos da mulher embirro, issa!)

Hipatia disse...

São gajas destas que, no leite com que amamentam, perpetuam o preconceito e a imbecilidade. E isso é perigoso e profundamente nocivo para qualquer conquista que as mulheres ocidentais tinham alcançado, Vidinha.

Hipatia disse...

Lembraste-me de imediato a Golda Meir. Que mulher! Cheia de defeitos, com várias decisões que raiaram o fundamentalismo e até o crime e, no entanto, uma fera que conquistou e mereceu o respeito. Grande diferença para uma qualquer Palin!

Hipatia disse...

Eu, vindo dos lados dos EUA, estou preparada e espero tudo, Carlos. Afinal, não elegeram o Bush? Pior, não elegeram o Bush duas vezes?

Hipatia disse...

LOL

Se tivesse tempo para ler alguns blogues, cheira-me que concordava (quase) totalmente contigo. O restinho de discordância era para a lima: talvez apostasse antes na unhaca :D